O POETA

 

 

01

Quando você tiver saudade/Venha me ver/E se ainda lhe sobrar ou tiver coragem/Se ainda sentir falta de calor/E por dentro senti infinita dor/ Venha me ter./Quando você se sentir sozinha
E ainda, trouxer saudade minha
Venha me fazer viver.
E se ainda lhe sobrar carinho
E ainda tiver aquele jeitinho
Venha me querer.
Mas se ainda guardar aquele rancor
E a mim não tiver amor
Venha me dizer.
Mas se a coragem acabar
E no corpo não tiver mais calor
E não sentir mais, sequer a dor
E nem a solidão de viver sozinha
E matou toda saudade de mim
E a tudo colocou um fim,
Se estiver pobre de carinho
Já desengonçada em seu jeitinho
E já indiferente até no rancor
E tiver esquecido aquele amor
Guarde sua falta de coragem
Esqueça que acabou a vontade
Mande buscar minha bagagem de saudade
Na brisa do entardecer
Ou na aurora do amanhecer.
Em qualquer lugar onde você se encontre
Sempre estará à sombra do monte
Da saudade que eu armazenei de você.
E em cada gota de orvalho que você ver
Aprecie o meu morrer
Nas lágrimas que derramei
Lendo tuas poesias
Vivendo tuas fantasias.
Nessa bagagem de saudade
Guardei só a bondade
Do nosso tempo de amor.
Mas, se acaso você encontrar dor
E me imaginar moribundo
Não foi você, foi o mundo
Em nosso querer,
Em nosso viver,
Em nosso existir
Em nosso sonho de porvir
Da predestinação do Senhor
No CASAL AMOR.

 

________///_________

 

Se você estiver triste, cante./Que chorar não leva a nada./tua cabeça levante/E firme o pé na tua estrada./Não dê o gosto ao inimigo/Dele se sentir vitorioso/Nem lhe propicie um instante/Dele te ver nervoso./Se é por erro, com e ela aprenda/Se é por amor não desista/A vida é uma contenda/Até onde a gente avista/E não há quem nos atenda/Quando perdemos a pista./Então é dentro de nós/Que está o nosso destino//Já diziam meus avós:/”Tome cuidado menino;/Viverás sempre a sós/Por mais que sejas traquino./As multidões se aglomeram/Em torno de fantasias/E os prudentes não esperam/Por essas massas vazias/Pois só os solitários prosperam/E os que não têm regalias.

 

________///_________

 

A MUSA INSPIRA O POETA

AMUSA

 Sim. Sou a tua essência divina sufocada pelo teu pavor de si mesmo, que você libera quando não posso mais te socorrer no engano que te levou ao fracasso. Por isso, és o rodízio do teu próprio núcleo a orbitar em torno do teu Orgulho e a consumir-se em prol da tua Inveja. Por onde resultas sem cérebro formando ciclos históricos de procriação e tragédia. O deus orgulho instala o sistema econômico e o deus inveja, o sistema político.

Entretanto, És o Propósito do Absoluto, em nova fusão do Espaço com o Tempo. E nisso resulto atraído por você. Podemos gerar-nos da tua imaginação de auto justificação, em LUZ desagregadora das TREVAS em que estas?

  Senhor! Minha alma ainda sangra a tua ordem: “Carregue tudo e vá.”Como confiarei que não seja o aprofundamento de todas as dores que, por causa dessa ordem, desde então, acumulo?

LEIA MAIS….https://drive.google.com/file/d/0Bx6c2XTVi_HvUld3NkdvZEZ1d0k/view?usp=sharing