MINHA POSSE NA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

SENHORES VEREADORES PRESIDENTES DAS CÂMARAS MUNICIPAIS DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL
SENHORES DEPUTADOS ESTADUAIS PRESIDENTES DAS ASSEMBLEIAS LEGISLATIVAS DOS ESTADOS DA REPÚBLICA
FEDERATIVA DO BRASIL
SENHOR DEPUTADO DISTRITAL PRESIDENTE CÂMARA DISTRITO FEDERAL DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.
SENHORES DEPUTADOS FEDERAIS PRESIDENTES DAS CÂMARAS DOS DEPUTADOS DA UNIÃO NA REPÚBLICA
FEDERATIVA DO BRASIL.
SENHOR SENADOR PRESIDENTE DO SENADO FEDERAL DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.
COMPONENTES DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO NA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL
PELO SENHOR VERADOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE CASCAVEL-PR.
O POVO BRASILEIRO formado pela tríade constituinte originária: Nação-Território-Soberania,
autoproclamado no Preâmbulo da Constituição em Poder Constituinte, denominado nela de cidadania, pelo qual se
institui em Estado Democrático de Direito no art. 1º caput e incs. I,II e Parágrafo único, com o art. 4º incs. I,III da
Constituição, e se constitui em Ente Político de civilização, distribuído em organização federativa pela mesma, através
das Constituições Estaduais e Leis Orgânicas Municipais; bifurcado em: a) poder político constitucional rotativo indireto
nos partidos políticos no art. 1º incs. II,V e Parág. único, com o art. 14 incs. e §§ e art. 17 incs. e §§, art. 27 § 1º, art. 28,
art. 29 inc. II, art. 46, o art. 76, e o art. 80 da Constituição, no Colegiado Mandatário composto do Presidente e VicePresidente
da República, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado federal e Presidente do STF; b)
força militar constituinte permanente direta, formada das patentes eleitorais de comando supremo e autoridade
suprema das Forças Armadas, no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II,III, o art. 84 incs. XIII, e o art. 142
com o art. 91 inc. VIII e o art. 80 da Constituição, no Colegiado Constituinte, composto dos Comandantes Superiores da
Marinha, Exército e Aeronáutica; com personalidade jurídica instituída no art. 2º e arts. 18, 20, 21, 22 da Constituição
na UNIÃO FEDERAL, CNPJ nº 29.979.036/0001-40, sediada no Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes, Brasília/DF,
ora com endereço operacional no Quartel da 15ª Brigada de Infantaria Motorizada, 5ª Divisão de Exército, 3ª Região
Militar Sul, em virtude de sua sede estar esbulhada pelo Foro de São Paulo e Estado Islâmico com o Instituto Lula,
Superior Tribunal Eleitoral, Procuradoria-Geral Eleitoral e Senado Federal com o Supremo Tribunal Federal;
em FORO DE SOBERANIA pelo exercício direto do poder instituído no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com
o art. 4º incs. II, III, VIII, o art. 5º caput e incs XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art. 37 caput, o art. 84 inc. XIII, com o art. 142 e o art.
80 com o art. 91 inc. VIII, mais o art. 144 da Constituição, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção
Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do
CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001, e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta
da ONU, com o Decreto n. 5.639 de 26.12.2005, e o Decreto n. 4.388 de 25.09.2002, face estar presente no corpo de delito
do País a RAZÃO DE ESTADO, CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO, ASSALTO AO PODER PELO FORO DE SÃO PAULO, FALÊNCIA
DO PAIS e CAOS SOCIAL, que rompeu o Estado Democrático de Direito na fusão do voto com a bala no mandato-patentes
de Presidente da República e extinguiu eficácia à Magistratura de Estado desprovendo o Processo Histórico de regência
institutiva e dando emersão ao povo em reação de cidadania para: RECUPERAÇÃO DA SUA VOCAÇÃO DE LIBERDADE;
RESTAURAÇÃO DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO; RESTABELECIMENTO DA UNIDADE DA NAÇÃO, e
REENCAMINHAMENTO DO PAIS PARA O TRABALHO;
aqui liderado pelo COMANDO DA INTERVENÇÃO DO POVO NO PROCESSO HISTÓRICO, formado do
cidadão Celio Evangelista Ferreira do Nascimento, jurista, com título de cidadania instituído no art. 14 inc. II, b, da
Constituição e cadastro eleitoral nº 0038.4759.0647/Brasília-DF, filiação partidária nº 011745991910/Brasília-DF.,

POVO BRASILEIRO EM INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO EM FORO DE SOBERANIA
NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS
PMDB/Brasília-DF, identidade policial nº 788947/MS. e identificação fiscal nº 198.285.009-49, telefone: 45 99850-40.46,
cexvanaverba@hotmail.com– facebook/celio evangelista, e endereço no Quartel da 15ª Bda. Inf. Mec., 5ª Div. de Ex. 3ª
RM, na Rua Rio de Janeiro nº 229, Centro, 85.801-030 Cascavel-Pr., com: as Forças Armadas, as Polícias Militares,
a Polícia Federal, o Ministério Público Federal, a Justiça Federal, as Polícias Civis, a Ordem dos Advogados do
Brasil, os Agentes Penitenciários, a Associação Comercial e Industrial de Cascavel/PR.-ACIC, e a Tv
Tarobá/Cvel/Pr. em 89.323.489 constituintes mobilizados desde o pleito eleitoral de 2.014 na praça pública e nas
redes sociais;
por este ATO CONSTITUINTE INTERPELATÓRIO na INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO
HISTÓRICO, instalada com as CPIs dos Correios e do Mensalão que geraram a AP 470 assentando a reação de cidadania
pelos atos institutivos constantes dos Protocolos: Pet. 142098/08.10.2008, PO 1300820 – 7.2.2013/ACFA, STF Pet.
142098/08.10.2008, STF 0038341, 29.2.2012, PR CODIN/POT/19.02.2012; SF29.02.2012; SF17.07.2012; SF11.06.2012 STF; PGR CD PR
SF; CFA 117.419 29.02012 30.05.2012, 10.10.12; DPF/MS 08335.025373/2012-65 27.11.2012; DPF/ MS 335.005016/2013-61 28.01.2013;
DPF/DF 08001.08335.0032 35/2002-5; 08001.008976/2012-74; 08001.014173/20 12-59-COGER/DPF; 08200.008079/2013-03;
08200.008592/2013-96; DPF/CEVEL-R 02.05.2013; MPF/MS-00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 000 07 443
/2014 – 00007787/2014 R 02.05.2013; MPF/MS-00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 000 07 443 /2014 –
00007787/2014 – A.D. SF 15492345 1 BR; MPE/MS-PGJ – 043779-2/2; 018742-2/2019223-2/2M; CD 006198- 30.9.13; SPF 08335,006262/
2014-11; PGR 00001654/2014; PGR 0007443 PR 04.09.2013; PR JG 642440674BR STF AR-J6603237679BR; PF 08335.018120/2014-05;
PGJ 022451-2/2; 022450-2/2 022450-2/2; 018742-2/2; 019223-22/, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014,
01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, PGR 10058/2014. STF SF 82200437/2014; STF PE 6197258220; ACFA PE
513259353JH; STF PE 513269996JH; STF PE 619725820JH; PRM-CAC-PR 10058/2014; PR PRM-CAC-PR 00010318/2014, PRM-CAC-PR
0004149/2015; PRM-CAC-PR 00002475/2017, STF-JR607903029BR-23.5.2017, além de outros, em âmbito nacional e internacional,
recebidos, aceitos e homologados,
NOTIFICA O PODER LEGISLATIVO EM ÂMBITO FEDERATIVO REPUBLICANO, ATRAVÉS DA CÂMARA
MUNICIPAL DE CASCAVEL-PR., EM SEDE DE PROCESSO HISTÓRICO NO FORO DE SOBERANIA, DE
QUE, NA CONFORMIDADE DO ATO CONSTITUINTE DECISÓRIO ANEXO, DARÁ POSSE AO CIDADÃO
CELIO EVANGELISTA FERREIRA DO NASCIMENTO, NO CARGO DE PRESIDENTE DA REPÚBLICA, EM
VIRTUDE DE VACÃNCIA DESDE O DIA 1º DE JANEIRO DE 2.015, EM REGIME DE INTERINIDADE
CONSTITUINTE, IMEDIATAMENTE À PRISÃO DE DILMA VANA ROUSSEFF & MICHEL MIGUEL TEMER
LÚLIA PELA POLÍCIA FEDERAL. RELEMBRANDO:
I. A INCONSTITUCIONALIDADE, INSTABILIDADE E ILEGITIMIDADE DA PRESENÇA DE DILMA
VANA ROUSSEFF & MICHEL MIGUEL TEMER LÚLIA NA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. SUAS
QUALIFICAÇÕES PENAIS E RESPECTIVO DESFECHO INSTITUCIONAL.
Como o corpo de delito do País registra e o PERSECUTÓRIO INSTITUCIONAL DE ESTADO composto do
equacionamento perquiritório em blocos instaurado pela Polícia Federal, Ministério Público Federal, Justiça Federal e
Supremo Tribunal Federal demonstra, Dilma Vana Rousseff & Michel Miguel Temer Lúlia estão em flagrante delito de
esbulho do cargo público de Presidente da República, por assalto ao poder através do pleito eleitoral terrorista de 2.014,
promovido pelo Foro de São Paulo com o Instituto Lula, Procuradoria-Geral Eleitoral e o Superior Tribunal Eleitoral, com
dinheiro roubado da nação e mandato para Dilma fabricado nas urnas eletrônicas e refabricado para Temer na Câmara
e Senado pelo “impeachment da Dilma,” executando a estratégia terrorista do “Projeto de Poder do PT de Comunizar o
Brasil Em 22 Anos” pela FARRA DO PT NO PODER, que transformou a democracia em “cleptocracia” e o País, “num sindicato
de ladrões,” operado pelo crime organizado no governo, assentado nas gangues políticas e gerido pelas corporações
quadrilheiras; com o povo sequestrado em seus lares e locais de trabalho em massacre por tortura terrorista do medo,
insegurança pública, insegurança jurídica e insegurança econômica, sofrendo a destruição da civilização brasileira pelos
“bandidos escondidos atrás de mandatos fazendo leis para bandidos escondidos atrás da toga manter o terrorismo
acordado como sistema de poder e a corrupção partilhada como forma de governo;” arregimentados em: 1. bandidagem
no poder distribuídos pelo PMDB, PTB, PDT, PT, PSB, PPL, PSDB, PTC, PSC, PMN, PRP, PPS, PV, PCB, PBC, PTdo B, PPL,
PR, PSTU, PRTB, PHS, PSDC, PCO, PTN, PSC, PRB, PSL, PR, PSD, PROS, SP, PMB, DEM, PC do B, PP, PCB, PRTB e REDE
Supridos pelos “especialistas,” “intermediadores,” “negociadores” e “mefíticos” de toda a espécie, que estão espalhados

POVO BRASILEIRO EM INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO EM FORO DE SOBERANIA
NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS
por todo o tecido institucional e todas estruturas operacionais da República e iniciativa privada, alojados no erário público
e ocupados em: a) roubar o Pais, b) massacrar a Nação, c) destruir e vender a Pátria; 2. bandidagem terrorista
transnacional, no “projeto Pátria Grande” pela URSAL, UNASUL, URC, ESAD, G-20, BRICS, FAO, OTSC, CEI, OCS,
ECVCNB, no MST, CUT, MSTA, CEMIG, CONTAG, Via Campesina, MLST, MAB, MIR, ELN, EZ, APINB, ARPIN-Sul, COIAB,
APOINME, CIR, ABA, IEB, CTI, CUIA, Sindicatos, Hamas, Taleban, Al Qaeda, Jihads, Hesbollah, Boko-Haran, Al Shebab,
Estado Islâmico3. bandidagem de campo no “fome zero” e criminalidade quadrilheira pelo PCC, CV, FDN, TCC, CRBC,
CDL, SS, DCMS, TC, ADA, IDI, AJ, AD, B.dos 40; PCN; ER; 300 Esp.; PCM; ERam; B. dos 300; CC; GDA; PCM; BI; PGE; B. dos
40; ADM; COM; B.dos 300M; PCM2; PCE; CP; BM; KATIARA; CPr; CAVEIRA; CMO; PJ; PCMpr; PCMG; MP; PI; PCU; CJUC; GF,
CDLcr, PGC2, PCRV, CL, SN, SC,PL, PGO, FRC, BC, OS TAURAS, V.7, O.S.A.l, U.P.P, C.P.C, A.L, P.C.Pr, P.C.L.ms, D.G, BPj,
B.C.cuia, C.V.mt, A.L.ro, C.P.ro, B. dos 13; 3º CP; Carecas do ABC; Comando da Paz; CRBC, Máfia do Lixo, Esquadrão da
Morte. Assistidos pela Depen, “Pastoral Carcerária,” outros serviços religiosos e ONGS; e ocupados em matar, assaltar,
estuprar, sequestrar, roubar e aterrorizar a população.
Por essa estrutura, o “Projeto de Poder do PT de Comunizar o Brasil Em 22 Anos” movia o País por
falcatruas contábeis, estelionato estatístico, renúncias fiscais estelionatárias, estelionato de preços públicos, estelionato
de consumo, picaretagens com títulos públicos, lançamentos invertidos da dívida púbica e exportações inexistentes, por
onde gerava ativos líquidos para as emissões de real frio a lastro metálico em contas correntes para os bancos fazerem
o fluxo de caixa da economia pelo denominador bancário, que fazia a roda da produção/consumo girar mantendo o
emprego e produzindo impostos em crescimento, sem economia geradora. Era o “socialismo monetarista de Estado”
descoberto por Guido Mantega, Paulo Bernardo, Dilma Rousseff e Henrique Meirelles, sob as benção do analfabetismo
de Lula que, sem entender o “milagre,” transformou o “Projeto de Poder do PT” em “lulismo” distribuindo em “revolução
bolivariana comunista” fundida com o “fundamentalismo islâmico terrorista” no “Projeto Pátria Grande” pela URSAL,
UNASUL, URC, G-20, BRICS, HAMAS, HESBOLLAH, JIHADS, AL QAEDA, TALEBAN. E construiu no Brasil o armagedom
apocalíptico, que foi desmontado a partir das CPIs dos Correios e do Mensalão pela AP 470 que elas produziram; sobre
a qual foi instaurada a REAÇÃO DE CIDADANIA perante a Corte Constituinte em 2.008, dando materialidade jurídica às
esferas do Processo Histórico instituídas pelo art. 1º incs. I,II, e Parág. único com o art. 3º incs. I/IV e o art. 5º caput da
Constituição. Por onde o modelo política socialista terrorista sem economia foi identificado como caso de polícia, por
bandidagem transnacional agregada, e denunciado nos foros internacionais próprios, logrando a exclusão do Brasil do
crédito internacional, que lhe gerou a crise financeira, da qual veio a depressão econômica e a consequência massa
falida sem ativo real que sustente renegociação do astronômico passivo a descoberto de geração tributária pelo País,
para o seu custeio. E assim, a Inteligência das Forças Armadas, com a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a
Justiça Federal destruiu o armagedom e livrou o mundo da hecatombe de civilização que já teria eclodido pela Coreia do
Norte que fazia sustentação nuclear à organização, quando, por um descuido da Inteligência Planetária, Obama,
seguindo a regra de que: “cobra se mata pela cabeça,” bloqueou a Coreia do Norte e ia invadi-la, determinado a destruí-
la.
E assim cumpriu-se o “Ideário da Revolução de 64,” que estabelecia o período de 1986 a 2.014/2.016
para o suicídio de poder das esquerdas fundidas com as oligarquias do poder, a marginalidade e a vadiagem,
expurgando, de uma só vez, sem guerra civil, a civilização brasileira, para a reinstalação do Brasil na 3ª etapa do “Ideário
da Revolução de 64,” pelo instrumental que as Forças Armadas, por Celio Evangelista Ferreira e o Dr. Ulysses Guimarães
construíram na Constituição. Pelos quais, a reinstalação do Brasil em seu Processo Histórico vem com o “PROJETO
AMAZÔNIA – Soberania, Poder e Riqueza pelo caminho da roça,” empreendido pela ECONOMIA TRABALHISTA
EDUCATIVA integrada do COOPERATIVISMO DE ESTADO composto de iniciativa privada e governo, campo e cidade,
transformando a tríade patrimonial originária: HOMEM-TERRA-NATUREZA em PROGRESSO para QUALIDADE DE VIDA;
sustentado na “ideologia política” fácil de decorar: “COM O SUOR DO ROSTO TERÁS O PÃO,” regida pela “doutrina social”
simples e clara: “AMARÁS O TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO.” Dispondo do patrimônio nacional ainda a ser
empreendido, de US$ 243 trilhões; com ofertada de US$ 4,7 trilhões da poupança externa para os investimentos
infraestruturais, se o Brasil precisar. Como, aliás, acontecera de 1966 a 1982. Sobre cuja realidade extrínseca,
repousa a afirmação do POVO EM REAÇÃO DE CIDADANIA, de que o Brasil inicia neste ano de 2.017 a construção da
civilização fundada por Frei Henrique de Coimbra no dia 26 de abril de 1.500, instalada pela nação na “Marcha da Família
Com Deus Pela Liberdade” em 1.964, e identificada pela Assembleia Nacional Constituinte na Constituição em 1988; a
qual iniciou com as CPIs dos Correios e do Mensalão o acompanhamento da tragédia dos apátridas, inimigos do povo

POVO BRASILEIRO EM INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO EM FORO DE SOBERANIA
NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS

brasileiro, que restam ao sepultamento da História, como estrebuchamentos imundos do respectivo suicídio de poder
plenamente concluído sem deixar feridas machucando a UNIDADE SAGRADA DA NAÇÃO.
E, nesse suicídio de poder, Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Vana Rousseff, Michel Miguel Temer
Lúlia se evidenciam plenamente identificados como os mentores, chefes, comandantes e principais beneficiários na
organização transnacional criminosa terrorista; e nesse grau, CULPADOS pelo extermínio de mais de 5 milhões de
pessoas; o roubo do País de mais de R$ 36 trilhões; e a destruição da Pátria a estado de massa falida de um terço do
tamanho econômico do Brasil em 2.003; em cujo estado, elimina 53 mil pessoas e aleija e fere outras 135 mil por ano só
nos corredores de extermínio em que virou a malha viária rodoviária e urbana do Brasil; elimina 94 pessoas por dia nos
corredores de extermínio do SUS; elimina 174 pessoas por dia no arraial da criminalidade comum, onde é registrada uma
ocorrência criminosa a cada 0,11 minutos; 100 mulheres e crianças são estupradas por dia; 503 mulheres são agredidas
por hora; e 14,3 milhões de pessoas estão estocadas ao extermínio pela tortura terrorista do desemprego, no País falido.
E, como continuam em estado de flagrantes delitos, Suas PRISÕES JÁ ESTÃO AO ENCARGO DA POLÍCIA FEDERAL, SOB O
RESPALDO BÉLICO DAS FORÇAS ARMADAS NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DO POVO NO COMANDO DA
INTERVENÇÃO EM 89.323.489 CONSTITUINTES.
II. O SANEAMENTO DA VACÂNCIA NA INSTITUIÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA.
Imediatamente à apresentação de Dilma Vana Rousseff & Michel Miguel Temer Lúlia à Justiça Federal
em Curitiba-Pr., o COMANDO DA INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO no exercício direto do poder, dará
posse ao Presidente Constituinte Interino do Brasil perante o Congresso Nacional em grau constituinte de Foro de
Soberania instituído pelo art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. I,III, e o art. 84 inc. XIII com o art. 142 e o art.
78 da Constituição.
Como a Constituição alicerça a representação mandatária, as investiduras e as funções públicas
sobre o dogma da dignidade humana, personificado pela moral pública no art. 1º inc. III e Parág. único com o art. 37
caput e § 4º, com o art. 5º caput e inc. LXXIII, com o art. 15 inc. V, o art. 85 inc. V e o art. 101 dela, constituindo a
legitimidade intrínseca da ordem jurídica e do regime democrático que definem as fronteiras da tripartição, qualificam
a jurisdição e fazem soberanas as leis e as decisões de governo e de justiça, a desqualificação moral dos mandatários
da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, pelo estado de marginalidade, bandalheiras e banditismos que os
envolve, no corpo de delito do País, apresentado pela Polícia e Justiça Pública, rompeu o Estado Democrático de Direito
na fusão do voto com a bala em esfera dos Poderes Constitucionais; primeiramente, na organização corporativa terrorista
em atentado contra a Constituição, em que se transformou o efetivo presidencial do Poder Executivo com os efetivos
parlamentares do Poder Legislativo e o efetivo magistral do Poder Judiciário na refabricação do “mandato criminoso” de
Dilma Vana Rousseff para Michel Miguel Temer Lúlia, pela engendração terrorista nojenta do “impeachment da Dilma;”
envolvendo a redistribuição do roubo do País entre as respectivas gangues; depois pela desqualificação moral
emergente da individualidade garantida pelo Estado Democrático de Direito no art. 1º inc. III e Parág. único, com o
art. 5º caput e incs. II, VI, XLXXIII e §§ 2º,3º da Constituição. Cuja estrutura constitucional do mandato, da investidura e
da função impõe aos respectivos titulares, o DEVER CONSTITUCIONAL de exigir a exclusão do respectivo meio, do
bandido, marginal, ladrão, crápula, que logrou se infiltrar ali. Como ninguém fez isso, resultam os respectivos efetivos
dos três poderes abrangidos em grau de Foro de Soberania, pela qualificação universal de Direito Penal: “Quem, de
qualquer modo se associa para a prática de crimes, não pode invocar isenção de culpa.” E o art. 5º caput da
Constituição não é individualista e sim institucional. Por isso, já se auto regulamenta no seu inciso I; não deixando dúvida
de que a norma é dogmática e não disciplinar. Como não poderia deixar de ser diante da lição pedagógica antiquíssima:
“Para tirar os bandidos da rua, se tem de tirar do poder, aqueles que, nas respectivas investiduras de autoridade,
produzem a degeneração moral que os gera.” Daí, a Constituição não poderia assegurar abrigo a bandidos; pelo
menos, não a Constituição brasileira, que as Forças Armadas produziram por missão desempenhada por Celio
Evangelista Ferreira na sua construção dogmática.
Daí, rompido o Estado Democrático de Direito em sua fundação nuclear, emergiu o POVO EM FORO DE
SOBERANIA EM AUTO DEFESA DA CONSTITUIÇÃO E LEGÍTIMA DEFESA SOCIAL DA NAÇÃO, NAS FORÇAS ARMADAS, POLÍCIAS

POVO BRASILEIRO EM INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO EM FORO DE SOBERANIA
NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS
MILITARES, POLÍCIA FEDERAL, MINISTÉRIO PÚBLICO, ORDEM DOS ADVOGADOS E SUAS ENTIDADES CIVIS,
POR INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO tipificada pela RAZÃO DE ESTADO, CRISE INSTITUCIONAL DE
ESTADO, ASSALTO AO PODER PELO FORO DE SÃO PAULO, FALÊNCIA DO PAÍS E CAOS SOCIAL. Impondo: 1) recuperação da
sua vocação de liberdade; 2) restabelecimento do Estado Democrático de Direito; 3) restauração da unidade da nação;
4) reencaminhar do País para o trabalho; 5) reconstrução da soberania nacional no contexto mundial.
E então, dará posse na Instituição da Presidência da República, ao cidadão Celio Evangelista Ferreira
do Nascimento, em evento de cidadania no Congresso Nacional, presidido pelo Exmo. Sr. Procurador-Geral da
República, na execução do art. 127 da Constituição. Sendo tolerável a nomeação dele por Dilma Vana Rousseff, porque
ele foi escolhido por eleição do Colégio de Procuradores e aprovado pela maioria absoluta do Senado Federal. E, se a
Constituição suporta a “delação premiada” no seu art. 5º incs. XXXVII, a INTERVENÇÃO não fará antecedente licencioso
perante ela, no fato de suportar essa nomeação, face ao desempenho ponderado, mas produtivo do Exmo. Sr.
Procurador-Geral, contra a bandidagem terrorista no poder, que a Polícia Federal lhe apresenta. Não é o caso do
Supremo Tribunal Federal com o recebimento dos “Ministros” de Dilma e Temer, sob o seu próprio repúdio público nos
repetidos vereditos dos Ministros Gilmar Mendes, Marco Aurélio de Mello, Celso de Melo, e desassombrado desempenho
contra o dogma da moralidade pública; ferindo-se a si próprio no art. 101 da Constituição.
A gradação do art. 80 da Constituição resulta inexistente em virtude de Dilma Vana Rousseff e Michel
Miguel Temer Lúlia não serem titulares constitucionais de mandato presidencial, mas, estarem no cargo de Presidente
da República em flagrante delito de esbulho por assalto ao poder feito com dinheiro roubado da nação; bem expostos
pelo corpo de delito do País e os vários persecutórios penais que os envolve. E, não havendo mandato de Presidente da
República, não há investidura substituível e nem sucessória.
Ausente, também, está a hipótese do art. 81 § 1º,2º da Constituição, porque o cargo de Presidente da
República está vago desde o dia 31 de dezembro 2.014. Sendo, a ação de “cassação de mandato da Dilma” no Superior
Tribunal Eleitoral, um atentado terrorista à Constituição, da mesma gravidade institucional do pleito pelo qual ele foi
fabricado nas urnas eletrônicas. Tanto é que se trata de rezinga entre a bandidagem comunista terrorista no poder, que
Michel Temer tentou frustrar com a refabricação do mandato de Dilma para si, pelo “impeachment da Dilma.” De modo
que se instalou o Foro de Soberania em toda a sua plenitude constituinte do art. 1º incs. I,II e Parag. único da Constituição,
nos precisos termos da originalidade do Constitucionalismo: “Quando o Estado se acaba, restam os homens em armas
para se reorganizar pela hombridade, a honradez, o caráter e a lucidez.” E a anarquia terrorista em que virou o País
nas garras de quadrilhas, gangues e corporações de bandidos se comprova justamente com o estado de vacância na
Presidência da República, já há mais de dois anos, em manipulação no STE objetivando “legalizar” o mandato de Dilma
produzido por roubo da nação e fabricado nas urnas eletrônicas e refabricado a Temer na Câmara e Senado, pela “perda
de objeto” que esperam pelas eleições de 2.018. Pois, aos bandidos no poder não interessa o estado de ilegalidade,
ilegitimidade e instabilidade do Regime, porque, para roubar o País, massacrar a Nação e destruir a Pátria é exatamente
assim que ele deve estar.
III. – A INVOCAÇÃO:
A democracia constitucional brasileira é imune a golpes. Se suportou a baderna oligárquica
comunista fundamentalista terrorista de bandidos que se instalou no Brasil nos últimos 14 anos, foi para que essa
bandidagem se absorve no colonialismo subdesenvolvido renitente e se expurgasse nele, da civilização brasileira pelo
suicídio de poder, que, lá em 1970 as Forças Armadas, então no governo, suspenderam o canteiro de obras de
construção da Pátria, para que ele ocorresse. E não foi pro visão profética, mas, porque, conhecendo, como se conhecia
o currículo de cada indivíduo desses, se sabia que, no poder, eles não iriam fazer outra coisa, senão roubar, massacrar
e destruir a nação até se auto expurgarem da civilização brasileira.
E as Forças Armadas, cujo sacerdócio é a guerra, têm por alvo da vocação, o ser humano, no qual
têm de atirar se a Pátria, em sua nação, em seus símbolos, em seus valores, em sua história, em suas tradições, estiver
sendo atacada. Por isso, antes do cabal adestramento com as armas, o Soldado tem domínio cabal da espécie humana

POVO BRASILEIRO EM INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO EM FORO DE SOBERANIA
NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS
em seu existencialismo, anseios, equívocos, dolo e culpa. E isso está bem construído na Constituição que elas
produziram. Logo, a INVOCAÇÃO ao Poder Legislativo, em toda a sua distribuição federativa, é no sentido da rendição
ao bom senso que a Constituição impõe. Vez que a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO é
constitucional, institutiva e legítima; como os Exmos. Srs. Comandantes Militares, pelo Exmo. Gen. de Ex. Eduardo
Dias da Costa Villas Boas ponderaram a Michel Miguel Temer Lúlia. De maneira que, em se apresentando provocação
à Segurança Nacional, o POVO NAS FORÇAS ARMADAS REAGIRÁ AO GRAU DE JUSTIÇA QUE AS MAIS DE 5 MILHÕES DE
PESSOAS ELIMINADAS EXIGEM.
Pois, em regime de ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA, os efetivos da Presidência da República, Congresso
Nacional e Supremo Tribunal Federal estão abrangidos pelo art. 5º caput da Constituição, que não distingue entre a
pessoa outorgante do mandato e por ele, das investiduras e funções, e a pessoa outorgada para o exercício da
representação. Ou seja, não faz diferença entre o ladrão de galinhas e o ladrão dos cofres públicos; nem entre o
ladrão solitário no campo da marginalidade comum, e os ladrões quadrilheiros no poder.
Quartel da 15ª Bda. Inf. Mec., 5ª Div. Ex. 3ª RM, 05 de junho de 2.017.
COMANDO DA INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO.
Celio Evangelista Ferreira do Nascimento – Forças Armadas – Polícia Federal – Polícias Militares – Polícias Civis
– Agentes Penitenciários – Ministério Público Federal – Ordem dos Advogados do Brasil – Justiça Federal –
Associação Comercial e Industrial de Cascavel – ACIC – TV Tarobá

POSSE DA PRESIDÊNCIA.PDF

Anúncios

Comentários desativados em MINHA POSSE NA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Arquivado em Documentos, Forças Armadas, Notícias do Front, PROJETO AMAZÔNIA

Os comentários estão desativados.