ESCLARECIMENTO À POPULAÇÃO

Imagem 2

CARTA DE ESCLARECIMENTO ÀS POLÍCIAS MILITARES, POLÍCIAS CIVIS, AGENTES PENITENCIÁRIOS, POPULAÇÃO CARCERÁRIA E POPULAÇÃO QUE ESTÁ ENFRENTANDO A BANDIDAGEM COMUNISTA TERRORISTA. ATRAVÉS DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL & ESTADUAL E POLÍCIA FEDERAL. O POVO BRASILEIRO formado pela tríade constituinte originária: Nação-TerritórioSoberania, autoproclamado no Preâmbulo da Constituição em Poder Constituinte, denominado nela de cidadania, pelo qual se institui em Estado Democrático de Direito no art. 1º caput e incs. I,II e Parágrafo único, com o art. 4º incs. I,III da Constituição, e se constitui em Ente Político de civilização, distribuído em organização federativa pela mesma, através das Constituições Estaduais e Leis Orgânicas Municipais; bifurcado em: a) poder político constitucional rotativo indireto nos partidos políticos no art. 1º incs. II,V e Parág. único, com o art. 14 incs. e §§ e art. 17 incs. e §§, art. 27 § 1º, art. 28, art. 29 inc. II, art. 46, o art. 76, e o art. 80 da Constituição, no Colegiado Mandatário composto do Presidente e Vice-Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado federal e Presidente do STF; b) força militar constituinte permanente direta, formada das patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II,III, o art. 84 incs. XIII, e o art. 142 com o art. 91 inc. VIII e o art. 80 da Constituição, no Colegiado Constituinte, composto dos Comandantes Superiores da Marinha, Exército e Aeronáutica; com personalidade jurídica instituída no art. 2º e art. 18 da Constituição na UNIÃO FEDERAL, CNPJ nº 29.979.036/0001-40, sediada no Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes, Brasília/DF, ora com endereço operacional no Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF., em FORO DE SOBERANIA pelo exercício direto do poder nos termos do art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II, III, VIII, o art. 5º caput e incs XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art. 37 caput, o art. 84 inc. XIII, com o art. 142 e o art. 80 com o art. 91 inc. VIII, mais o art. 144 da Constituição, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001, e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU, com o Decreto n. 5.639 de 26.12.2005, e o Decreto n. 4.388 de 25.09.2002, face estar presente no corpo de delito do País a RAZÃO DE ESTADO, CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO, ASSALTO AO PODER PELO FORO DE SÃO PAULO, FALÊNCIA DO PAIS e CAOS SOCIAL, que rompeu o Estado Democrático de Direito na fusão do voto com a bala no mandato-patentes de Presidente da República e extinguiu eficácia à Magistratura de Estado desprovendo o Processo Histórico de regência institutiva e dando emersão ao povo em reação de cidadania para: RECUPERAÇÃO DA SUA VOCAÇÃO DE LIBERDADE; RESTAURAÇÃO DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO; RESTABELECIDMENTO DA UNIDADE DA NAÇÃO, e REENCAMINHAMENTO DO PAIS PARA O TRABALHO, pelo cidadão Celio Evangelista Ferreira do Nascimento, brasileiro, jurista, com título de cidadania instituído pelo art. 14 § 1º, inc. II, b, da Constituição e cadastro eleitoral nº 0038.4759.0647/ Brasília/DF, telefones: (67) 98121-80.64 (45)99850-40.46, cexvanaverba@hotmail.com – facebook/celio evangelista, na liderança constitucional do POVO NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS T POVO BRASILEIRO EM INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO EM FORO DE SOBERANIA NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMANDAS. por este ATO INTERVENTORIAL DE CIDADANIA na INTERVENÇÃO CONSTITUINTE no Processo Histórico instalada, recebida, aceita e homologada pelos poderes constitucionais, Ministério Público e Ordem dos Advogados do Brasil, sob pronunciamento promulgatório do Supremo Tribunal Federal em sua esfera constituinte, no procedimento constante do PO 1300820 – 7.2.2013/ACFA, formalizado pelos PROTOCOLOS: STF Pet. 142098/08.10.2008, STF 0038341, 29.2.2012, PR CODIN/POT/19.02.2012; SF29.02.2012; SF17.07.2012; SF11.06.2012 STF; PGR CD PR SF; CFA 117.419 29.02012 30.05.2012, 10.10.12; DPF/MS 08335.025373/2012- 65 27.11.2012; DPF/ MS 335.005016/2013-61 28.01.2013; DPF/DF 08001.08335.0032 35/2002-5; 08001.008976/2012-74; 08001.014173/20 12-59 – COGER/DPF; 08200.008079/2013-03; 08200.008592/2013-96; DPF/CEVEL-R 02.05.2013; MPF/MS- 00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 000 07 443 /2014 – 00007787/2014 R 02.05.2013; MPF/MS- 00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 000 07 443 /2014 – 00007787/2014 – A.D. SF 15492345 1 BR; MPE/MS-PGJ – 043779-2/2; 018742-2/2019223-2/2M; CD 006198- 30.9.13; SPF 08335,006262/ 2014-11; PGR 00001654/2014; PGR 0007443 PR 04.09.2013; PR JG 642440674BR STF AR-J6603237679BR; PF 08335.018120/2014-05; PGJ 022451-2/2; 022450-2/2 022450-2/2; 018742-2/2; 019223-22/, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, PGR 10058/2014. STF SF 82200437/2014; STF PE 6197258220; ACFA PE 513259353JH; STF PE 513269996JH; STF PE 619725820JH; PRM-CAC-PR 10058/2014; PR PRM-CAC-PR 00010318/2014, além de outros, ESCLARECE A POPULAÇÃO SOBRE O PODER QUE CADA CIDADÃO(Ã) TEM COMO MEMBRO DO PODER CONSTITUINTE QUE CRIOU O ESTADO COM OS LEGISLADORES, A POLÍCIA, A JUSTIÇA, OS PROMOTORES PÚBLICOS, OS ADVOGADOS E A CADEIA. No Brasil, as Forças Armadas não são poder. São o revolver do POVO que é o PODER CONSTITUINTE feito de Nação-Território-Soberania. Os quartéis são o coldre do revólver que se compõe dos soldados com as armas, as munições e os veículos de deslocamento. Como poder constituinte o povo se faz Estado criado pela Constituição que é a fonte dogmática da civilização brasileira identificada pelos Símbolos, Valores, História e Tradições; para ser operado pelo Direito que está distribuído nas instituições que formam a ordem jurídica, e na representação mandatária que forma o regime democrático; e consolidado pela Justiça expressada pela cultura, o progresso e a qualidade de vida da nação que dá o lugar que o País tem no mundo entre os povos. As Forças Armadas não são do Estado e nem do Presidente da República. Elas são do povo que delega ao Presidente da República as patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas. Seria uma loucura se o povo armasse o Presidente da República sobre si. Assim, para as Forças Armadas saírem às ruas sobre o povo, seja por qual motivo for e sobre que parte da população for, elas têm de estar atendendo convocação do povo no cumprimento da Constituição. E o povo se constitui das pessoas livres e de bons costumes e das pessoas que estão presas e de má conduta, que tenham título de eleitor. Por isso, para o Presidente da República mandar tropas das Forças Armadas por pedido de governador, esse pedido tem de estar fundado no art. 142 da Constituição, e ter gerado o processo de intervenção que a Constituição impõe. Por simples pedido de governador, nenhuma tropa das Forças Armadas pode ser deslocada dos quarteis, porque isso afronta a unidade republicana federativa constituinte, que faz todos os Estados serem partes nas Forças Armadas. As patentes civis de comando supremo e autoridade suprema se distribui a todos os governadores que a ela estão vinculados com as Polícias Militares que são forças auxiliares do Exército. Por isso, a Constituição tem a Instituição Administrativa da Intervenção na Magistratura de Estado, que o Presidente da República tem de cumprir. Fora disso ele se tipifica um ditador, tirano, fora da lei, e as troas ao seu serviço decaem da condição de Forças Armadas para a de bando armado de bandidos terroristas em massacre da população. Situação esta que erige o povo em legítima defesa pessoal, da sociedade e da Constituição. E a legítima defesa diz que ataque por agressão armada deve ser revidada com violência redobrada, porque este é o pressuposto dessa instituição. Se a pessoa está sendo agredida por um bando armado atirando nela, a sua legítima defesa lhe exige que ela se defenda com um grupo de pessoas mais numeroso e mais armado. Legítima defesa pressupõe vitória. T POVO BRASILEIRO EM INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO EM FORO DE SOBERANIA NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMANDAS. Governador de Estado não pode pedir tropas das Forças Armadas para fazer Segurança Pública, combater motins em presídios, revistar presidiários e substituir a Polícia Militar que, na execução do dogma da dignidade humana, que está sendo atacada por governador, se aquartela. Pois, o aquartelamento é a instituição de auto defesa da Constituição quando ela está sendo atacada por governador terrorista, em seu art. 1º incs. II,III e Parág. único com o art. 3º incs. I/IV, art. 4º inc. II e art. 5º caput e incs. Porquanto, acima de serem policiais, os soldados das Polícias Militares são CIDADÃOS EM PERMANENTE AUTO DEFESA DA CONSTITUIÇÃO. Assim, ainda que o aquartelamento da Polícia Militar não tenha se instalado pela fórmula jurídica, o auto recolhimento das tropas nos quarteis, não configura greve e sim aquartelamento. Pois a recepção do exercício da Instituição da Cidadania não foi regulamentado. Dai, do jeito que os cidadãos o exercerem ele se impõe pela constitucionalidade. E, quem tem de ser preso como bandido comunista terrorista é o governador estadual que ocasionou o aquartelamento. A isso se acresce o fato de que Dilma e Temer não são presidentes da República, e sim, bandidos comunistas terroristas, ladrões do País em usurpação desse cargo público por assalto ao poder feito pelo Foro de São Paulo através do pleito eleitoral de 2.014 promovido com dinheiro roubado da Petrobras, BNDES, Eletrobrás, Eletronuclear, Cofres Públicos e do povo, e mandato fabricado nas urnas eletrônicas para Dilma, e refabricado pela Câmara e Senado para Temer pelo “impeachment da Dilma.” Disso decorre que está vaga a Presidência da República e, de consequência, os Comandos Superiores das Forças Armadas, porque os comandantes nomeados por Dilma e Temer resultam em formação de quadrilha terrorista com os mesmos. Daí, tropas do Exército e da Marinha sobre o povo alegando intervenção na Segurança Pública, são só bandidos comunistas terroristas na prática do roubo do País, massacre da Nação e destruição da Pátria. E por isso, a população, independentemente de quem sejam as pessoas vítimas, está no exercício direto do poder, em legítima defesa de si, da família, da sociedade e em auto defesa da Constituição que é a nação. E nessa condição, a legítima defesa não limita o respectivo desforço, que vai desde o tapa até a bala. A Lei 10.826/2003 que impôs o desarmamento da população ordeira, é um ato terrorista atentatório contra a Constituição, que apenas se repetiu aqui, de todos os países que passaram pela experiência do banditismo comunista. E o que é inconstitucional tem de ser repelido pelo povo em armas. Além disso, o ataque terrorista à Constituição que a quadrilha terrorista armada está praticando sobre a população, derroga a “lei do desarmamento” pelo instituto da legítima defesa que equipa a Instituição da Cidadania. E todas as pessoas resultam com o dever constitucional de se armarem para defender a si e a Constituição. Então, os “soldados” da Marinha que mataram um cidadão nas ruas da cidade do Rio de Janeiro, no dia 16.2.017, são bandidos terroristas em formação de quadrilha com a bandidagem comunista terrorista; e comprovaram o massacre terrorista da nação pela bandidagem comunista terrorista entrincheirada no Palácio do Planalto, que a Polícia Militar do Estado do Espírito Santo mostrou ser as entranhas do Regime. Esses soldados são dos 14% de bandidos terroristas infiltrados nas Forças Armadas, dos quais, são nomeados os Comandos Superiores da Marinha, do Exercito e da Aeronáutica e são: o Alm. de Esq. Eduardo Bacellar Leal Ferreira, Gen. de Ex. Eduardo Dias da Costa Villas Boas, (de passado registrado no estado em que deixou as fronteiras do Brasil em seu Comando da Amazônia), e Tnte. Brig. do Ar. Nivaldo Luiz Rossato. Cujo desmantelamento e prisões já foi apresentado à Corte Constituinte, como o art. 1º incs. I,II e Parág. único com o art. 102 caput da Constituição determina. Ficando claro, pois, que as Forças Armadas não se confundem com essa porcentagem de bandidos comunistas terroristas que as infestam. E justamente por isso, a INTERVENÇÃO está se operando pela estratégia de “fisgar a bandidagem terrorista e deixar que eles se movimentem;” porque é por esses movimentos que o suicídio de poder está realizando o auto expurgo deles do poder; agora, na fase do estrebuchamento de entranhas, agora, na fase de revolvimento entre a bandidagem de campo e bandidagem no poder. Então, o POVO EM INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO, reconhece a Polícia Militar do Estado do Espírito Santo como heróis da nação e, PELA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL lhe garante plenitude de cidadania em sua investidura de Segurança Pública e como força auxiliar do Exército, de Segurança Nacional. E desde já, por este ato interventorial de cidadania, registra a gratidão da nação que, nesse desempenho de bravura constitucional impôs a HONRA DA NAÇÃO em massacre à avaliação do mundo vítima do terrorismo, pelo grau de dizimação que está escondido no massacre terrorista que sofre. Não existe a figura do banditismo extrapolado da Segurança Pública para ser combatido a céu aberto por contingentes das Forças Armadas. Quando isto ocorre se tem uma guerra civil por desintegração social, quando marginais e populações atacadas se combatem entre si, e em cujo meio a Polícia Militar perece; ou, um massacre terrorista, quando não há reação de parte da população vítima. No caso presente, se tem um massacre comunista terrorista da nação que foi instalado em 2003 pelo “Projeto de Poder do PT de Comunizar o Brasil Em 22 Anos” pela farra do PT no poder, através do crime organizado no governo, operado por gangues políticas e gerido por corporações quadrilheiras, com “bandidos escondidos atrás de mandatos fazendo leis para bandidos escondidos atrás da toga manter o terrorismo acordado como sistema de poder e a corrupção partilhada como forma de governo;” na qual o banditismo se bifurca em bandidagem no poder aninhados no erário público e ocupados em roubar o País, massacrar a nação e destruir a Pátria, e bandidagem de campo aninhados no “fome zero” e ocupados em matar, assaltar, estuprar, traficar drogas e aterrorizar a nação. Nessa situação se acabou o Estado, porque o bom senso não admite bandidos combatendo bandidos em nome da “paz social;” bandidos condenando bandidos em nome da “justiça.” (Ressalvando que as Polícias Militares não são bandidos, mas não se sobrepõem aos criminosos porque o banditismo está no poder que as comanda). Daí sofrem a situação advertida pelas escolas de inteligência: “Para tirar os bandidos da rua, se tem de tirar do poder, aqueles que, nas respectivas investiduras de autoridade, produzem a degeneração moral que os gera.” A Constituição estabelece que a lei tem de ter origem na moralidade pública, que cultue a dignidade da pessoa humana, a condenação judicial tem de se nutrir do poder de coação do Estado, e o sistema carcerário tem de ser correcional educativo para reintegrar os condenado à sociedade no final das condenações. Mas, a bandidagem comunista terrorista no poder expandiu a marginalidade pela indústria de transformação de esposas em prostitutas, maridos em cafajestes e filhos em bastardos; a indústria de transformação das escolas públicas em bordéis de iniciação das crianças na prostituição, cafajestismo, vício, vadiagem e marginalidade; a indústria de destruição da família, com os filhos erigidos em legítima defesa putativa contra os pais, se estes quiserem educa-los e ensiná-los trabalhar, por onde inventaram o campo de enriquecimento fácil pelos cofres públicos, do Ministério Público, Conselho Tutelar e Poder Judiciário, e por mais de 30 tipos de alojamentos de vadios no erário público; e transformaram a justiça em “antro de bandidos escondidos atrás da toga, e vagabundos que se impõe pela intimidação na mercadejação forense de sentenças.” Ai, tendo-se de chamar bandidos de “excelência,” com a nação submetida ao banditismo comunista terrorista composto da bandidagem no poder e bandidagem de campo, não é insensato e nem incoerente, o POVO AVALIAR ENTRE UNS E OUTROS PARA DIZER À ANAÇÃO, COM QUAL DAS CONGREGAÇÕES DE FASCÍNORAS DEVE FICAR. Ai, no balanço geral dos 14 anos do “Projeto de Poder do PT de Comunizar o Brasil Em 22 Anos,” verifica-se que a congregação que deve ser ELIMINADA é a da bandidagem no poder, que roubou o País até reduzi-lo a estado de falência, a um terço do seu volume econômico de 2.003; com uma dívida pública impagável de mais de R$ 5 trilhões; e sua destruição física que, só nos corredores de extermínio em que viraram as estradas, assassina 53 mil pessoas e aleija e fere outras 135 mil por ano; massacrou a nação até reduzi-la a uma decomposição humana que já eliminou mais de 5 milhões de pessoas e deixou outras 13,3 milhões de pessoas nos corredores de extermínio da miséria pelo desemprego; assassina 94 pessoas por dia nos corredores de extermínio do SUS, com a nação destruída por estresse, depressão, ansiedade, epidemias e insalubridade ao índice de 88,9% de pessoas doentes, amontoadas para a morte nos alojamentos da bandidagem que rouba o País na Previdência Social, da qual, pela modalidade de “ajuste fiscal,” inventada por já não haver mais o que roubar, no ano de 2.015 roubaram R$ 11,8 bilhões. Nesse balanço, verifica-se que a bandidagem no poder está organizada sobre a nação por 35 organizações de vadios alojadas no erário público, dentro do Partido Comunista Terrorista ÚNICO, que se dissemina por elas para, a cada dois anos, se arregimentarem em “coligações eleitoreiras” para redistribuir, federativamente, o País entre si, como despojo das urnas, pelas “bases parlamentares,” “governo participativo” e “coalisões políticas,” que agregam os três poderes que já foram constitucionais e hoje são antros do banditismo terrorista. E isso é muito mais prejudicial e mais aviltante do que a organização da bandidagem de campo por 4 grupos compostos do CV, PCC, PDF e SC, cujos custos para a nação, não chega a um quinto do custo da organização de manutenção da bandidagem no poder. Além disso, a bandidagem de campo integra o massacre terrorista da nação, na qualidade de depósito humano em extermínio pelo terrorismo penitenciário, que é igual o extermínio pelo terrorismo do SUS; pelo terrorismo do sistema viário; pelo terrorismo da educação; pelo terrorismo do desemprego; pelo terrorismo geral da falência do País, que diariamente deixa famílias sem fonte de sobrevivência no ESMAGAMENTO TERRORISTA PELO” ESTADO” feito pela extorsão tributária, extorsão de custos, extorsão de juros, “ajustamento fiscal,” “suspensão de investimentos públicos” e prejuízos de toda a ordem, que a bandidagem comunista terrorista inventa para manter o Estado 9,8% maior do que a iniciativa priva, com mais de 50 mil agencias cartoriais de governo e mais de 150 mil alojamento de vadios no erário público, mantidos com emissões de real frio por picaretagens com títulos públicos, falcatruas contábeis e estelionato estatístico. Nesse contexto a bandidagem de campo está sofrendo no massacre que lhe resulta do seu revolvimento no banditismo comunista terrorista, violação hedionda dos direitos humanos e de suas garantias constitucionais de dignidade humana, vez que a Constituição institui o sistema carcerário como escola correcional de recuperação social, e ele está transformado em sistema de extermínio terrorista dessa população ali amontoada como resíduo social desprovido de humanidade. E nessa situação, a Constituição lhe impõe a REAÇÃO DE CIDADANIA DE SUA AUTO DEFESA E DE LEGÍTIMA DEFESA PESSOAL E SOCIAL. POR TODOS OS MEIOS QUE A INTELIGÊNCIA HUMANA ALCANÇA. Além do que, o massacre terrorista que sofrem pela tortura carcerária da super lotação, promiscuidade, insalubridade, fornecimento de drogas e todas as demais torturas que os presos suportam, anulam suas culpas e os redimem pelo dever constitucional de legítima defesa. Pois, tipifica-se ESTADO DE MASSACRE COMUNISTA TERRORISTA DA NAÇÃO, que a divide em diversos depósitos de vítimas, dentre eles, o depósito de presos. Nessa situação, os Agentes Penitenciários e as Polícias Civis se tipificam como carrascos. Cujos, na civilização contemporânea recebem a qualificação de terroristas. E como tais, bandidos da pior espécie, que são sumariamente eliminados em todo o mundo onde sejam flagrados na prática do terrorismo. E não há prática terrorista mais macabra do que o terrorismo carcerário brasileiro trazido pelo “Projeto de Poder do PT de Comunizar o Brasil Em 22 Anos,” pela prosperidade de 1.024% que deu à criminalidade, procedente da fusão da marginalidade com a política. E então, seria, sim, incoerente, rejeitar esse contingente de mais de 3,6 milhões de pessoas destemidas que, diante da miséria sem solução, produzida e imposta pela bandidagem comunista terrorista no poder, estão empreendendo a sobrevivência sem nenhum apreço à vida, porque não há alternativa: Ou traficam drogas, assaltam e roubam, ou perecem pela fome e infestam a nação com tragédia pior que lhe virá das contaminações bacteriológicas e viróticas desse tipo de auto extermínio. ISTO POSTO, Assentado sobre o corpo de delito do País, à luz do Direito, da Teologia, da Sociologia e do bom senso na execução da Constituição, o POVO 1) RECONHECE OS EXCELENTÍSSIMOS BANDIDOS QUE ESTÃO SOB TORTURA TERRORISTA AMONTOADOS NAS PRISÕES E NA DESESPERANÇA DE SOBREVIVÊNCIA, ORGANIZADOS PELO CV, PCC, PDF, SC, POR SUAS INVESTIDURAS DE CIDADANIA, MEMBROS DO PODER CONSTITUINTE PRESERVADO NO ART. 1º INCS. I,II T POVO BRASILEIRO EM INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO EM FORO DE SOBERANIA NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS. E PARÁG. ÚNICO, COM O ART. 3º INCS. I/IV E ART. 4º INCS. II,III DA CONSTITUIÇÃO E ASSIM OBRIGADOS A SE DEFENDER POR TODOS OS MEIOS AO SEU ALCANCE E TODAS AS FORMAS QUE OS ESFORÇOS DE LEGÍTIMA DEFESA ALCANÇAR. OBRIGADOS A REVIDAR ASSASSINATOS E AGRESSÕES PRATICADAS POR TERRORISTAS INFILTRADOS NAS FORÇAS ARMADAS.. 2) RECONHECE O INSTRUMENTO DO AQUARTELAMENTO ÀS POLÍCIAS MILITARES, PARA ELAS SUSTENTAR A AUTO DEFESA DA CONSTITUIÇÃO NO ATAQUE TERRORISTA QUE SOFRE CONTRA A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA, QUE PRESSUPÕE SOLDO, QUALIDADE DE VIDA, SEGURANÇA, EQUIPAMENTO DE TRABALHO E PRISÕES QUE ATENDAM O DOGMA DA DIGNIDADE HUMANA QUE RECEPCIONA A DECLARAÇÃO DOS DIREITOS UNIVERSAIS DO HOMEM, PARA QUE OS POLICIAIS NÃO RESULTEM QUALIFICADOS COM A BANDIDAGEM COMUNISTA TERRORISTA NO MASSACRE TERRORITA DA NAÇÃO, NA ÁREA DOS CIDADÃOS INFRATORES PENAIS. E DECLARA APOIO CONSTITUCIONAL AOS SOLDADOS INDIVIDUALMENTE E ÀS RESPECTIVAS CORPORAÇÕES, EM TODOS OS ATOS QUE CARACTERIZAREM REAÇÃO DE CIDADANIA CONTRA O BANDITISMO COMUNITA TERRORISTA NO PODER. 3) RECONHECE O DIREITO DE PARALIZAÇÃO E AUSÊNCIA DE SUAS TAREFAS AOS AGENTES PENITENCIÁRIOS E ÀS POLICIAS CIVIS, FACE AO ATENTADO CONTRA OS DIREITOS HUMANOS QUE ESTÃO SUSTENTANDO NO MASSACRE DAS POPULAÇÕES CARCERÁRIAS, PARA MANTEREM A BANDIDAGEM COMUNISTA TERRORISTA NO PODER ROUBANDO O PAÍS, MASSACRANDO A NAÇÃO E DESTRUINDO A PÁTRIA. 4) RECONHECE ÀS POLÍCIAS MILITARES, AOS AGENTES PENITENCIÁRIOS E ÀS POLÍCIAS CIVIS QUE, ACIMA DE SUAS INVESTIDURAS, TÊM DE EXERCER O PODER CONSTITUINTE COMO FORÇAS AVANÇADAS DO POVO, CONTRA O BANDITISMO COMUNISTA TERRORISTA QUE TENTA DESTRUIR A CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA E REDUZIR A NAÇÃO À MASSA ESCRAVA DAS RESPECTIVAS CORPORAÇÕES E QUADRILHAS. E, A PRESENÇA DE TROPAS DAS FORÇAS ARMADAS NA SEGURANÇA PÚBLICA, ALÉM DE TIPIFICAR AGRESSÃO DESMORALIZADORA DAS INSTITUIÇÕES POLICIAIS E EXPÔ-LAS A MAIOR SENHA EXTERMINADORA DO QUE JÁ SOFREM, IMPÕE A PRISÃO EM FLAGRANTE DESSES ELEMENTOS, PORQUE ESTÃO NA PRÁTICA DE ATENTADO TERRORISTA CONTRA A CONSTITUIÇÃO, NO MASSACRE TERRORISTA DA NAÇÃO QUE A BANDIDAGEM COMUNISTA TERRORISTA NO PODER QUER PROMOVER ESCONDIDO COMO PERTURBAÇÃO MARGINAL DA ORDEM PÚBLICA. Quartel General do Exército, Brasília/DF, 17 de fevereiro de 2.017 celio evangelista ferreira do nascimento na liderança constitucional do povo no comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas

DOCUMENTOPROTOCOLADO https://celioevangelistaferreira.files.wordpress.com/2017/02/esclarpopul.pdf

Anúncios

Comentários desativados em ESCLARECIMENTO À POPULAÇÃO

Arquivado em Documentos, Forças Armadas, Notícias do Front, PROJETO AMAZÔNIA

Os comentários estão desativados.