INTERVENÇÃO

Imagem 2

SENHOR GEN. DE EX. EDUARDO DIAS DA COSTA VILLAS BOAS EM ESBULHO DO COMANDO DO EXÉRCITO EM FORMAÇÃO DE CORPORAÇÃO TERRORISTA COM DILMA VANA ROUSSEFF E MICHEL MIGUEL TEMER LULIA, NA PRÁTICA DO ROUBO DO PAÍS, MASSACRE DA NAÇÃO E DESTRUIÇÃO DA PÁTRIA.

PELO COMANDO DA 15ª BRIGADA DE INFANTARIA MECANIZADA – COMANDO MILITAR DO SUL.
Protocolo no Comando da 15ª BIM em 13.01.2017.
O POVO BRASILEIRO formado pela tríade constituinte originária: Nação-Território-Soberania, autoproclamado no Preâmbulo da Constituição em Poder Constituinte, denominado nela de cidadania, pelo qual se institui em Estado Democrático de Direito no art. 1º caput e incs. I,II e Parágrafo único, com o art. 4º incs. I,III da Constituição, e se constitui em Ente Político de civilização, distribuído em organização federativa pela mesma, através das Constituições Estaduais e Leis Orgânicas Municipais; bifurcado em: a) poder político constitucional rotativo indireto nos partidos políticos no art. 1º incs. II,V e Parág. único, com o art. 14 incs. e §§ e art. 17 incs. e §§, art. 27 § 1º, art. 28, art. 29 inc. II, art. 46, o art. 76, e o art. 80 da Constituição, no Colegiado Mandatário composto do Presidente e Vice-Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado federal e Presidente do STF; b) poder militar constituinte permanente direto, formado das patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II,III, o art. 84 incs. XIII, e o art. 142 com o art. 91 inc. VIII e o art. 80 da Constituição, no Colegiado Constituinte,
composto dos Comandantes Superiores da Marinha, Exército e Aeronáutica; com personalidade jurídica na UNIÃO FEDERAL, CNPJ nº 29.979.036/0001-40 e sede constitucional em toda a República;
EM FORO DE SOBERANIA pelo exercício direto do poder nos termos do art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II, III, VIII, o art. 5º caput e incs XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art. 37 caput, o art. 84 inc. XIII, com o art. 142 e o art. 80 com o art. 91 inc. VIII, mais o art. 144 da Constituição, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001, e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU, com o Decreto n. 5.639 de 26.12.2005, e o Decreto n. 4.388 de 25.09.2002,
Face estar presente no corpo de delito do País a 1) RAZÃO DE ESTADO, 2) CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO, 3) ASSALTO AO PODER PELO FORO DE SÃO PAULO, 4) FALÊNCIA DO PAIS e 5) CAOS SOCIAL, que rompeu o Estado Democrático de Direito na fusão do poder político com o poder militar no mandato-patentes de Presidente da República e destruiu a Magistratura de Estado, desprovendo o Processo Histórico de regência institutiva e dando emersão ao povo em reação de cidadania para a: 1) RECUPERAÇÃO DA SUA VOCAÇÃO DE LIBERDADE; 2) RESTAURAÇÃO DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO; 3) RESTABELECI -MENTO DA UNIDADE DA NAÇÃO, e 4) REENCAMINHAMENTO DO PAIS PARA O TRABALHO.
Representado constitucionalmente aqui pelo cidadão Celio Evangelista Ferreira do Nascimento, com título de cidadania instituído pelo art. 14 § 1º, inc. II, b, da Constituição e cadastro eleitoral nº 0038.4759.0647/Brasília/DF, CPF 198.285.009-49; na titularidade constituinte interina da Presidência da República, por vacância desde 1º de janeiro de 2.015, em igualdade de condições com todos os demais cidadãos e cidadãs, telefones: (67) 98121-80.64 (45)9850-40.46, por este ato interventorial de cidadania emergente da INTERVENÇÃO CONSTITUINTE no Processo Histórico instalada, recebida, aceita e homologada pelos poderes constitucionais, Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil, Supremo Tribunal Federal, sob conhecimento das Forças Armadas, no procedimento constante do PO 1300820 – 7.2.2013/ACFA, assentado na reação de cidadania STF 142098/2008, formalizada pelos PROTOCOLOS: STF 142098/2008; STF 0038341, 29.2.2012, PR CODIN/POT/19.02.2012; SF29.02.2012; SF17.07.2012; SF11.06.2012 STF; PGR CD PR SF; CFA 117.419 29.02012 30.05.2012, 10.10.12; DPF/MS 08335.025373/2012-65 27.11.2012; DPF/ MS 335.005016/2013-61 28.01.2013; DPF/DF 08001.08335.0032 35/2002-5; 08001.008976/2012-74; 08001.014173/20 12-59 – COGER/DPF; 08200.008079/2013-03; 08200.008592/2013-96; DPF/CEVEL-R 02.05.2013; MPF/MS-00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 000 07 443 /2014 – 00007787/2014 R 02.05.2013; MPF/MS-00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 000 07 443 /2014 – 00007787/2014 – A.D. SF 15492345 1 BR; MPE/MS-PGJ – 043779-2/2; 018742-2/2019223-2/2M; CD 006198- 30.9.13; SPF 08335,006262/ 2014-11; PGR 00001654/2014; PGR 0007443 PR 04.09.2013; PR JG 642440674BR STF AR-J6603237679BR; PF 08335.018120/2014-05; PGJ 022451-2/2; 022450-2/2 022450-2/2; 018742-2/2; 019223-22/, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, PGR 10058/2014. STF SF 82200437/2014; STF PE 6197258220; ACFA PE 513259353JH; STF PE 513269996JH; STF PE 619725820JH; PRM-CAC-PR 10058/2014; PR PRM-CAC-PR 00010318/2014; além de outros, em âmbito nacional e internacional, que encerrou com a intervenção das Forças Armadas no “impeachment da Dilma,” com homologação tácita promulgatória do Senado Federal e Supremo Tribunal Federal desde o dia 06.07.2016,

INFORMA A V.S. DAS SEGUINTES PROVIDÊNCIAS DE COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS PELO POVO E REQUISITA AÇÕES.

1. A SEDE FUNCIONAL, OPERACIONAL E PROMOCIONAL DA INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO, para a fase de efetivação do expurgo da bandidagem comunista terrorista do poder, é no Quartel General do Exército – SMU – 70.830-901 – Brasília/DF. Com postos de mesmos desempenhos no Quartel do CMO, Av. Duque de Caxias, 1.628, B. Amabai, 79.100-900 – Campo Grande-MS. e Quartel da 15ª BIM/GOI Rua Rio de Janeiro, 229, Centro, 85.801-030, Cascavel-Pr. independente de outros que venham a ser requisitados. Para esses endereços a INTERVENÇÃO encaminhará o expediente que surgir do desempenho oficial e oficioso de sua efetivação.

2. Considerando a vacância nos Comandos Superiores das Forças Armadas, o POVO NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDE SUPREMA DELAS, inverte a hierarquia de baixo para cima, assentada no pelotão formado de três soldados rasos, um cabo e um sargento. E será por ele que efetuará a prisão de bandido comunista terrorista infiltrado na hierarquia militar, pela modalidade de usurpação de comando com os bandidos comunistas terrorista Dilma Vana Rousseff e Michel Miguel Temer Lulia.
3. Requisita o Exército para instalar o expurgo da bandidagem comunista terrorista do poder, na execução da INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO, que deve iniciar com a prisão dos bandidos terroristas: Dilma Vana Rousseff, Michel Miguel Temer Lulia, José Renan Vasconcellos Calheiros, Rodrigo Maia e Carmen Lúcia, que esbulham o cargo de Presidente da República por assalto ao poder feito pelo Foro de São Paulo, Instituto Lula, Tribunal Superior Eleitoral e Procuradoria-Geral Eleitoral, através do pleito eleitoral terrorista de 2.014, promovido com dinheiro roubado da Petrobrás, BNDES, Eletrobrás, Eletronuclear, Cofres Públicos e do povo, com o qual fabricaram o mandato de Dilma Vana Rousseff nas urnas eletrônicas e o refabricaram pela Câmara dos Deputados e Senado federal com o “impeachment da Dilma,” para Michel Temer.

4. Esta requisição não exclui V.S. das responsabilidades que lhe pesam no esbulho do Comando do Exército em formação de corporação terrorista com quem lhe nomeou. Mas a insubmissão de V.S. a ela, imporá a sua prisão e responsabilizações miliares e penais.

5 O POVO NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS não admite mais as declarações e instruções aos comandos subalternos dolosamente equivocadas de V.S. sobre a INTERVENÇÃO, que não lhe cabe comentar porque, a Constituição institui V.S. com as armas e respectivas munições, o equipamento bélico na cintura do povo para o mesmo se operar como PODER CONSTITUINTE DE AUTO DEFESA DA CONSTITUIÇÃO E DE LEGITIMA DEFESA SOCIAL Instrumentalizado com a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO. Na civilização constitucionalista brasileira, o SOLDADO É A BALA que só tem estampido quando o POVO ACIONA O GATILHO DAS ARMAS AO ALVO INIMIGO. Quem fala é o povo pelo Estado, quando este existe, e diretamente, quando a ruptura dele na fusão do voto com a bala no mandato de Presidente da República extingue eficácia à Magistratura de Estado e dá emersão ao POVO EM FORO DE SOBERANIA no exercício direto do poder.

6. O POVO NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS condena a hierarquia cega, invocada no Comando da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada – Comando Regional do Sul, porque, só executam ordem sem avalia-la do ponto de vista legal, moral e de bom senso, três tipos de “homens:” 1) o pistoleiro profissional; 2) o covarde; 3) o capacho. E, tais tipos não podem macular a FARDA que guarda, em sua PERENIDADE DIVINA a ETERNIDADE DA PÁTRIA, nos Símbolos, Valores, História e Tradições que identificam a civilização brasileira. E, na hierarquia cega, não importa o número das tropas, porque elas se resumem no déspota que lhes comanda no topo na hierarquia, na qual se tem Dilma Vana Rousseff, assassina de soldado, sequestradora, assaltante, terrorista, praticante de aborto na prostituição da guerrilha e Michel Miguel Temer Lulia que é com ela, tudo isso. Por conseguinte, o tempo do superior hierárquico dogmático e insuspeitável deve se acabar nas Forças Armadas brasileiras, que, na conformidade do mundo cibernético, deve se constituir de SOLDADOS EQUIPADOS DE CÉREBRO, HOMBRIDADE, HONRADEZ, CARATER E LUCIDEZ, DO RECRUTA AO MARECHAL, onde a ordem linear sacrossanta terá óbice intransponível na inconstitucionalidade, ilegitimidade e obscurantismo de propósito.

7. O POVO NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS, não exclui V.S. de responsabilidade com Dilma Vana Rousseff e Miguel Michel Temer Lulia, pelo roubo do País, já em mais de R$ 36 trilhões; massacre da Nação já em mais de 5 milhões de pessoas, e destruição da Pátria com suas fronteiras na Amazônia já internacionalizadas pelo tráfico de drogas, contrabando de armas e o estado de miserabilidade moral e de insegurança em que vive a população brasileira naquela Região, onde V.S. exerceu Comando militar por longo tempo.

8. Lembra que as Forças Armadas, na Constituição brasileira, não são poder. E por isso, não têm investidura decisória, que é do Foro de Soberania, pelo Governo, enquanto este executa a Constituição, e diretamente pelo povo quando este, por traição mandatária, se reinveste da representação e age como poder constituinte de auto defesa da Constituição e legitima defesa social. E por conseguinte, CUMPREM ORDEM CONSTITUCIONAL E REQUISIÇÃO CONSTITUINTE, do jeito que a Constituição institui.

Quartel da 15ª BIM/Cvel/Pr., para Quartel General do Exército/Brasília-DF, 11 de janeiro de 2.017

celio evangelista ferreira do nascimento
na liderança constitucional do povo
no comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas

12507434_1515612322067004_7748742762105429639_n

Anúncios

Comentários desativados em INTERVENÇÃO

Arquivado em Documentos, Forças Armadas, Notícias do Front, PROJETO AMAZÔNIA

Os comentários estão desativados.