MICROCEFALIA

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL
Forças Armadas sob Comando Supremo e Autoridade Suprema do Povo.
EXMO. SR.
DR. DELEGADO DE POLÍCIA FEDERAL EM CASCAVEL/PR
CELIO EVANGELISTA FERREIRA, na missão interventorial de Magistratura de Estado em Foro de Soberania na representação constitucional do POVO NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS pelo exercício direito do poder nos termos do art. art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II, III, VIII, o art. 5º caput e incs. XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art. 37 caput, o art. 84 inc. XIII com o art. 142 e o art. 80 com o art. 91 inc. VIII, e o art. 144 inc. I, § 1º is. I,IV da CF, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001, e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU, com o Decreto n. 5.639 de 26.12.2005, e o Decreto n. 4.388 de 25.09.2002, e impõe perseguições imputatórias em expurgo do poder, por este Ato Institucional de Cidadania, em Foro de Soberania, respeitosamente invoca a V. Excia.,
INSTAURAÇÃO DE PERSECUTÓRIO SOBRE O ATAQUE TERRORISTA DA MICROCEFALIA
inventado e em prática por:
DILMA VANA ROUSSEFF, “assassina, sequestradora, terrorista, assaltante,” ora no comando do roubo do País, massacre da Nação e destruição da Pátria, em usurpação do cargo de presidente da República, por assalto ao poder realizado pelo Foro de São Paulo, José Dias Toffoli e Rodrigo Janot, através de pleito eleitoral terrorista promovido com dinheiro roubado da Petrobras, BNDES, Eletrobrás, cofres públicos e do povo, com o qual fabricaram o mandato dela nas urnas eletrônicas;
TV GLOBO, capitaneando as demais e a Imprensa.
Face os esclarecimentos indiciantes seguintes:
1. É pacifico na Ciência Biológica que não há transmutação genética por infestação viral. Isto porque, cada espécie biológica vegetal e animal, multicelular ou unicelular, tem um código genético, por cuja organização conceptiva a Natureza mantém a ordem distributiva do Sistema Biológico Solar, que rege a dinâmica renovadora da Vida pelo equilíbrio e harmonia do sistema procriador. E por isto, as espécies menos combativas se extinguem pela ação das espécies depredadoras. Assim, os vírus são micro vidas, cada um com a sua determinante genética. Não importa se constituídos de uma única célula ou de um núcleo conceptivo pré-celular.

§. Cada espécie biológica, do núcleo conceptivo à baleia, tem sua determinante genética ÚNICA. E intransmutável. No máximo essa ordem aceita a miscigenação por cruzamentos do mesmo sistema reprodutivo tipificado pela respectiva fórmula físico-química, e que, no máximo altera a aparência estilística das descendências cruzadas, com maior ou menor defesas orgânicas de anticorpos e de PCA. E só isso. Todas as deficiências e monstrificações do modelo biológico têm vocações degenerativas hereditárias que se somam com o registro histórico no código genético.
§. Assim, os vírus são micro vidas, ou núcleos conceptivos, resumidas no respectivo código genético. Daí, o vírus HIV é um, o vírus HIP é outro, o vírus VHA é outro, o vírus Ebola é outro, o vírus Zika é outro, o Rhabolovirus é outro, etc. E por isso, cada um produz o seu tipo de doença no organismo humano. E doença não se confunde com deformação do modelo biológico. Aquela é orgânica existencial, esta é genéticas vital. Os vírus só produzem doenças, JUSTAMENTE PORQUE NÃO SE TRANSMUTAM EM CÉLULAS HUMANAS e nem se fundem com estas. Então, na degeneração celular pela infestação viral do HIV aparece a AIDS; pela infestação do VHA aparece a hepatite A; pela infestação do Rhabolovirus aparece a raiva; pela infestação de algum dos DENV-1,2,3,4aparece a dengue. Jamais ocorre qualquer tipo de monstrificação de estrutura biológica da espécie, pelo simples fato de não haver fusão biológica de DNAs distintos. A transgenia praticada em laboratório é feita pelo cultivo de determinante genética dentro da sua dispersão familiar, que resulta nas formas biológicas híbridas.
§. A microcefalia, quando possa ser responsabilizada por quadro patológico, está associada à causas genéticas. As quais podem ocorrer por alterações do código genético pelo registro histórico da respectiva árvore cromossomática. Isto é, toda e qualquer monstrificação nas espécies biológicas são originárias das respectivas dinâmicas físico-químicas nas descendências. Na espécie humana, da dinâmica constitutiva de sua gênese: procriação-sobrevivência-raciocínio.
§. Os vírus não têm sistema reprodutivo próprio. Por isso são chamados de anti-vida. E por isso, matam o sistema hospedeiro no qual se reproduzem. Mais ou menos como o bicho de pé. Este não é micro vida e sim, espécie biológica porque é dotado de fertilização reprodutiva, porém, desprovido de gestação e natalidade. Daí precisar de hospedeiro para gestar e parir seus ovos.
§. Como microvida, o zika se rege pela divisão celular, que impõe a duplicação do seu DNA, de modo que as duas células filhas recebam a mesma informação genética que a célula mãe. É o processo conhecido como mitose (do Grego mito=tecer, devido ao aspecto filamentoso dos cromossomos). A mitose é dividida nas fases de prófase, metástase, anáfase e telófase. E isto impede fusões transmutativas capazes de impor à geração fetal de uma espécie humana, determinação genética do zika ou de qualquer outro vírus.
§. Há hipótese, para especulação científica, da gestante ser infectada pelo zika e a doença por ele gerada nela, afetar morbidamente o embrião ou feto. E neste caso, é certo que ocorreria o aborto, porque a Natureza tem um código regente da distribuição biológica que elimina na origem as deformações produzidas por conflitos cromossomáticos, que não sejam de natureza hereditária ou de miscigenação.
2. Entretanto, na sequência dos ataques terroristas na cidade de Paris-França, os acusados emergiram aqui com o ataque terrorista de aterramento psicológico da população que surgiu acanhado com a notícia de uma síndrome de microcefalia que havia surgido no estado de Pernambuco com 42 casos, e na notícia seguinte, também no estado de Alagoas, e na medida em que ninguém desmentiu, englobaram 9 estados do Nordeste com 142 casos. E em seguida instalaram o espetáculo incluindo o aedes aegypti como ator principal. E firmaram a bilheteria com a “guerra ao aedes aegypti” com o Exército em campo. E o ataque terrorista se formalizou em todos os seus aspectos dentro da lavagem cerebral que a TV Globo promove. Sem nenhum fundamento real; sem nenhum alerta científico; sem nenhum embasamento histórico; apenas formado de estardalhaço verborreico, oba oba da Globo e fofoca ao grau das sapiências absurdas e falta de senso do ridículo que o PT executa sobre a população a 13 anos, desde os meios de comunicação até as Universidades e na política.
§. Pois, segundo as informação saídas do próprio alvoroço terrorista, de concreto, o script tinha apenas 1 caso de morte de um bebe com microcefalia; 1 caso de morte de um adolescente de 16 anos que “provavelmente morreu de zika vírus” e de 1 homem morto por patologia desconhecida, com os sintomas de ter sido infectado pelo zika vírus.
§. Mas, o ataque terrorista submeteu a população ao pânico, porque “é a Globo que o promove.” E, em 13 anos de comunismo gramscista de lavagem cerebral e destruição da capacidade de raciocínio da população nas escolas, universidade, parlamentos e judiciário, com a Imprensa toda arregimentada ao terrorismo no roubo do País, no qual a TV Globo participa com a maior fatia, e está cumprindo seus objetivos de, no aterramento da população, esconder a bandidagem terrorista no poder na sua ocupação de roubarem o Pais, massacrarem a Nação e destruírem a Pátria.
§. Pois, no roubo do País, promoveram o “combate ao mosquito da dengue,” com distribuição de verbas suplementares e especiais para prefeituras falidas pagarem seus funcionários; vez que tais recursos admitem falcatruas contábeis de acordo com a criatividade dos prefeitos. Contra a qual nenhum vereador se levanta, porque ficaria contra a população que está sendo acudida do zika vírus que faz bebês nascerem com crâneo menor do que a bandidagem no poder estabeleceu como tamanho oficial. E, a Dilma se auto ilude como “deusa salvadora das gestantes.” Embora um dos propósitos da “guerra do aedes” é ela realizar o seu sonho de legalizar o aborto; talvez como amordaçamento de consciência pelos abortos que praticou na prostituição da guerrilha. É só prestar atenção na propaganda que a Globo veicula para se perceber esse propósito. Com gestantes aterrorizadas e submetidas ao flagelo de repelentes, agasalhos e confinamentos, diante de um embrião com “sinais de microcefalia,” não é preciso muita insistência dos terroristas travestidos de cientistas, para ela concordar em abortar. E assim, vão banalizando a aversão que a nação tem a esse tipo de monstruosidade. E, de repente, Dilma sanciona a sua “lei de descriminalização do aborto” como instrumento de “direitos humanos de fetos fadados a nascer com cabeças fora da medida estabelecida,” que socorre também, as mulheres com o “direito humano de não terem filhos com cabeça fora do padrão terrorista estabelecido.”
§. Eis que, as populações de origem germânica são povoadas de pessoas de crâneo pequeno. E são mais dotadas de inteligência do que as pessoas de crâneo grande. E chamam de “cabeçuda” a pessoa com dificuldade de aprendizado, ou que tem equívocos de vida constantes. E não há associação entre o tamanho do crâneo com a síndrome de Down que é causada pela presença de três cromossomos 21 em todas ou na maior parte das células de um indivíduo. E ocorre na hora da concepção de uma criança, por acréscimo de 1 cromossomo no espermatozoide ou no óvulo. É absurdo, pois, o alarido terrorista de que “a microcefalia ocasiona deficiências cerebrais.” Ou, quem forneceu à Natureza a engenharia genética da espécie humana, para lhe estabelecer padrão métrico ou volume de massa? Daí, se o tamanho do crâneo determinasse a massa encefálica, o tamanho do corpo lhe determinaria sua composição orgânica. E, a existência mostra que são tão normais os pigmeus quanto os gigantes.
3. Ora, a dengue foi constatada no mundo no século XIX, quando foi anunciada no Brasil, em 1.865. E ninguém falou no aedes aegypti. Só em 1982 exame laboratorial identificou o soro tipo DENV-1
em Boa Vista-RR; de onde se difundiu o alarme laboratorial que apresenta 4 soros tipo de DENV. E, o Signatário recorda que era muito antigo no estado do Rio Grande do Sul, pessoas morrerem por “diarreia hemorrágica” que chamavam de “caganeira de sangue.” E não havia aedes aegyptis.
§. E o zika vírus foi descoberto em macacos da espécie rhesus na floresta Zika de Uganda, em 1.947, pela equipe de pesquisadores do cientista GW Dick. Daí, se houvesse associação da microcefalia com dengue e zika vírus, aqueles macacos apresentariam a anomalia. E apenas nessa espécie de macacos ele foi encontrado. Sendo que a região era povoada de gente. E, se existia por lá o aedes aegypti, ele não tinha nada que atraísse a Ciência. Mas, se, pelo fato do zika ter sido descoberto ele se inoculou no aedes para apequenar o crâneo humano, em 68 anos do seu descobrimento, a população de Uganda já estaria sem crâneo.
4. A isso se ajunta a invocação de que: “Os pesquisadores da Fiocruz, autores do
estudo que identificou os primeiros casos de transmissão no Brasil, sugerem que uma possível explicação para a entrada do Zika no país tenha sido a presença de turistas durante a Copa do Mundo de 2014.” Entretanto, nas primeiras notícias dos suspeitos, eles informavam que: “O numero de casos de crianças com microcefalia aumentou consideravelmente em relação aos casos aparecidos nos anos anteriores.” Logo, fica manifesto que a bandidagem não combinou bem a montagem da equipe fabricante do enredo.

§. E continuam: “A hipótese da relação entre o vírus e os casos de má formação foi levantada por autoridades de saúde brasileiras depois que mais de uma centena de casos foram detectados em Pernambuco até outubro. Em 17 de novembro, o Instituto Oswaldo Cruz anunciou ter encontrado sinais do vírus no líquido amniótico de duas gestantes cujos bebês foram diagnosticados com microcefalia. Desde então, 1.248 casos de microcefalia foram confirmados em bebês de 14 Estados.” A mentira continua desconcertada, porque, primeiro, teria de ter sido mostrada a constatação científica de que as duas gestantes teriam sofrido de dengue. Pois, é ilógico e cientificamente absurdo, afirmar-se que, o aedes aegyptis seja vetor de seis tipos de vírus, e selecione, na sua picada, qual dos seis inoculará na pessoa picada. Afastada a hipótese dele ser um minúsculo demônio inteligente, porque o aedes não pica as pessoas por maldade mas sim, porque as tem como sua fonte de sobrevivência, movido pelo respectivo instinto comum a todas as espécies viventes.
§. Mas, onde estão as provas clínicas e científicas de que as mulheres gestantes que foram diagnosticadas com “sinais do zika virus” absorveram em seus DNAs o DNA do vírus? Pois, para ele ser transmitido à formação do feto, primeiro ele teria de ser incorporado pela gestante à sua determinante genética. Como vírus, se ele fosse absorvido pela gestante à alimentação nutricional do feto, que não se confunde com a geração biológica dele, teria sido dissolvido como o feijão, arroz, batata e se transformado em nutrientes.
§. E, se o vírus da tuberculose mata o vetor, o vírus da raiva mata o vetor, o vírus da aids mata o vetor, o vírus da dengue mata o vetor e todos os vírus matam os hospedeiros, então o zika virus também mata o vetor ou hospedeiro. Daí, onde estão os aedes aegyptis e as pessoas mortas pelo zika?

TIPIFICADO ESTÁ, POIS, O CASO DE POLÍCIA.
Ou, por quê isto é CASO DE POLÍCIA?
Porque é por essa estratégia que os bandidos terroristas gramscistas fundamentalistas
apodreceram a civilização brasileira e destruíram a inteligência da nação. Dando como resultado esse contexto biológico que ai está, sem definição no acervo de conhecimento acumulado pela Humanidade, e sem identificação na ordem biológica da Natureza. Porém, já constituindo uma escravidão da nação a uma forma de poder que raciocina pelo ânus e defeca pelo cérebro. Cujo objetivo é substituir o trabalho pelo roubo; através do entrevero marginal de todos roubando a todos. E por isso não pode haver laços familiares e nem vínculos hereditários. E daí, a razão da destruição da família, da imposição do aborto, do fomento à prostituição, aos vícios, à vadiagem e a eliminação da hombridade, da honradez, do caráter e do bom senso. O que não é novidade, porque essa é a fórmula dos déspotas governar até que se eliminem pelo respectivo suicídio de poder.
E, do mesmo modo que envolvem a nação no terrorismo psicológico da microcefalia feita por uma idiotice verborreica, também destruíram o Brasil por um roubo superior a R$ 36 trilhões e estão massacrando a nação pela recessão, inflação, desemprego, vício, prostituição e marginalidade, já somando mais de 5 milhões de vítimas.
O que impressiona, o que é extraordinário para a Ciência, é a bandidagem terrorista praticamente analfabeta, ter destruído 500 anos de formação intelectual da nação, em apenas 13 anos de corrupção, prostituição, vadiagem, vício e marginalidade e reduzido o povo brasileiro a um grau de burrice tão profunda que, ser culto, ser doutor pela autoridade pedagógica que o grau impõe é crime de preconceito, de discriminação. Pois, o que tem de predominar é a burrice, a torpeza, a idiotice, a alienação, a mente massificada abaixo do nível oficial do regime. No qual se situa o Parlamento, o Ministério Público, o Poder Judiciário, as Universidades, a Imprensa, e na cúpula ministerial, até a Polícia Federal. E ai, a BANDIDAGEM DEITA E ROLA NO BERÇO EXPLÊNDIDO DA COVARDIA DE UM POVO, AO SOM DAS PRÓPRIAS IDIOTICES E AO ESPLENDOR DE TODOS OS PODERES FUNDIDOS NA ROUBALHEIRA DO PAIS CENTRALIZADA NA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA.
Mas, CRIME É CRIME. E na esfera do Processo Histórico ele não se extingue a não ser pela punição dos respectivos bandidos. Para cuja tarefa, a Constituição institui a Polícia Federal. Cuja tem o dever de apontar os bandidos para a Justiça, segundo a lição pedagógica de que: “Para tirar os bandidos da rua, se tem de tirar do poder, aqueles que, nas respectivas investiduras de autoridade produzem a degeneração moral que os gera.” Os quais, in casu, são: Dilma Vana Rousseff, a TV Globo e as demais liderando a Mídia nacional.
E, entre os atentados terroristas, nenhum é mais hediondo do que o aterramento psicológico da população, por um mal injusto e grave que está fora do seu controle, à misericórdia e graça dos bandidos terroristas que a massacram. Pois, a destruição moral, espiritual e cultural que ele ocasiona é maior do que todos os males e prejuízos materiais respectivos.

FACE AO QUE.
É encargo da Polícia Federal: 1) identificar a corporação terrorista; 2) desmascará-la; 3) qualificar os seus objetivos; 4) enquadrá-los para as punições de expurgo da civilização brasileira.
Cascavel-Pr, 25 de dezembro de 2.015
celio evangelista ferreira
na representação constitucional do povo
no comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas.

VEJA O DOCUMENTO:

https://drive.google.com/open?id=0Bx6c2XTVi_HvYnpRMlhyU1pUeVU

 

 

Anúncios

Comentários desativados em MICROCEFALIA

Arquivado em Comentários, Documentos, PROJETO AMAZÔNIA

Os comentários estão desativados.