ATO À CORTE CONSTITUINTE

gilmar.png

VEJA O DOCUMENTO ILUSTRADO 

https://drive.google.com/file/d/0Bx6c2XTVi_HveVhYR3RtSjVUcUU/view?usp=sharing

O POVO BRASILEIRO formado pela tríade constituinte originária: Nação-Território-Soberania, autoproclamado no Preâmbulo da Constituição em Poder Constituinte, denominado nela de cidadania, pelo qual se institui em Estado Democrático de Direito no art. 1º caput e incs. I,II e Parágrafo único, com o art. 4º incs. I,III da Constituição e se constitui em Ente Político de civilização, distribuído em organização federativa pela mesma, através das Constituições Estaduais e Leis Orgânicas Municipais; bifurcado em: a) poder político constitucional rotativo, indireto, nos partidos políticos no art. 1º incs. II,V e Parág. único, com o art. 14 incs. e §§ e art. 17 incs. e §§, art. 27 § 1º, art. 28, art. 29 inc. II, art. 46 e o art. 76, da Constituição, no Colegiado Mandatário composto do Presidente e Vice-Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado federal e Presidente do STF; b) poder militar constituinte, permanente direto, formado das patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II,III, o art. 84 incs. XIII, e o art. 142 com o art. 91 inc. VIII e o art. 80 da Constituição, no Colegiado Constituinte, composto dos Comandantes Superiores da Marinha, Exército e Aeronáutica; com a sua sede constitucional no Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes, Brasília/DF, EM FORO DE SOBERANIA NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS, pelo exercício direto do poder na forma do art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II, III, VIII, o art. 5º caput e incs XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art. 37 caput, o art. 84 inc. XIII, com o art. 142 e o art. 80 com o art. 91 inc. VIII, mais o art. 60 § 1º, e o art. 144 caput, da CF, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001, e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU, com o Decreto n. 5.639 de 26.12.2005, e o Decreto n. 4.388 de 25.09.2002, na execução do art. 102 caput, da Constituição, com a Lei n. 7.170/1983 representado constitucionalmente pelo cidadão celio evangelista ferreira do nascimento, brasileiro, casado, jurista, com título de cidadania instituído no art. 14 § 1º, inc. II da Constituição e inscrição eleitoral 0038.4759.0647-Brasília/DF, em 89.323.489 constituintes, com endereço operacional de cidadania no Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF e endereço de expedientes Rua Rio Grande do Norte, 1735. Country 85.813-090 na cidade de Cascavel-PR., e-mail cexvanaverba@hotmail.com – facebook/celio ferreira e/ou celio evangelista, vem à Vossa Excelência, pela via da REPRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL DE CIDADANIA NESTE ATO À CORTE CONSTITUINTE

Lucidez & Carater.

                               DIZER QUE É VÍTIMA DE MASSACRE POR CRIME CONTRA A  HUMANIDADE,  JÁ

                               ULTRAPASSANDO 5 MILHÕES DE PESSOAS ELIMINADAS, E DE ROUBO DO PAÍS                           

                               EM  CRIME  DE  EMPOBRECIMENTO DA HUMANIDADE, JÁ ULTRAPASSANDO R$

                               36 TRILHÕES, QUE RESOLVEU ENFRENTAR À  BALA  COMO  A   CONSTITUIÇÃO

                               PREVINE, E POR ELA, PRECISA DA POSIÇÃO DA CORTE CONSTITUCIONAL. CUJO INIMIGO A EXTERMINAR EM LEGITIMA DEFESA ESTÁ ORGANIZA NA

 

                              TIRANIA OLIGÁRQUICA COMUNISTA TERRORISTA DE BANDIDOS TRANSNACIO-

NAIS, composta do FORO DE SÃO PAULO com URSAL,  UNASUL, integrado do PT, PDT, PPS, PSB, PCB, PC do B, PPL, Partido Comunista de Cuba, Partido Comunista da Venezuela, Partido Comunista da Bolívia, Partido Comunista da Argentina, Partido Comunista do Chile, Partido Comunista Colombiano, Partido Comunista do Equador, Partido Comunista do México, Partido Comunista Paraguaio, Partido Comunista Peruano, Partido Comunista do Uruguai, Grupos Étnicos (organizados para promover a destruição da família, da inteligência popular e a desagregação da nação); Grupos Ambientalistas (organizados para roubar as riquezas naturais, ouro, nióbio, uranio, etc e travar o progresso); Grupos Guerrilheiros compostos do MST, MLST, CV, PCC com as FARCs, Hamas, Jihad, Hiesbollah, Al Qaeda, Taleban, Boko-Haran, Estado Islâmico, que se distribui na República por crime organizado no governo, operado por gangues políticas e gerido por corporações quadrilheiras; o qual sedia o terrorismo expansionista no Brasil, pelo Instituto Lula, Presidência da República, Congresso Nacional, Supremo Tribunal Federal, Procuradoria-Geral da República, Advocacia-Geral da União, Controladoria Geral da União, Ordem dos Advogados do Brasil, Imprensa, Escolas Públicas e Universidades Públicas, por onde transformou a democracia em regime prisional com o povo sequestrado em seus lares e locais de trabalho, sob o terrorismo do medo, insegurança pública, insegurança jurídica, insegurança econômica, insegurança nacional; sofrendo guerra social terrorista; apodrecimento moral da civilização; destruição da inteligência popular; eliminação da família; desagregação da nação; extinção da Pátria e falência economia do País; sob o comando e desempenho de:

                                LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA, analfabeto, mentiroso, trapaceiro, vigarista, vagabundo, cafajeste, vadio, borracho, terrorista bandido, “ladrão de sindicatos” e ladrão do País que ele “transformou num sindicato de ladrões;”

DILMA VANA ROUSSEFF, alfabetizada, mentirosa, assassina, assaltante de quarteis, de bancos, de residência, sequestradora, terrorista, bandida praticante de aborto na prostituição da guerrilha, ladra do País e gerente de Lula no roubo e destruição do Brasil e no massacre da nação;

MICHEL TEMER; JOSÉ DIAS TOFFOLI; RODRIGO JANOT; LUIZ INÁCIO ADAMS;  RENAN CALHEIROS; EDUARDO CUNHA; VALDIR MOISÉS SIMÃO; ALEXANDRE TOMBINI; RICARDO LEVANDOWSKI; WILSON ROBERTO TREZZA; JOSÉ DA COSTA CARVALHO NETO; ALDEMIR CORREA BENDINE; MIRIAN BELCHIOR; LUCIANO COUTINHO; MARCUS VINICIUS FURTADO COELHO, JOSÉ SARNEY, TV GLOBO capitaneando as demais;

                                Tipificando-se a reação de legítima defesa pela seguinte

 

ESTRUTURA FORENSE:

                                

  1. – A LEGITIMIDADE DO SIGNATÁRIO.

Na condição de membro da assessoria de inteligência privativa do Presidente da República, pelo saudoso gen. Golbery do Couto e Silva, o Signatário, que, à época, integrava equipe de desmon-

Lucidez & Carater.

tagem da “Cortina de Ferro,” “Guerra Fria,”  “União Soviética” e eliminação do comunismo e de todas as índoles totalitárias da vida civilizada, objetivando o congraçamento da humanidade pelo “Programa de Hegemonia Democrática Universal Absoluta” que completava, com o “Projeto Manhattan” e o “Projeto Apolo” os assentos ideológicos de uma Civilização Constitucionalista Universal, organizada pela LEI, operada pelo DIREITO e consolidada pela JUSTIÇA, participou do diagnóstico de inteligência, estudos e suprimentos pedagógicos, científicos, intelectuais e morais à luz do Acervo Histórico e de Conhecimento da humanidade, da elaboração do “Ideário da Revolução de 64.” Para cujo, partiu-se da constatação de que, desde o aparecimento da subversão comunista no Brasil em 1.919, ela foi combatida por repressão analgésica, como “banditismo organizado no jogo de interesses da política,” e não como patologia de profundidade psíquico-organizacional da Vida Civilizada. E por isso, a repressão ministrada só alastrava ela fortalecendo a marginalidade, a degeneração moral, a depressão intelectual e a índole insurreta à Lei e à Ordem.

O “Ideário da Revolução de 64” dividiu o programa de empreendimento do Brasil como “MEGA POTÊNCIA DO MUNDO” em três etapas: 1) de 1964 a 1.985 que instalou o País no maior canteiro de obras do mundo, dotando-o da infraestrutura de progresso alicerçado sobre ARMA PRÓPRIA – DINHEIRO PRÓPRIO – ENERGIA PRÓPRIA. Ou seja: CIÊNCIA-TRABALHO-SUPREMACIA; 2) de 1985 a 2.016, instalava o revolvimento político da nação, misturando analfabetismo com ideologismo, oligarquias com marginalidade subdesenvolvimento com banditismo, por onde a subversão comunista se eliminaria por suicídio de poder, levando consigo todas as patologias da civilização brasileira e expurgando a inteligência nacional do ideologismo e imaginativismo que mantinham o colonialismo da nação; 3) de 2.016 para frente, promoveria  a construção do Brasil, centralizado como “MEGA POTÊNCIA DO MUNDO,” conforme as suas potencialidades naturais indicavam.

E, em 1979 ele resultou adotado pelas Forças Armadas como o seu “legado à civilização brasileira, da missão política” que assumira em 1964 contra o comunismo e em favor da vocação de liberdade do povo brasileiro pelos trilhos da soberania de consciência, com autonomia de empreendimentos e plenitude de concorrência. O que está conforme a Ordem Evolutiva da Criação pela percepção da Doutrina Cristã que produziu a civilização mais progressista e expansiva da presente geração humana. E, em 1979 o saudoso presidente João Figueiredo iniciou execução ao mesmo, com a Lei nº 6.683 de 28.08.1979, que recolheu a subversão comunista à baderna política destinada a fazer o expurgo da civilização pela fusão das suas patologias de entranha, no suicídio de poder das “esquerdas.”

 

Em 1987, desempenhando “missão” encarregada pelas Forças Armadas, o Signatário se introduziu na Assembleia Nacional Constituinte como constitucionalista particular do invulgar estadista dr. Ulysses da Silveira Guimarães, e, com ele, Afonso Arinos, Teotônio Negrão, Severo Gomes, e suprido pela “inteligência judaica,” transformou o “Ideário da Revolução de 64” na Constituição promulgada em 1988. Resultando disso, a primeira constituição do mundo que preserva o poder constituinte que a promulgou, como equipamento de autodefesa, à par do Estado Democrático de Direito que ela institui. E, por causa da sua gênese “moisaica,” na promulgação, o dr. Ulysses homenageou Moisés, o legislador insuperável da humanidade, repetindo com a Constituição, o gesto que a pintura retrata dele com as “Tabuas dos Dez Mandamentos.” Foram muitas as censuras que recebemos, dos “constitucionalistas” que se faziam “doutores em Direito Constitucional” que só existe à partir da Constituição, que é fruto do CONSTITUCIONALISMO que é a DOUTRINA DA VIDA CIVILIZADA ORGANIZADA POR ENTE IDEOLÓGICO INSTITUIDO PELA LEI, OPERADO PELO DIREITO E CONSOLIDADO PELA JUSTIÇA. Por cuja magnitude política, sociológica, jurídica e pedagógica, até hoje é tido como “palavra de Deus.” Mas, hoje, a nossa Constituição é usada

Lucidez & Carater.

como livro didático por renomadas universidades em cursos de doutorado, sob o argumento de que: “Depois dos Dez Mandamentos é a Carta Dogmática mais profunda e abrangente que o Constitucionalismo produziu.

E, o que nela encanta a inteligência jurídica é a democracia forense meritória militar instituída na base constituinte do Estado Democrático de Direito formada pela fusão do poder político com o poder militar na Instituição da Presidência da República na Magistratura de Estado. À qualquer traição ao mandato, emerge dela, o povo em poder constituinte em foro de soberania no comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, restabelecendo a eficácia constitucional pela intervenção constituinte no Processo Histórico. Cujos pressupostos à reação de cidadania são: 1) titularidade democrática; 2) legitimidade meritória. A primeira tipifica-se pela ruptura do Estado Democrático de Direito na fusão do poder político com o poder militar no mandato de Presidente da República, que instala a CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO; a segunda emerge do respectivo auto de corpo de delito da civilização ou do país.

Como Constituição não é código dispositivo de aplicação a caso concreto e sim Carta Dogmática de execução institutiva, o equipamento constituinte ficou distribuído na sistematização logística dela, como a coerência pedagógica da sua estrutura operacional impõe. Vez que ela se compõe de duas esferas orgânicas: 1) a esfera da Ordem Jurídica ou poder constitucional, que se ocupa com o Processo Social, em cujo âmbito se move a dinâmica dos interesses fazendo o meio ambiente existencial da nação, que chamamos de país, disciplinado e regido pelo poder de coação do Estado através das respectivas investiduras de autoridade; 2) a esfera da Ordem Constitucional ou poder constituinte, que se ocupa com o Processo Histórico, promovido pela efervescência política fazendo a ebulição de entranhas da civilização em busca de ponto de fusão mais consistente do desagregamento racional típico da espécie humana. Assentada na Constituição guardada pelo povo, e nos símbolos, valores, história e tradições guardados pelas Forças Armadas. Com o povo e as Forças Armadas fundidos no mandato de Presidente da República pelo comando supremo e autoridade suprema. À instauração por qualquer cidadão após a instalação do povo no exercício direto do poder.

É por essa estrutura e nesta órbita do Constitucionalismo que o Signatário instaura a Corte Constitucional em sede de Foro de Soberania, à execução do art. 102 caput da Constituição, com o que sobra do Pretório Excelso em Vossa Excelência, Min. Marco Aurélio de Melo, Min. Celso de Mello e Min. Luiz Fux. Invocando a denúncia da ex-Corregedora Nacional de Justiça ex-Min. Eliana Calmon, de que: “bandidos se escondem atrás da toga,” aceita por submissão tácita da Magistratura Nacional que, no Supremo Tribunal Federal registrou ao espanto da cultura jurídico do mundo, o primeiro fatiamento de juízo e dispersão de jurisdição que se tem notícia, em favor de BANDIDOS LADRÕES DO PAÍS revelados pelo extraordinário desprendimento patriótico da Polícia Federal na “Operação Lava-Jato” e outras, à par de outros desassombros magistrais não menos espantosos. Ao ponto do Exmo. Min. Marco Aurélio Mello denunciar que: O Supremo Tribunal Federal de ontem era um, o de hoje é outro.Confirmando a denúncia do Exmo. Sr. Min. Gilmar Mendes sobre o Superior Tribunal Eleitoral, “gêmeo siamês do STF:” Não sou neófito na cena judicial política e há muito observo o TSE, antes até de aqui chegar, e sei que há uma certa assimetria na própria jurisprudência do tribunal. O tribunal é muito valente para cassar prefeitos de interior. Mas é muito reticente em relação às disputas nas capitais. É corajoso para cassar o governador da Paraíba, mas não quer se meter na disputa em SP, RJ ou MG. Há uma assimetria.” Deixando claro que a OAB está desprovida de ADVOGADOS para o MUNUS PÚBLICO DA HOMBRIDADE PROFISSIONAL PELA PÁTRIA, porque isso ocorre pelo servilismo dos advogados.

Lucidez & Carater.

Sobre cuja situação o Signatário assenta a sua investidura constitucional a descoberto da Ordem dos Advogados do Brasil, face o art. 133 da Constituição com o art. 2º §§ 1º,2º,3º, o art. 6º caput e Parag. único e o art. 31 § 1º da Lei nº 8.906 de 04.06.1994, que não deixa dúvida da INEXISTÊNCIA DE ADVOGADOS nestes dias no Brasil. Porquanto, se a espécie profissional existisse, o Poder Judiciário não teria virado abrigo de “bandidos escondidos atrás da toga,” nem o “STF de ontem teria deixado de existir.” Aliás, o Brasil não estaria submetido por “ladrões de sindicatos que transformaram o País num sindicato de ladrões,” na “cleptocracia” de bandidos terroristas; que extinguiu eficácia ao Estado Democrático de Direito; transformou a Constituição numa agenda de anotações de cobertura da cleptocracia e de suas gangues de sustentações, e deixou o Brasil sem Presidente da República, com uma bandida da pior espécie usurpando o cargo em regime de assalto ao poder feito pelo Foro de São Paulo. Além do que, afrontaria o bom senso quem imaginasse que, quem escreveu a Constituição não soubesse o que construiu nela.

Isso, ad argumentandum tantum, porque a INSTITUIÇÃO DA CIDADADANIA é o máximo da coerência humana educada que absorve o Estado com seus poderes constitucionais e suas instituições. Nela, desaparece a Ordem Jurídica e sobra somente a Constituição e a titularidade de cidadania especificada pela mesma. Onde os requisitos de admissibilidade de reação, são: competência pedagógica exposta, hombridade, honradez, caráter, lucidez, espírito público, patriotismo e impessoalidade alicerçado sobre autoridade de causa, conhecimento do estado marginal do País e domínio da dinâmica réproba causadora. Requisitos estes, que suprem o Signatário por 47 anos de vida investida na civilização brasileira. Sem JAMAIS ter dependido dos cofres públicos do Brasil, ou participado de qualquer astúcia de roubo do Pais. Pois, construído para matar pela pátria, se assim impuserem obstáculos irracionais à sua tarefa de inspirar fórmulas para a harmonia planetária possível da humanidade na busca do desenvolvimento que propicie progresso mais direcionado para a qualidade de vida, tem de manter transparência de consciência perante si e isenção absoluta diante de todos os tipos de índoles perversas que imponham expurgo de civilização à expansão intelectual necessária ao aprimoramento do meio ambiente existencial como objetivo da finalidade da espécie humana de procriar, sobreviver e raciocinar.

Em cuja ocupação, o equipamento de desempenhos é a integridade pedagógica capaz de minar todas as barreiras do presente grau de equívocos que a humanidade tem como “doutrinas,” “ideologias,” e “dogmas divinos” sem se aperceber que, se houvesse presença da Inteligência Geradora do Universo em seu meio, a sua principal produção não seria de armas, nem o seu progresso seria a fonte da sua tragédia existencial. E assim, por gênese vocacional o Signatário é equipado para sustentar os empreendimentos que patrocina em qualquer grau do invólucro pedagógico da Vida Civilizada; quer no Fórum, quer no Parlamento, quer no Governo, quer no teatro repugnante da guerra. Não como flagelo, mas sim, como inspiração de bom senso, e justiça como produto do banditismo aos que o cultivam.

Por isso, é praticamente o autor da Constituição brasileira desde o “Ideário da Revolução de 64” que, por missão das Forças Armadas, o transformou nela, com o equipamento de autodefesa que, ora, por ironia do destino, é o próprio Signatário que manuseia sobre o compromisso assinado às Forças Armadas no dia 19.06.2.012 de ser morto e não preso se conduzir a nação a erro.

A titularidade constituinte sobre a anarquia oligárquica terrorista comunista de bandidos, emerge ao povo no Signatário do AUTO DE CORPO DE DELITO da Civilização Brasileira, estrebuchando um massacre de aproximadamente 5 milhões de vítimas de 2003 para cá; porquanto, só no campo do terrorismo ordinário ocorrem 167 execuções por dia; 100 mulheres estupradas por dia; arrastões,

Lucidez & Carater.

invasões, destruições de propriedades, furtos, assaltos, roubos, agressões, e trucidamentos de pessoas por todos os tipos de satanismos na base de uma ocorrência a cada 0,18 minutos. 87 pessoas eliminadas por dia nos corredores de extermínio do SUS; 55 mil pessoas eliminadas por ano nos corredores de extermínio do trânsito; a indústria de transformação de esposas em prostitutas, maridos em cafajestes e filhos em bastardos, e de inimização das mulheres contra os homens, com as escolas públicas transformadas em prostíbulos de iniciação das crianças na prostituição, cafajestismo, vício, vadiagem e marginalidade, e a destruição do ente conjugal pela inimização dos filhos com os pais, protegidos com a legitima defesa putativa se estes quiserem educa-los e ensiná-los trabalhar, resultou em 71,3% da população composta de veados, pederastas, cafajestes, lésbicas, rufiões, cafetões e cafetinas. Com 83% das cidades e 11% do campo dominados pelo tráfico de drogas. Produzindo a destruição da nação desaguada no Fórum por 94 milhões de demandas na população economicamente ativa de 76 milhões de pessoas. Arrematando-se com recessão, inflação, desemprego, miséria e desespero que resulta em 88,9% da população doente e sem assistência hospitalar. Cujo auto de corpo de delito dispensa o persecutório institucional de estado, porque está exposto à volta de todos, como um campo de atrocidades que deprime, espanta e exacerba pelo grau de covardia, estupidez, torpeza e estultice impresso nele. Com magistrados confinados em iguais condições com os bandidos que eles sentenciam, diferenciados somente pelos graus de confortos das respectivas penitenciárias. Os bandidos condenados, gozando perante a História, da absolvição que os “bandidos escondidos atrás da toga” lhes propiciarão quando ESTE MOMENTO FOR JULGADO PELO SEU CONTEUDO DE CIVILIZAÇÃO, PELAS GERAÕES FUTURAS; se sobrar pátria em condições de abrigo do suceder-se das descendências, e se persistir família capaz de manter descendências.

A legitimidade democrática decorre ao povo no Signatário, da extinção de eficácia do Estado Democrático de Direito, que alojou no cargo de Presidente da República Dilma Vana Rousseff, mentirosa, embusteira, traidora, assassina de militar, sequestradora, terroristas, assaltante de quartel, assaltante de residência, assaltante de banco, praticante de aborto na prostituição da guerrilha e ladra do País no comando do roubo do mesmo, massacre da Nação e destruição da Pátria, em regime de assalto ao poder praticado pelo Foro de São Paulo através de pleito eleitoral terrorista promovido com dinheiro roubado da Petrobras, BNDES, Eletrobrás, cofres Públicos e do povo, com o qual produziu o sufrágio e fabricou o mandato presidencial nas urnas eletrônicas. Reconhecido pela Corte Eleitoral Excelsa que transformou o pleito em CASO DE POLÍCIA ao encargo da Polícia Federal e declarou à nação que: A priori, o Brasil não tem presidente da República, o que, talvez, até ajude.

                               Estando pois, o Signatário, legitimado em 89.323.489 constituintes no colégio eleitoral de 141.824.607 constituintes que rejeitou o Foro de São Paulo na condução política do Brasil, confirmado por 93% da nação contra 7% da população que constitui a base de sustentação da “democracia de minoria” de Dilma Vana Rousseff, Lula, PT e da cleptocracia imperante. Porque é lógico que os ladrões são minoria.

 

  1. – O DESEMPENHO DA CORTE CONSTITUCIONAL.

No Foro de Soberania inexiste competência, porque ele é desprovido de jurisdição. Por isso, o reconhecimento da reação de cidadania contra o assalto ao poder e suas decorrências de falência do País e caos social arrematando a hecatombe de civilização instalada pela razão de estado, a crise institucional de estado por ruptura do Estado Democrático de Direito na fusão do poder político com o poder militar na Magistratura de Estado, pela Corte Constitucional no art. 102 caput da Constituição, não é judicioso e sim, constituinte. A reação de cidadania não tem contraditório porque não é invocatória e sim institucional.

Lucidez & Carater.

O seu objeto está exposto no auto de corpo de delito do País, impondo a INTERVENÃO no Processo Histórico pelas Armas. Sobre ela, a Corte Constitucional apenas pronuncia a Constituição em esfera institucional do Foro de Soberania, dizendo se o povo está no exercício direito do poder, e como tal, no comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, ou se conspira contra a Ordem Constitucional e quem encarna a conspiração como seu representante constitucional, em que esfera repressiva se enquadra e ao encargo de quê resulta.

E isso não é decisão, porque esta só pode ser de juízo em qualquer instância da Ordem Jurídica. Mas sim, é pronunciamento institucional da Constituição em grau de cidadania que não se respalda na lei e sim nas Armas alicerçadas na tríade genética do Constitucionalismo: Nação-Território-Soberania que instaura o Homem em sua finalidade de procriar, sobreviver e raciocinar pela hombridade, honradez, caráter e lucidez impressas em seu código genético. Pois, nada que diga respeito ao homem e seu mundo lhe vem do abstrato, do fantasmagórico, do imaginário, mas sim, lhe emerge de alguma das suas dotações genéticas; ou então, não lhe produz benefício algum, mas o aliena a utopias ideológicas que ele só reconhece depois que pereceu por elas.

Assim, a Corte Constitucional, ao ser instaurada pelo povo no exercício direto do poder nos termos da Constituição que fundam o presente ato institucional de cidadania, se investe de três eventualidades institucionais: 1) reconhecer a constitucionalidade da reação de cidadania; ou 2) declarar a conspiração do povo em quem o representa, contra a Constituição, por destruição do auto de corpo de delito   do roubo do País, massacre da Nação e destruição da Pátria, exposto em todos os quadrantes da vida nacional, gritado pela nação e ecoado em todos os poderes constitucionais, suas derivações e instituições e admitido pelas próprias gangues políticas em seus estertores parlamentares e verborragias publicitárias; ou 3) por sapiência de investidura que não precisa de autoridade pedagógica e nem de dignidade intelectual, se acobertar entre os “bandidos escondidos atrás da toga,”  que sustentam a consolidação dos “ladrões de sindicatos” na cleptocracia terrorista que instalou o Brasil na FARRA DO PT NO PODER regada à prostituição, cafajestismo, vício, vadiagem, esbanjamentos, orgias, corrupção, roubo do País, escravidão à decadência e autodestruição.

Merecendo registro a sutileza dos bandidos terroristas ladrões do País, como se vê do discurso de Aldo Rebelo: “A sociedade precisa de coesão, disciplina e hierarquia. Precisa ser forte, sem que isso signifique a negação da democracia, das disputas naturais entre os partidos, entre grupos políticos. Essas disputas não podem sufocar o interesse nacional. Quando o mundo marcha em extremismos de individualismo, a sociedade precisa procurar e recuperar os valores mais profundos da sua construção. Não se constrói uma sociedade sem disciplina, hierarquia, sem solidariedade e sem o espírito de camaradagem, comum nas instituições militares”. Pois o CRÁPULA pregou tudo o que eles destruíram na civilização brasileira. E assim, ele mesmo prova O ESTADO DE MASSACRE da nação, destruída em toda essa estrutura de disciplina e hierarquia; por cuja falta, virou uma decomposição marginal, miserável, se consumindo pela prostituição, cafajestismo, vício, vadiagem, assassinatos e roubos que prosperaram 1.024% de 2.003 a 2.015, com 94 milhões de encrencas na justiça para 76 milhões de pessoas economicamente ativas. Onde prospera a inimizade de pretos contra brancos, pobres contra ricos, analfabetos contra eruditos, vadios contra empreendedores, empregados contra patrões, esposas contra maridos, mulheres contra os homens, filhos contra os pais, estudantes contra os professores na GUERRA SOCIAL TERRORISTA MAIS HEDIONDA QUE O MUNDO CIVILIZADO ABRIGA.

E, o Supremo Tribunal Federal, ao aceitar ministro nomeado por Dilma no gerenciamento

 

o sindicato de ladrões” que transformou a democracia na “cleptocracia” imperante, assim reconhecida e proclamada pela Corte Eleitoral no veredicto do seu Vice-presidente, Min. Gilmar Mendes acolhido pelos demais por ratificação tácita, recepcionou o Foro de São Paulo encarnado por Dilma Rousseff que, no gerenciamento disso, infiltrou o Poder Judiciário com “bandidos escondidos atrás da toga;”  por onde assenta  a intenção de consolidar a cleptocracia e continuar no roubo do País, massacre da Nação e destruição da Pátria. E assim, deixa a nação sem foro de socorro no Regime, em ESTADO DE LEGÍTIMA DEFESA face o AUTO DE CORPO DE DELITO da respectiva civilização, acrescido do Brasil falido, sob recessão, inflação, desemprego e destruição em todos os sentidos. No que o Supremo Tribunal Federal se faz a FONTE PRINCIPAL disso. Porquanto, competia-lhe, na ocasião de recebimento do “ministro” nomeado por Dilma Vana Rousseff sem mandato legítimo para tanto, ter declarado ao Congresso Nacional esse vício da nomeação que rompeu a legitimidade constitucional dos poderes e instaurou CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO. Como a Corte Eleitoral reconheceu, proclamou e encaminhou como CASO DE POLÍCIA ao encargo formalizador do processo penal e consequente prisão em flagrante de Dilma Vana Rousseff, como consignou na decisão:

“Notoriamente usaram a Justiça Eleitoral como uma instituição de lavagem de dinheiro. Seja na forma de gastos que não ocorreram – tiraram o dinheiro da campanha para outras finalidades -como também essas doações viciadas. Porque na origem está o fenômeno de corrupção lá na Petrobras… Então nós estamos falando de lavagem. A gráfica VTB

   Serviços Gráficos e Mídia Exterior Ltda., recebeu R$ 23 milhões, da campanha de Dilma, não tem nenhum empregado, a sua sede aparentemente não existe.” Min. Gilmar Mendes

  “A minha designação como relator foi contestada pela Procuradoria-Geral Eleitoral (em novembro de 2014). À oca, eu já tinha até dito: ‘procurador se quiser atuar como advogado, assuma a bancada dos advogados do pt, mas não aqui. E não venha ele querer dar lição ao STE… A gráfica VTB Serviços Gráficos e Mídia Exterior Ltda., recebeu R$ 23 milhões, da campanha de Dilma, não tem nenhum empregado, a sua sede aparentemente não existe.” – Min. Gilmar MendesLadrões de sindicatos transformaram o pais num sindicato de ladrões, estamos vivendo uma “cleptocracia…”

Quando falamos que estamos investigando esquema de compra de apoio político para o governo federal através de corrupção, estamos dizendo que os casos Mensalão, Petrolão e Eletronuclear são todos conexos porque dentro deles está a mesma organização criminosa e as pessoas ligadas aos partidos políticos. Não tenho dúvida nenhuma de que todos ligados à Casa Civil do governo Lula, tudo foi originado dentro da Casa Civil”. Proc. da Rep. Carlos Fernando dos Santos Lima.

O Brasil vive uma crise de enfraquecimento do Estado, em contraposição à crescente tentativa de manipulação da democracia pelo jeitinho brasileiro. Cada manhã é recebida com reserva pelos brasileiros, o País anuncia um novo pacote, uma nova medida, uma nova reforma de eficácia questionável. Vemos nossos direitos sendo saqueados, nossas riquezas sendo lavadas, nossos bens sendo expatriados. Somos bombardeados a todo momento por notícias de corrupção como se o Brasil fosse uma terra minada. (…) Uma

Lucidez & Carater.

 Uma verdadeira torre de babel, parece que ninguém mais se entende…Nisto expresso o sentimento do brasileiro.” Min. João Otavio de Noronha.

  “A investigação penal, não obstante fragmentada em diversos inquéritos e procedimentos de apuração de delito, tem por objeto uma vasta organização criminosa de projeção tentacular com métodos homogêneos de atuação, integrada por diversos atores e protagonistas e operando por intermédio de vários núcleos com idêntico ou semelhante modus operandi na captação, operacionalização e distribuição criminosa.”

É humanamente impossível estancar a corrupção do PT no país. Quando se chega a um foco ele se ramifica em vários outros.” – Diz Delegado da Lava-Jato.

Confirmando o que José Dirceu,  Lula da Silva e Jaques Wagner informaram, mostrando que são bandidos assumidos, expostos e sem receio da LEI:

 

O estilo de governo realizado pela gestão PT em dois mandatos consecutivos de Lula, e agora em dois mandatos de Dilma, é muito moderno para a justiça brasileira sequer   entender. Não existe ainda legislação adequada para o que fazemos. É uma maneira de tirar do pobre e transferir para quem precisa.  Estamos falando de um intrincado sistema de coleta de impostos e transações complexas para fim de fortalecer a democracia e o povo brasileiro.” José Dirceu

“Quando eu era presidente do sindicato dos metalúrgicos e a gente queria acusar o regime militar, minha assessoria inventava estatísticas e dizia: não tem perigo porque eles não vão verificar se é verdade.”  Luiz Inácio Lula da Silva.

Cuja informação explica a repetida resposta do PT sobre os roubos que custearam o pleito terrorista que produziu nas urnas eletrônicas o “mandato” de Dilma: “Todas as doações de campanha foram feitas dentro da lei e aprovadas pelo Superior Tribunal Eleitoral.”  Sem restrições ao acervo de provas mostrando que os “ladrões de sindicatos” usaram do mesmo expediente do sindicato dos metalúrgicos, para enganar a Corte Eleitoral que, na ocasião não dispunha do acervo probatório surgido após ele ter sido ludibriado. E cujo fato ANULA o respectivo julgamento, que o Ministro Relator já deveria ter promovido ex-offício perante a Corte, com o pedido de prisão da bandida usurpadora do cargo e respectiva quadrilha.

Pois, é Lula, Michel Temer e Jaques Wagner que confirmam o clamor dos Procuradores e da Polícia Federal sobre o jeito que a organização da bandidagem terrorista se mantém no poder:

 “É melhor perder ministérios do que a Presidência”, disse Lula. Lula e o vice-presidente Michel Temer sugeriram a Dilma que não deixasse “na chuva” o filho do deputado Jader Barbalho (PMDB-PA), para não criar novo foco de rebelião.”

Vale mais o cumprimento estrito da regra ou a motivação pela qual isso foi feito?”

 

Jaques Wagner referindo-se aos roubos da Dilma que chamaram de “pedaladas fiscais” justificando que “foi para acudir os pobres.” Sendo que a pobreza aumentou 71% nestes 13 anos, que acumulou desemprego em massa.

Lucidez & Carater.

E assim, é que a cleptocracia transformou o povo em moeda de troca em suas desavenças na partilha do País como despojo das urnas pela modalidade de “bases parlamentares” e “governo participativo.”

“No fundo, o que se espera é que processos saiam de Curitiba e não tenham a devida sequência em outros lugares. É bom que se diga em português claro.” Min. Gilmar Mendes no “fatiamento de juízo sobre a “Lava-Jato.” Que mostrou o STF protegendo a cleptocracia terrorista, por um aviltamento da justiça nunca antes ocorrido. Comemorada pelos bandidos terroristas.

“Estou preocupado porque o que estamos assistindo no Brasil nos induz à perplexidade. Não seria demais admitir que estamos a largos passos de um Estado nazista. O que eu vejo de mais perigoso é que esse totalitarismo já escapou ao controle do próprio estado. Deveríamos estar em um Estado de direito democrático. Mas, aos poucos, o Estado está perdendo controle sobre ações nefastas, perigosas de crime organizado, que ao mesmo tempo se infiltra com ideias fascistas nas ações dos próprios agentes policiais. No Brasil, hoje, nós começamos a ver uma inversão:

todo o cidadão é em princípio culpado. Nós todos somos suspeitos.” – Min. Edson Vidigal – STJ

A gente está lidando com gangsteres. Vamos deixar claro; estamos lidando com bandidos.” – Min. Gilmar Mendes CNJ/STF

                                

E a convicção pelo banditismo como forma de poder está expressa por Lula:

 

Para reeleger a Dilma, nós faremos o diabo.”

 

Entretanto, em Foro de Soberania ou poder constituinte, o Supremo Tribunal Federal resta em Corte Constitucional integrada pelos Ministros Celso de Mello, Marco Aurélio Melo, Gilmar Mendes e Luiz Fux, este nomeado pela bandida terrorista Dilma Vana Rousseff, porém, em investidura mandatária anterior que esgotou-se sem ser questionada. Em cuja situação, resta acolhimento ao povo no exercício da INSTITUIÇÃO DA CIDADANIA, porque não busca decisão por votos e sim pronunciamento institucional monocrático nos termos do art. 101 da Constituição, invocado ao Ministro que lhe parece excluído do AUTO DE CORPO DE DELITO do País, que impõe a REAÇÃO DE CIDADANIA DE LEGITIMA DEFESA EM ARMAS. Porquanto, a lógica do bom senso jurídico impõe admitir-se que, se todos os ministro do ORÁCULO CONSTITUCIONAL se identificam, obrigatoriamente, pelo “notável saber jurídico” e a “ilibada reputação,” só a desídia com os procedimentos postos ao seu julgamento justifica a divergência de votos. Porquanto, invocar-se pluralismo decisório do CORPO MAGISTRAL UNIFICADO POR IDENTIFICAÇÃO COMUM, é facultar a “mercadejação forense” que se opera pelo “juízo de opiniões” assentado na sapiência de investidura. A qual acolhe a degradação do bom senso que proíbe rinha de galos, rinha de canários, rinha de cães, mas acolhe rinhas de homens que não têm outro sentido senão de explorar como campo de enriquecimento ao preço do menosprezo à

vida, a brutalidade, a violência e a torpeza; onde a índole perversa encontra sustentação ao banditismo, e a prostituição, ao aborto; vez que, o auto aviltamento moral é o mesmo. E, sublimar inapelavelmente a decisão vida, a brutalidade, a violência e a torpeza; onde a índole perversa encontra sustentação ao banditismo, e a prostituição, ao aborto; vez que, o auto aviltamento moral é o mesmo. E, sublimar inapelavelmente a decisão

Lucidez & Carater.

da Corte Máxima, porque nela, os respectivos magistrados tem a infalibilidade de colegiado assentada no direito de discordar, é tornar a MAGISTRATURA CONSTITUCIONAL uma PALHAÇADA, porque a Carta dogmática é lúcida, precisa e inconfundível, quanto à SINGULARIDADE UNIFICADORA DO COLEGIADO EM UM ÚNICO ENTE JUDICANTE: “NOTAVEL SABER JURÍDICO” e “ILIBADA REPUTAÇÃO.” OU SEJA, UM ÚNICO SABER JURÍDICO, UMA ÚNICA REPUTAÇÃO. E porque nós escrevemos assim? Justamente para SANTIFICAR A CONSTITUIÇÃO pela EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA MAGISTRAL por ela, depurada da sapiência de investidura, para que a civilização brasileira tivesse na PLENITUDE INTELECTUAL de suas cátedras, a via de evolução pedagógica ao desenvolvimento necessário da nação.

Logo, a Corte Constitucional não julga e não se pronuncia pela consciência dos seus membros, mas sim, pela sua AUTORIDADE PEDAGÓGICA ABSOLUTA personificada pela sua INTOCABILIDADE MORAL, que, por isso, não admite burrice fracionando o CORPO MAGISTRAL EXCELSO, vez que o DIREITO É CIÊNCIA, e como tal é ÚNICO EM QUALQUER CABEÇA. Sob pena de resultar aplicável aos doutores a definição de Jesus, de: “sepulcros caiados.”  Por onde resultaria desvendado o “mistério” de Luiz Inácio Lula da Silva, o MAIOR LARÁPIO, CAFAJESTE, VAGABUNDO, COVARDE, LADRÃO, que o mundo civilizado abriga, estar ROUBANDO O PAÍS como um supra-ser, ou embaixador plenipotenciário do inferno ao qual o Supremo Tribunal Federal e a Procuradoria-Geral da República devem seus preenchimentos operacionais de extraordinários proventos e custos e deprimente produção de justiça; ou ausência total de justiça, face o estado de marginalidade, degradação, insegurança, desespero e terrorismo que a nação vive; com o Poder judiciário represando a desintegração moral no pântano burocrático que o emperra, e que apodrece a civilização; dando como resultado, a miséria, analfabetismo, recessão, inflação, desemprego e uma população estuprada, assaltada, imbecilizada com 88,9% doente morrendo à mingua nos corredores de extermínio do SUS. Onde 71% da respectiva arrecadação é roubada, desperdiçada, esbanjada e desviada para suprir roubos em outras áreas de governo. Cujo contexto motiva e justifica o mundo dos Excelsos, mas não o integra, porque este é o mesmo da bandidagem terrorista que o produz pelo roubo d/País.

 

                             Daí, quando Vossa Excelência se individualizou na Corte contra esse auto de corpo de delito do Brasil, que a sufoca, emergiu como o salvador togado na recíproca de cidadania com o povo pelo resgate da Pátria. Brandido pela Constituição na BALA que ela aloja como seu alento derradeiro de sobrevivência. E para a qual institui por dogma a LEGÍTIMA DEFESA pessoal, da nação e do Brasil. Na qual, MATAR PELA PATRIA É SANTO. Quando o notável saber jurídico e a reputação ilibada se tornaram suspeitáveis pelo alerta da Exma. ex-Corregedora Nacional de Justiça Magistrada Eliane Calmon à nação, de que: “bandidos se escondem atrás da toga.” E o maior volume da Corte Constitucional procede do PT, que é uma ORGANIZAÇÃO DE BANDIDOS NO FORO DE SÃO PAULO. (LADRÕES DE SINDICATOS). Sobre a qual, a população proclama em todos os quadrantes do País, que: “ONDE TEM PT TEM ROUBO. ONDE TEM ROUBO TEM PT.” Ou o ROUBO DO PAIS NA PETROBRÁS E BNDES, ao encargo da Polícia Federal pela Corte Eleitoral, não absorve o STF ao “sindicato de ladrões” pelo “ministro” nomeado ao seu CORPO MARGISTRAL por Dilma Vana Rousseff no esbulho do cargo de presidente da República?

 

Ou, se tal estado de ausência de justiça no Brasil, resulte do comunismo gramscista que destruiu a lucidez da população e mediocrizou os doutores máximos, então, se impõe a intervenção constituinte com o choque intelectual pedagógico que ressuscite as cátedras suplantadas. E, se isso for o que está ocorrendo, não é decadência pioneira da civilização brasileira, porque, a dois mil anos atrás o insuperável jurista Jesus Nazareno, chamou os doutores daquele momento de: “sepulcros caiados. Cegos guias de cegos.” Cujo bom senso ele tentou recuperar, mas foi pela REAÇÃO DE CIDADANIA, mais guerreira do que pedagógica, que ele extraiu da civilização vencida, a Civilização Conciliatória que produz o mundo

 

Lucidez & Carater.

até agora. E então, a emersão de Vossa Excelência não foi de confronto consigo mesmo, mas sim, de INTEGRIDADE MAGISTRAL PELO PODER JUDICIÁRIO.

 

 

  1. – O ATO INSTITUCIONAL DE CIADANIA INVOCATÓRIO.

 

Não havendo poder de coação no Foro de Soberania, não existe jurisdição, nem juízo. Logo, inexiste postulatório, porque, nele, não há prestação jurisdicional e nem tutela; não há judicatura, porque não há objeto demandatário a ser apresentado. Ou é o POVO EM FORO DE SOBERANIA NO RESPECTIVO ATO INSTITUCIONAL DE CIDADANIA EM LEGÍTIMA DEFESA se expondo ao reconhecimento, aceitação e homologação da Corte Constitucional no atendimento do art. 102 caput da Constituição, emergido da CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO que absorve a Ordem Constitucional no Poder Constituinte preservado na Constituição, ou é conspiração se não existir a ruptura do Estado Democrático de Direito na fusão do poder civil com o poder militar na Magistratura de Estado.  E, se não é conspiração, resulta a Constituição como único suprimento da reação de cidadania que instaura a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE no Processo Histórico. Porque então, a subversão comunista terrorista de bandidos ou os “ladrões de sindicatos” substituíram a democracia pluralista rotativa pela cleptocracia gramscista genocida.

E então, o ato institucional de cidadania à Corte Constitucional –in casu, ao que resta dela-  invocando-lhe uma das três posições mencionadas no item 2, fls. 6/7, não busca decisão forense e

sim, reconhecimento constitucional de foro. A qual tem efeito promulgatório da reação de cidadania para todos os atos armados de efetivação da INTERVENÇÃO CONSTITUINTE.

 

E como o STF não instituiu via regimental ao acolhimento da Instituição da Cidadania, o respectivo ato institucional pela via da representação, tem de ser parlamentar, pedagógico, porque tem de emoldurar-se na Constituição pelo detalhamento de cátedra que exponha execução da Constituição sobre o auto de corpo de delito do País e da civilização que rompe o Estado Democrático de Direito em sua gênese operacional e deixa a efervescência política no Processo Histórico à deriva, nas mãos da subversão comunista terrorista de “ladrões de sindicatos” na cleptocracia terrorista que instalaram na extinção de eficácia do mesmo. Impondo a REAÇÃO DE CIDADANIA DE LEGÍTIMA DEFESA. A qual se efetiva pela INTERVENÇÃO ARMADA constitucionalmente tipificada pelo procedimento constitucional de cidadania reconhecido, aceito e homologado pelos poderes constitucionais, através dos quais, a legitimidade democrática do povo no exercício direto do poder recomenda que ela passe. Porquanto, é esse desempenho de esgotamento da fraternidade e bom senso nacional que legitima a instauração do POVO EM FORO DE SOBERANIA. Como o mesmo procedeu pelo PO 1300820 – 7.2.2013 perante o ACFA., formalizado pelos PROTOCOLOS: STF 0038341, 29.2.2012, PR CODIN/POT/19.02.2012; SF29.02.2012; SF17.07.2012; SF11.06.2012 STF; PGR CD PR SF; ACFA 117.419 29.02012 30.05.2012, 10.10.12; DPF/MS 08335.025373/2012-65 27.11.2012; DPF/ MS 335.005016/2013-61 28.01.2013; DPF/DF 08001.08335.0032 35/2002-5; 08001.008976/2012-74; 08001.014173/20 12-59 – COGER/DPF; 08200.008079/2013-03; 08200.008592/2013-96; DPF/CEVEL-PR 02.05.2013; MPF/MS-00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 000 07 443 /201400007787/2014 –   A.D. SF 15492345 1 BR; MPE/MS-PGJ – 043779-2/2; 018742-2/2019223-2/2M; CD 006198- 30.9.13; SPF 08335,006262/ 2014-11; PGR 00001654/2014; PGR 0007443 PR 04.09.2013; PR JG 642440674BR; STF AR-J6603237679BR; PF 08335.018120/2014-05; PGJ 022451-2/2; 022450-2/2; 018742-2/2; 019223-22/, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, PGR 10058/2014. STF SF 82200437/2014; STF PE 6197258220; ACFA PE 513259353JH; STF PE 513269996JH; STF PE 619725820JH; PRM-CAC-PR 10058/2014; PR PRM-CAC-PR 00010318/2014; PRM-CAC-PR 00003187/2015 – 23.05.2015PRM-CAC-PR 00003189/2015

 

Lucidez & Carater.

23.05.201 PRM-CAC-PR – 000 04149/2015 – 19.06.2015 PRM-CAC-PR 00001799/2015-31.03.15, PRM-CAC-PR 00007096/2015-25.8.15. Personificando o Persecutório Institucional de Estado.

 

E, a ausência de fluxo regimental à Instituição da Cidadania, nos poderes constitucionais já tipifica atentado terrorista à Constituição, diante do auto de corpo de delito do País estrebuchado pelo banditismo, porque faz prova da tirania comunista terrorista de bandidos que submete o povo brasileiro.

 

Então, o presente ato institucional de cidadania não precisa vir carregado de provas, porque, em primeiro lugar, se é constitucional e legítima a reação de cidadania do povo, ela está exposta  no auto de corpo de delito do País, escancarado na vida da nação e nos poderes constitucionais, instituições, e órgãos públicos, identificando os respectivos autores. Ou o ato institucional de cidadania responsabiliza o povo por conspiração, vez que este reage nas Forças Armadas. Em segundo lugar, ele consta de toneladas de registros no Parlamento da República, na Polícia Federal, no Ministério Público, nos Tribunais de Contas, no Poder Judiciário, na Imprensa e no clamor público dimensionado pelas manifestações populares e os índices de rejeição popular ao sistema.

 

Embora o estado insustentável do “País transformado em sindicato de ladrões” na cleptocracia terrorista não seja surpresa para as Forças Armadas, porque é o suicídio de poder da subversão

comunista fundida com as oligarquias do poder, que estava previsto. Não por adivinhação, mas, porque a psicopatia, a torpeza, o banditismo, a burrice, a irresponsabilidade, a covardia e a tração como “virtudes”

ideológicas em modelo de governo conduzem as respectivas turbas para esse fim. Ou, alguém, com cabeça mentalmente sadia, admite que as FF. AA. instalaram o Brasil, durante 20 anos, no maior canteiro de obras de infraestrutura, do mundo, desprovido de um projeto de civilização sem continuidade construtiva, como esse canteiro de obras revelava? Qual seria o sentido das FF. AA. instalarem essa base de fundação de um projeto gigantesco de construção nacional, que elas sabiam que não interessava, em absoluto, à subversão comunista terrorista que fora recolhida à efervescência política, sem restrições à sua índole? E, as FFAA teriam permanecido 20 anos combatendo o comunismo e depois, sem nada que as obrigasse, entregado o País ao mesmo? Isso não expressaria um fracasso reconhecido? Mas, que fracasso se pode tipificar com o gigantesco desenvolvimento que elas deram ao Brasil, o qual a 30 anos só está sendo roubado, depredado e destruído e resistiu até agora, com espaço à sua expansão demográfica e o aumento do volume de atividades que ocorreu até 2.003?  Então, se nota que houve entrega do Governo e não do Poder.

 

 

  1.    – AS ACUSAÇÕES AO POSICIONAMENTO DA CORTE CONSTITUCIONAL.

 

Sobre o auto de corpo de delito do Brasil, mostrando o massacre da nação e a destruição da Pátria, o POVO EM FORO DE SOBERANIA NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS, NO EXERCÍCIO DIRETO DO PODER NOS TERMOS DA CONSTITUIÇÃO QUE ESTRUTURAM O PRESENTE,

 

  1.     – Acusa LUIZ INACIO LULA DA SILVA, analfabeto, mentiroso, vadio, borracho, cafajeste, trapaceiro, covarde, vagabundo, de ser o mentor, chefe e principal usufrutuário da organização transnacional de bandidos terroristas ladrões do País, no Foro de São Paulo, Instituto Lula, Presidência da República e Congresso Nacional, que roubou o Brasil até destruí-lo economicamente à situação falimentar irrecuperável.

Lucidez & Carater.

  1. – Acusa o PARTIDO DOS TRABALHADORES – PT de ser uma organização de bandi -dos terroristas ladrões do País, de ligação do Foro de São Paulo e o Instituto Lula com a Presidência da República, Congresso Nacional, os “Partidos Políticos,” a Imprensa, a Tv Globo, a Procuradoria-Geral da República, a Ordem dos Advogados do Brasil, o Supremo Tribunal Federal, as Escolas e Universidades Públicas agregados na FARRA DO PT NO PODER que transformou a democracia nessa formula de roubo transnacional do mundo pelo banditismo terrorista explorando a fome, o vício, a vadiagem, o crime, a ignorância, a prostituição, a irresponsabilidade, a covardia, a marginalidade, a brutalidade, a arrogância, a torpeza, a falsidade, a mentira, a intriga, a violência, a agressividade, a inimização generalizada das pessoas, a extinção da família, o apodrecimento moral da nação, a diversidade étnica e social, a destruição da pátria e a universalização ideológica da massa humana formada dos pobres, empregados, prostitutas, vadios, vagabundos, veados, cafajestes, pederastas, rufiões, cafetões, traficantes e marginais de toda a espécie, e instalou a CLEPTOCRACIA TERRORISTA TRANSNACIONAL DE BANDIDOS BIFURCADA EM BANDIDAGEM NO PODER & BANDIDAGEM DE CAMPO, que se distribui pelo crime organizado no governo, operado pelas gangues políticas e gerido pelas corporações quadrilheiras; por onde fez da civilização brasileira um inferno, no qual a maioria da nação decente, ordeira, bem formada, livre e de bons costumes, constituída por famílias e empreendedora da Pátria pelo trabalho em expansão empresarial, que somou 89.323.489 constituintes no pleito eleitoral terrorista de 2.014, está sendo massacrada por um tipo de genocídio ideológico macabro, que assassina, estupra, invade, rouba, assalta, agride, depreda, incendeia e aterroriza em forma de banditismo comum organizado pelo MST, CUT, BNDES, TV GLOBO, CV, PCC, APINB, ARPIN-SUL, COIAB, APOINME CIR, ABA, IEB, CRI;  as quais se suprem de efetivos alugados com pagamentos dos alugueres adiantados em forma de “perdões de dívidas” aos países locadores; dos quais, em 2.014 registraram-se  as entradas pelo Itamarati, de 1.830 vindos de Bangladesch; 799 vindos do Senegal e 154 vindos da Nigéria. Eles se apresentaram como “imigrantes” pedindo “refúgio” e sumiram antes de obter respostas; tendo a Polícia Federal localizado eles nessas organizações criminosas; porém, a Polícia Federal foi impedida de prendê-los; e nunca cessou de entrarem tais “imigrantes” e desaparecerem pela mesma modalidade. Resultando explicado o “profissionalismo terrorista,” o armamento; o aumento “fenomenal” da criminalidade de 1.024% de 2003 a 2.015; o domínio das favelas e periferias urbanas pelo “crime federativo” que submeteu a nação a regime prisional, por confinamento nos lares e locais de trabalho, sob o pânico do medo, da insegurança pública, insegurança jurídica, insegurança econômica e insegurança nacional ao grau do Exército ter sofrido uma baixa de 27 soldados  em apenas uma incursão que fez na favela da Maré, servindo de CAPACHO DA BANDIDAGEM NO PODER, porque, como a Polícia, o Exército também só podia sofrer baixas, mas não revidar, e quando prendesse, tinha de oferecer todo carinho, conforto e segurança ao bandido preso, como a Polícia tem de fazer.

 

III. – Acusa DILMA VANA ROUSSEFF, búlgara, alfabetizada, mentirosa, trapaceira, vigarista, embusteira, assassina de soldado, assaltante de quartel, assaltante de residência, assaltante de banco, sequestradora, terrorista, praticante de aborto na prostituição da guerrilha, cuja punibilidade ela mesma restabeleceu pela sua Lei terrorista nº 12.528 de 18.11.2.01; ladra do País e gerente de Luiz Inácio Lula da Silva na organização de roubo do Brasil, massacre da Nação e destruição da Pátria na Presidência da República e Congresso Nacional, Procuradoria-Geral da República, Advocacia-Geral da União, Ordem dos Advogados do Brasil e Supremo Tribunal Federal, com Cuba, Haiti, Nicarágua, Venezuela, Equador, Colômbia, Bolívia, Argentina, Uruguai, Irã, Síria, Coreia do Norte, Vietnam do Norte, Angola, Moçambique, Nigéria, Cabo Verde, Gabão, Congo e mais 13 ditaduras terroristas da África, de ser a segunda na organização de bandidos congregados pelo Foro de São Paulo, Instituto Lula e PT; usurpando o cargo de Presidente da República em assalto ao poder feito pelo Foro de São Paulo através do pleito

Lucidez & Carater.

eleitoral terrorista de 2.014 promovido com dinheiro roubado da Petrobrás, BNDES, Eletrobrás, cofres públicos e do povo, com o qual produziu o sufrágio e fabricou com ele o “mandato” de Dilma nas urnas eletrônica; em cujo desempenho criminoso, se instalou por um espetáculo publicitário que envolve, por fabulosos gastos no volume de roubo do País, um cenário internacional que apresenta ela em trivialidades próprias de bandidos no poder na Feira Internacional de Bruxelas, em reuniões com elencos apresentados como “empresários” nos EUA e refeições e entrevista na Casa Branca com o Presidente Obama, onde deixou registro da sua marginalidade com o calote que deu na companhia de taxis e só não o efetivou porque ela é “caso de polícia” nos EUA, por roubo naquele país através da Petrobras e envolvimento com a FIFA; viajação pelo mundo sem base em nenhum programa de interesse econômico do Brasil falido;  e espetáculo deveras maluco da “compra” de aviões e respectiva tecnologia de manutenção da Suécia, para a Força Aérea Brasileira, em tempo do Brasil falido; cujo “negócio” está sob suspeitas de “falcatruas” e intenção de dar calote na vendedora, face a aquisição desse equipamento já ter sido efetivado no final do governo FHC e Lula o invalidou sob o argumento de que: “o dinheiro da aquisição era melhor empregado no fome zero;” sem entretanto, abandonar o tema como apelo publicitário em seu favor pessoal; tendo permanecido sob o mesmo argumento no governo Dilma, e somente agora, em meio à FALÊNCIA DO BRASIL, DECLARADA PELAS AGENCIAS FINANCEIRAS  e quando ELA NÃO É PRESIDENTE DO BRASIL, E, CONSEQUENTEMENTE, SÃO NULOS TODOS OS SEUS NEGÓCIOS E COMPROMISSOS INTERNACIONAIS, a “compra” do equipamento foi “efetivado” sob estardalhaço publicitário; com dois propósitos: 1) mostrar sua respeitabilidade no mundo capitalista; 2) provar que “as Forças Armadas comem na sua mão as esmolas que o Lula alcança a elas, quando elas enchem o saco.”

 

  •  .III – Havendo indício de que há aconselhamentos da China e da Rússia no enredo terrorista encenado por Dilma, vez que essas participam da organização como membros da respectiva “diretoria” chamada de “BRICS;” sem empenho por ela, mas sim, pelos seus interesses expansionistas: A China, visando o domínio da Amazônia; e a Rússia visando a anexação militar efetiva da Venezuela Colômbia e Bolívia formando bloco com Cuba; cujo projeto depende do domínio do Brasil pela China. E, “a implantação desses objetivos passa por uma guerra civil terrorista no Brasil, que deve ocorrer por evolução natural da convulsão sócio-econômica que já está instalada com êxito. Faltando apenas, a consolidação do choque armado entre a população civil que receberá armamento e suprimentos fornecidos pela China e Rússia, através de um bem urdido plano com o tráfico internacional.” Cuja execução já está em andamento com a colocação de Aldo Rebelo no Mistério da Defesa para desintegrar as Forças Armadas, como ele já começou fazer; valendo-se dos 13% de comunistas que elas contém. O plano foi montado a partir de dois fatores: 1) a impopularidade de Dilma mostrando o grau de revolta popular contra a mesma, que é o primeiro requisito para a “inteligência inimiga infiltrada” desenvolver a consciência de guerra civil inevitável na população, que é feita pela: a) ausência de foro de defesa da nação no Regime; b) menosprezo da Imprensa aos protestos da população e cobertura do governo opressivo; c) manutenção do noticiário de corrupção, desmandos dos políticos e de tudo o que incite o ódio da população; 2) a insatisfação no meio militar com: a) a miséria, à qual as Forças Armadas estão submetidas; b) restrições às suas necessidades de desenvolvimento científico, tecnológico e estratégico ao grau do mundo desenvolvido; c) humilhações, menosprezo, execração e submissão que as associa ao banditismo terrorista empenhado em destruir o símbolos, valores, história e tradições da civilização brasileira, que são guardados pelas Forças Armadas; d) covardia que se estampa por essa submissão das tropas ao massacre da nação, roubo do País e destruição da Pátria, que envergonha a nação, porque, em tal situação, resultam homens sem caráter e sem hombridade pela própria dignidade diante de suas famílias. Pois, se tornam cumplices da roubalheira, na condição de capachos dos bandidos, a troco de “esmolas que comem na mão da Dilma.

Lucidez & Carater.

  • .III – Sobre esses fatores, se agiganta a “crise econômica” que já obriga Dilma vender patrimônios estratégicos da Segurança Nacional, como a venda do equipamento energético nacional, que se soma favorável ao plano Chinês-Russo com a destruição da Petrobrás e do Sistema Financeiro Nacional; porquanto, sem ENERGIA PRÓPRIA, DINHEIRO PRÓPRIO e ARMA PRÓPRIA a Segurança Nacional resulta mero empreguismo de idiotas que perecerão nos quartéis em meio ao equipamento que guardarem. E, a partir de 2.016 o Brasil será tão violento, inconsequente, inseguro e miserável quanto Iraque, Síria, Congo, Coreia do Norte, Palestina, Gabão, Bósnia; porém, sem, ainda, tipificar guerra civil; embora o terrorismo perca sua camuflagem, mas continue disfarçado pela discussão a respeito do modus operandi dos atentados e da respectiva massa dispersa na federação como bacteremia da vocação marginal extrapolada do aparelho repressor do Estado. Pois, com a dívida pública bruta ultrapassando R$ 5 trilhões, mais a dívida privada total ultrapassando R$ 1,7 trilhão, fuga de salvação do capital nativo e custos públicos do País de 105,7” do PIB anual, sob o PIB médio da República de R$ 2,4 trilhões em diluição patrimonial pela recessão, inflação, extorsão tributária e de preços públicos, desemprego, tragédia social, desintegração da nação, predomínio do vício, da doença e da marginalidade decorrente da miséria em expansão, acrescido do roubo de ouro, nióbio, uranio, alexandrita, diamante, brilhantes e demais riquezas naturais somado com o sucateamento dos meios de produção, destruição da infraestrutura necessária à manutenção e expansão empresarial do País, para Dilma se manter na usurpação do cargo terá de vender as sustentações estratégicas do Brasil, que interessarem à China, e colocar a sua Polícia Nacional sobre a população; além de restringir à nível crítico a saúde pública, extorquir a previdência social e cancelar seus programas de investimentos na

educação; e, de ficar cada vez mais dependente dos empréstimos amigos da China, com a qual já está bem atolada.

  • .III – Esta situação é conhecidíssima dos EUA em regime de isenção e sigilo absoluto. Podendo ser interpretado pela sua estratégia de segurança planetária, tendo o Brasil como praça central de uma nova preocupação militar extrema no mundo. Ao que se deve acrescentar o fato de que os EUA não cederiam a Amazônia à China, no caso de ela resultar à quem pegá-la. E isto é considerado tanto pela China, quanto pela Rússia. Daí, o esforço do “plano” de dissolver as Forças Armadas na cleptocracia e elevar sobre elas, a consciência de guerra da nação, visando a “desocupação brasileira da Amazônia” por autoextermínio do povo brasileiro; no qual resulte a China como credora da área pelo volume da sua “ajuda humanitária” enquanto durou a sua agonia como povo. Não haverá, pois, presença bélica ostensiva russa ou chinesa no Brasil, e nem relevo de cunho imperialista chinês ou russo nos desempenhos de Dilma, quer no esperneio econômico público, quer no privado. Embora a presença de chineses na economia brasileira aumente na medida das agruras da “crise econômica.”

 

  1. – Acusa MICHEL MIGUEL TEMER LULIA, JOSÉ DIAS TOFFOLI, RENAN VASCONCELO CALHEIROS, EDUARDO CONSENTINO DA CUNHA, RODRIGO JANOT, JOSÉ GRAZIANO, JOSÉ SARNEY e TODOS OS MEMBROS DO CONGRESSO NACIONAL de comporem na CLEPTOCRACIA TERRORISTA TRANSNACIONAL DE BANDIDOS BIFURCADA EM BANDIDAGEM NO PODER & BANDIDAGEM DE CAMPO, e nela, serem responsáveis com Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Vana Rousseff por crime contra a humanida- de que ela sofre no massacre do povo brasileiro distribuído em: a) eliminação direta contra a vida, já ao volume de aproximadamente 5 milhões de vítimas; porquanto, só no assassinato do banditismo comum ultrapassa 1,2 milhão de pessoas, somando-se os extermínios nos corredores de eliminação do trânsito, do SUS, da desassistência hospitalar, das tragédias familiares e sociais;  b) eliminação indireta contra a vida por supressão do progresso e qualidade do meio ambiente de sobrevivência desfechado pelo roubo do País e destruição da Pátria, já ao montante aproximado de R$ 36 trilhões, composto pelo roubo da economia pública, o roubo dos cofres públicos, o roubo ao bolso do povo, os prejuízos materiais, as perdas e danos e

Lucidez & Carater.

lucros cessantes, e os prejuízos morais por falta de saneamento básico. Sem contar o roubo das riquezas naturais que presume-se excederem esse valor; e os prejuízos em todos os sentidos por saturação do lixo, falta de urbanização, de abastecimento hídrico e de destruição da Natureza. c) eliminação provocada contra a vida por destruição da inteligência e da educação, feita com a pulverização do ensino em curseira sem conteúdo pedagógico capaz de promover a expansão intelectual, iluminar a racionalidade e habilitar a nação de capacidade científica e tecnológica para as suas necessidades de progresso e desenvolvimento, por onde a bandidagem acorrenta o Brasil ao subdesenvolvimento crônico que lhes permite mantê-lo em saqueamento permanente como despojo das urnas em partilha entre si.

 

  1. – O “programa do governo” de “recuperação da economia e combate à corrupção e à violência,” agora, depois que todas as outras mentiragens falharam é: “a imprensa televisiva só mostrar as banalidades da dinâmica popular; cenas de pessoas inventando meios de sobrevivência; lojas inventando artes de vendas; pessoas que voltam a atividades rurais; setores da agricultura com pequenos volumes de exportações se beneficiando da alta do dólar; e, enfim, um contexto de atividades banais, ocupações de desesperos por falta de outra alternativa de sobrevivência; movimentos nos trechos de rodovias asfaltadas ainda em condições razoáveis de transito; evitando mostrar o estado de miséria crescente da população; a destruição do país; os corredores de extermínio do SUS, da rede hospitalar; os estoques encalhados; a redução de produção e de empresas; como se o Brasil estivesse começando agora; e não noticiar mais a tragédia marginal, o caos social; o trabalho da Polícia Federal; o desempenho dos juízes que se destacam

dos “bandidos escondidos atrás da toga,” dos procuradores e promotores que rompem a fusão do Ministério Público com o banditismo terrorista no poder; mantendo apresentações de acidentes de trânsito, cenas policiais; violências familiares, tudo estrategicamente colocado e em divulgações empasteladas.” E, sustentado por essa “nova estratégia” do marketing marginal, Luiz Inácio Lula da Silva anunciou que substituirá sua gerente Dilma Rousseff em 2.019, prometendo, com ferocidade, que “acertará as contas com aszelite que estão atacando o PT. Aconselhando os petistas a se manterem sem saber de nada,” como se fossem somente eles no mundo e o mais tudo fosse apenas um ruído, sons e movimentos sem importância.

 

Então, fez-se uma verificação do estado de terror da nação em Brasília/DF; Rio de Janeiro/RJ; Campo Grande/MS; Foz do Iguaçu/PR; Passo Fundo/RS/; Laranjeiras do Sul/PR, e Ponta Porã/MS. Em todas, as populações continuam aterrorizadas, confinadas e afirmando que “a criminalidade não para de aumentar.” O tráfico de drogas deixou de ser escondido; os assassinatos; estupros; invasões de propriedades; roubos, furtos, assaltos se multiplicam. E os bandidos estão seguros de que “o Lula, finalmente voltou proteger a turma; a Imprensa não persegue mais a gente; e aí a polícia não se mete porque morre.”

                              Isso faz parte da “estratégia” chinesa, russa e islâmica de acomodação dos terroristas no crime organizado; alastramento das atividades ilícitas; acomodação do roubo do País, e fomento ao ódio revolucionário, porque é este que acolherá a oferta de armas para a guerra civil.

 

  1. COM ESTAS ACUSAÇÕES emergentes da Constituição sobre o auto de corpo de delito do País, invoca a posição da Constituição na Corte Constitucional em exposição monocrática de urgência sobre a

DECISÃO DO POVO EM LEGÍTIMA DEFESA, DE EXTINGUIR À BALA PELAS FORÇAS ARMADAS, POLÍCIA FEDERAL E POLÍCIAS MILITARES A CLEPTOCRACIA TERRORISTA TRANSNACIONAL DE BANDIDOS BIFURCADA EM BANDIDAGEM NO PODER & BANDIDAGEM DE CAMPO, considerando que o auto de corpo de delido do País e da nação é surtido de atrocidades, banditismo, terrorismo, estupro,

Lucidez & Carater.

barbáries, torpeza em grau insuportável, porque excede em tudo os limites da tolerância e impõe o dever de hombridade até onde for preciso matar pela Pátria como remédio extremo que o bom senso e o instinto de sobrevivência e preservação da espécie impõe. Porquanto, é da boa razão que a humanidade civilizada

produz bandidos, mas não precisa deles. Por isto, a guerra em si e em suas derivações de revolução e legitima defesa é o remédio saneador da Natureza impresso no DNA humano que, nas espécies vegetais ela executa pelo fogo, e nas espécies animais ela executa pela seleção natural.

 

Nessa decisão o POVO ESTÁ PRONTO com seus arsenais domésticos à mão, e, em falta destes, teria equipamento bélico ao dobro pela via do socorro humanitário que a Constituição assegura na SOBERANIA SOLIDÁRIA, e aglobalização dos povosacolhe, vez que nessa ordem mundial de congraçamento planetário dos povos distribuídos pela soberania, independência e auto determinação para o progresso em busca da qualidade de vida, como princípio e fim do existencialismo racional na Vida, que atende o Homem em sua única finalidade de procriar, sobreviver e raciocinar, É A HUMANIDADE QUE ESTÁ SENDO MASSACRADA NO POVO BRASILEIRO, PELO TERRORISMO DE BANDIDOS, vez que o comunismo se extinguiu como estertor patológico da psicopatia congênita, comprovada pela sua voracidade assassina que marcou o século 20, no qual ele apareceu, com mais de 150 milhões de pessoas assassinadas, e, quase uma geração humana inteira trucidada pelas mais diversas formas de satanismos, sadismos e voragens sanguinárias ilimitadas; sem oferecer nenhum tipo de desenvolvimento à humanidade; embora a miséria, degradação social, apodrecimento moral, doença, vício, ignorância, marginalidade e escravidão ficaram como produto do comunismo por onde ele passou na extinta União Soviética, e como está em Cuba.

 

Entretanto, como a saturação da democracia capitalista produziu a massificação com um grupo de produção concentrando a riqueza e sublevando a propaganda e a fachada sobre a razão e a personalidade, e uma massa de consumo fazendo a especulação financeira, o fim do comunismo proletário

produziu o banditismo terrorista com o roubo organizado no comando do espetáculo político, o roubo popular no crime organizado em suas diversas modalidade, e a nação massacrada entres os dois flancos sem outra opção além da aceitação como prêmio de sobrevivência.

 

E por isso, o EXPURGO DA BANDIDAGEM TERRORISTA DO PODER objetiva a instalação do Brasil  em canteiro de obras de construção da DEMOCRACIA COOPERATIVA pelo PROJETO AMAZÔNIA – SOBERANIA, PODER E RIQUEZA PELO CAMINHO DA ROÇA, que traz a ECONOMIA TRABALHISTA EDUCATIVA empreendida pelo COOPERATIVISMO DE ESTADO formado da iniciativa privada e governo, campo e cidade, na transformação da tríade genética da Economia: HOMEM-TERRA-NATUREZA em PROGRESSO para QUALIDADE DE VIDA sob a regência da LIVRE IINCIATIVA pelos trilhos da COMPETIÇÃO e CONCORRÊNCIA regulados pela PRODUÇÃO e CONSUMO, sob a racionalidade do CUSTO/BENEFÍCIO. Pela qual, o Estado estará distribuído por: 1) GOVRNO em SEGURANÇA-SAUDE-EDUCAÇÃO-ADMINISTRAÇÃO; 2) INICIATIVA PRIVADA em TRABALHO-PATRIMÔNIO-RENDA-TRIBUTOS; 3) PÁTRIA em SOBERANIA. Como está projetado na Constituição.

 

Então, sobre as feridas do roubo do País, massacre da Nação e destruição da Pátria, pela bandidagem terrorista a expurgar do poder, o POVO não se assenta em aspiração justiceira fundada em qualquer tipo de ideologia ou revanche mas sim, na convicção de que a Vida Civilizada é cíclica e cumpre as respectivas órbitas de inovação, progresso e declínio enquanto a dinâmica nacional não se instala no PROGRESSO para QUALIDADE DE VIDA. E então, a DECISÃO DE LEGÍTIMA DEFESA se limita ao estabelecimento do Brasil em canteiro de obras de construção da democracia que a sua Constituição projeta; dentro da impessoalidade absoluta da vocação pública para a liderança, do desprendimento da competência superior

Lucidez & Carater.

para o governo e da insuspeitabilidade moral para a política. Porque são esses os requisitos do sacerdócio organizacional da espécie inteligente. Evidente que a DEVOLUÇÃO DO ROUBO AO PAÍS, a PENA PELO MASSACRE DA NAÇÃO e a INDENIZAÇÃO PELO RESPECTIVO DANO MORAL a bandidagem sofrerá na conformidade da LEI

pelo bom senso insuspeito. E não está descartada a violência no teatro operacional do expurgo da bandidagem do poder, porque, em essência, o que se restaura é a Doutrina Cristã que produziu a civilização brasileira, a qual ensina que: “O soldado não carrega a arma para enfeite, mas sim, porque é MINISTRO DE DEUS VINGADOR para castigar os que optam pela marginalidade.” (Lula sofre azia de livros e Dilma é adepta do aborto). Daí, se o POVO saiu pelo seu resgate e resgatar a Pátria das garras da bandidagem terrorista, conhecendo na pele a perversidade e insensatez do inimigo, ESTÁ EQUIPADO PARA MATAR PELA PÁTRIA.

 

E, RESPEITOSAMENTE LEMBRA À CORTE CONSTITUCIONAL que ela é desprovida de opções e de posicionamento por consciência, achismo, ou sapiência de investidura, porque no art. 102 caput da Constituição ela É A PRÓPRIA CONSTITUIÇÃO e como tal, é o POVO EM PODER CONSTITUINTE NO SEU PERCURSO HISTÓRICO E NA SUA DIMENSÃO MORAL E INTELECTUAL instituídos na Constituição por dogmas da sua civilização. Logo, a posição da Corte Constitucional, ainda que se resuma no que resta dela, É A POSIÇÃO DO POVO, consagrada, ou será o TESTE DE CONVICÇÃO DO REPRESENTANTE CONSTITUCIONAL DO POVO EM 89.323.489 CONSTITUINTES QUE ELE ENCARNA NO COMPROMISSO ASSINADO ÀS FORÇAS ARMADAS NO DIA 19.06.2.012 PERANTE O ALTO COMANDO NO GABINETE DO COMANDANTE DO EXÉRCITO, DE SER MORTO E NÃO PRESO SE CONDUZIR A NAÇÃO À ERRO. O que o colocará, na qualidade de escriba da Constituição, em confronto com a Corte Constitucional instituída por ela. E, embora a lição da Doutrina Cristã seja no sentido de que o ideal se sobrepõe aos instintos pelo sacrifício, na lição do Criador crucificado pela Criatura, o Signatário composto pela maioria constitucional absoluta do povo, demonstra não ter vocação para holocausto; e nesse grau de comprometimento, vê a cruz como obstáculo que encarna o inimigo pelo qual tem de passar.

 

A menos que, à luz da Constituição pronunciada com autoridade pedagógico sobre o acervo cultural e histórico da humanidade filtrado pela hombridade, honradez, caráter e lucidez, a Corte Constitucional -no que dela resta- mostre que o auto de corpo de delito do País que OBRIGA O POVO À DECISÃO DE MATAR PELA PÁTRIA, tenha sido produzido pela Constituição e não pela bandidagem terrorista no poder; que não há extinção de eficácia do Estado Democrático de Direito; que o modelo político e governamental imperante não é uma cleptocracia; que Dilma não usurpa o cargo; e mostre em números insuspeitos, que o Brasil não está falido; que a “crise econômica” não existe; que a “crise política” não existe; e mostre, face a todas as explicações e justificações controvertidas da bandidagem terrorista, que a recessão, inflação, desemprego, aumento de juros, disparada do dólar,  rombo orçamentário, dívida pública impagável, não é fruto do roubo do País, mostrando com as obras e realizações de governo, onde está mais de R$ 25 trilhões de impostos que foram extorquidos do povo nestes últimos 13 anos.

 

 

                             ISTO POSTO,

 

O POVO não descrê do senso de responsabilidade da Corte Constitucional e espera a posição invocada rapidamente, nos moldes de liminar, vez que, em Foro de Soberania não há perseguição

ou instrução probatória, porque a razão de estado, crise institucional de estado, assalto ao poder, falência do país, caos social estão expostos no estado insuportável do País, que leva à reação de cidadania; ou esse

 

 

POVO BRASILEIRO EM INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO EM FORO DE SOBERANIA

COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADASAS

 

estado não existe e ai se tem uma conspiração. Por isso que a reação forense de cidadania É EXPRESSADA PELA CONSTITUIÇÃO ASSENTADA NAS ARMAS, fazendo esfera, na qual os “doutores meio-mastro” não se metem e os que tem juízes por “seres celestiais” não se apresentam. Pois, em civilização onde “todo o poder emana do povo que o exerce por meio de representantes eleito ou diretamente nos termos da Constituição,” inexiste autoridade absoluta. E quando o povo emerge no exercício direto do poder, a condição da reação é a hombridade e o pressuposto é a BALA. Aliás, desvestido de devaneios e recheios de erudição, PODER É BALA.  Nessa realidade a CIDADANIA se bifurca na Constituição em PODER DE COAÇÃO DO ESTADO, MAGISTRAL, e PODER CONSTITUINTE, INSTITUCIONAL, que impõe aos diálogos forenses nessa esfera, IGUALDADE PEDAGÓGICA, INTELECTUAL E MORAL, que são, aliás, os dogmas fundamentais da fusão do VOTO com a BALA fazendo o PODER OPERACIONAL DA CONSTITUIÇÃO. No qual a investidura magistral excelsa é outorga do POVO pelo mandato do Presidente da República que a concede; quanto o comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas é outorga do POVO no mandato presidencial. Daí, tanto essa investidura quanto esse comando são constituintes e não constitucionais.

 

Logo, a CORTE CONSTITUCIONAL e as FORÇAS ARMADAS SÃO EQUIPAMENTO DO POVO EM PODER CONSTITUINTE NA INTERVENÇÃO NO PROCESSO HISTÓRICO. Não há honra maior do que essa. Daí, quem a menospreza, ou quem a recebe para trair o POVO, como apátrida, NÃO É DIGNO DO ESPAÇO QUE OCUPA ENTRE A NAÇÃO, porque está atentando contra o art. 1º inc. III da Constituição, que é dogma sagrado da civilização brasileira. Com isto, o POVO EM FORO DE SOBERANIA NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS, consigna e ratifica que

 

AS TROPAS ESTÃO A POSTOS E O TEMPO URGE, PORQUE A PÁTRIA GEME!

 

 

NOTIFICAÇÃO AO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.

      

Considerando que a Corte Eleitoral Suprema reconheceu que Dilma Vana Rousseff está usurpando o mandato de Presidente da República em assalto ao poder por pleito eleitoral promovido com dinheiro roubado da Petrobras, e o encarregou à Polícia Federal, e que, em virtude disso, “o Brasil não tem Presidente da República,” o Supremo Tribunal Federal resulta integrado à cleptocracia dos “ladrões de sindicatos” e com eles, é responsável por todos os atos que Dilma Vana Rousseff, Michel Temer e quem os substitua na usurpação do cargo, estão praticando como “titulares da Presidência da República,” dentro e fora do Brasil. Porquanto, desde o dia 27.07.2015 a Corte Constitucional está formalmente invocada às providências que lhe cabem; além de todos os expedientes anteriores que recebeu, reconheceu seus conteúdos e os homologou expressamente.

 

 

                                      RECEBIMENTO E AUTUAÇÃO.

 

Como já foi lembrando, a Instituição da Cidadania ou Foro de Soberania, após 27 anos da promulgação da Constituição que o institui por preservação do Poder Constituinte como equipamento de autodefesa da Constituição, não tem via regimental em nenhum dos poderes constitucionais. E, embora o auto de corpo de delito do País que impõe a reação institucional do povo anunciada por este ato, exclua a temeridade na afirmação de que esse desatendimento à Constituição é doloso, o senso de fraternidade nacional recomenda consignar-se a hipótese de falta de boa leitura da Carta Dogmática pela Corte Constitucional, vez que o STF já registra respeito à mesma, nessa esfera, com a “Central do Cidadão.” Cuja,

ficou com natureza populista demagógica ao grau de ouvidoria de exceção por ser desprovida de regimento interno que a Instituição da Cidadania demanda. Pois, o Foro de Cidadania não é demandatário decisório, mas é parlamentar institutivo. A posição da Corte Constitucional ou é promulgatória do ato institucional de cidadania a ela apresentado, por ele instalar o povo no exercício direto do poder sobre a respectiva traição mandatária nele invocada, ou é revocatório do mesmo por ele tipificar conspiração por ausência da traição mandatária que, in casu, está presente como: RAZÃO DE ESTADO; CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO; ASSALTO AO PODER; FALÊNCIA DO PAÍS POR ROUBO e CAOS SOCIAL decorrente dessas situações.

 

Assim, a distribuição e autuação do presente ato institucional de cidadania à Corte Constitucional no atendimento ao art. 102 caput, pelo art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II, III, VIII, o art. 5º caput e incs XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art. 37 caput, o art. 60 § 1º, o art. 84 inc. XIII, com o art. 142 e o art. 80 com o art. 91 inc. VIII, e o art. 144 caput, da CF, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1

da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001, e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU, com o Decreto n. 5.639 de 26.12.2005, e o Decreto n. 4.388 de 25.09.2002, encontra recepção na Central do Cidadão, fora do Regimento Interno do STF, porque esse disciplina a distribuição e autuação do Foro Judiciário demandatário decisório, que resulta abrangido no Foro de Soberania constituinte institutivo. Em outra consideração pedagógica, o Foro de Soberania é absoluto na Constituição, e nessa esfera deve ter encaminhamento procedimental de cidadania em regimento próprio, ou resulta operado pelo exercício direto do poder nos termos da Constituição, sob a autoridade de cátedra.

 

Não havendo contraditório, não há instrução, porque inexiste a ampla defesa. Não há ex adversa e sim INIMIGO APÁTRIDA, BANDIDOS, TERRORISTAS “LADRÕES DE SINDICATOS” NA CLEPTOCRACIA QUE TRANSFROMOU O PAIS NUM SIDICATO DE LADRÕES.” Instalando ESTADO DE CONFRONTO DE LEGÍTIMA DEFESA ARMADA, que implica em INTERVENÇÃO no Processo Histórico, que não é revolucionária e sim forense, demandatária da posição da Corte Constitucional no art. 102 caput da Constituição. Daí inexistem suplementações de autoria, vez que O POVO É A NAÇÃO EM SUA TOTALIDADE, MENOS A MINORIA DE BANDIDOS LADRÕES, TERRORISTAS APÁTRIDAS QUE ESTÃO EM ASSALTO AO PODER ROUBANDO O PAIS, MASSACRANDO A NAÇÃO E DESTRUINDO A PÁTRIA. Então, diligências, se houver, são requisitadas à Polícia Federal.

 

                               In casu, a apresentação do presente ato institucional de cidadania à Corte Constitucional, resulta determinada pela Constituição sob a autoridade de cátedra. Por autuação física; primeiro, porque é feito parlamentar destinado a produzir o documento de reencaminhamento do Processo Histórico pelo povo em Armas, ou de dissolução de conspiração armada de graves consequências institucionais ao trato pela própria Corte Constitucional; segundo, porque não está abrangido pela lei que instituiu o processamento eletrônico.

Também não se sujeita à “preparo,” porque teria de ser suportado pelo Tesouro Nacional ou denunciaria ab initio interesse aniquilador da impessoalidade física e econômica do povo constituído por: Nação-Território-Soberania na Constituição por ele promulgada.

 

Campo Grande/MS 05 de novembro de 2.015

 

celio evangelista ferreira do nascimento

na representação constitucional do povo

no comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas

VEJA O DOCUMENTO ILUSTRADO 

https://drive.google.com/file/d/0Bx6c2XTVi_HveVhYR3RtSjVUcUU/view?usp=sharing

 

Anúncios

Comentários desativados em ATO À CORTE CONSTITUINTE

Arquivado em Documentos, PROJETO AMAZÔNIA

Os comentários estão desativados.