RATIFICAÇÃO DA POSIÇÃO DE CONFRONTO

1487266_730992800256075_1247352144_n

EU, CELIO EVANGELISTA FERREIRA, qualificado no procedimento constitucional de INTERVENÇÃO CONSTITUINTE em Foro de Soberania nas Forças Armadas, na qualidade de representante constitucional do povo em poder constituinte na Constituição da República, iniciado com o PO 1300820 -07.02.2013, perante o Colegiado de Caserna da Magistratura de Estado composto pelo Alto Comando das Forças Armadas na Instituição da Presidência da República, e formalizado nos termos da Constituição pelos PROTOCOLOS: STF 0038341, 29.2.2012, PR CODIN/POT/19.02.2012; SF29.02.2012; SF17.07.2012; SF11.06.2012 STF; PGR CD PR SF; CFA 117.419 29.02012 30.05.2012, 10.10.12; DPF/MS 08335.025373/2012-65 27.11.2012; DPF/ MS 335.005016/2013-61 28.01.2013; DPF/DF 08001.08335.0032 35/2002-5; 08001.008976/2012-74; 08001.014173/20 12-59 – COGER/DPF; 08200.008079/2013-03; 08200.008592/2013-96; DPF/CEVEL-PR 02.05.2013; MPF/MS-00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 000 07 443 /2014 – 00007787/2014 – A.D. SF 15492345 1 BR; MPE/MS-PGJ – 043779-2/2; 018742-2/2019223-2/2M; CD 006198- 30.9.13; SPF 08335,006262/ 2014-11; PGR 00001654/2014; PGR 0007443 PR 04.09.2013; PR JG 642440674BR STF AR-J6603237679BR; PF 08335.018120/2014-05; PGJ 022451-2/2; 022450-2/2; 018742-2/2; 019223-22/, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, PGR 10058/2014. STF SF 82200437/2014; STF PE 6197258220; ACFA PE 513259353JH; STF PE 513269996JH; STF PE 619725820JH; PRM-CAC-PR; 10058/2014; PR PRM-CAC-PR 00010318/2014;10058/2014; PR PRM-CAC-PR 010318/2014; 00010318/2014; 10058/2014; PR PRM-CAC-PR 00010318/2014; PRM-CACA-PR-10526/2014-04.12.2014; PRM-CAC-PR 10790/2014 – 18.12.014; PRM-CAC-PR-0000346/2014 – 15.01.2015; que mostram a RAZÃO DE ESTADO na dinâmica do Regime e a CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO e ASSALTO AO PODER na Instituição da Presidência da República, impondo INTERVENÇÃO CONSTITUINTE no Processo Histórico, que o povo já instalou pelo exercício direto do poder no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II, III, VIII, o art. 5º caput e incs XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art.. 37 caput, o art. 84 inc. XIII e o art. 142, o art. 144 caput, com o art. 127, o art. 102 caput e o art. 80, da CF, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001, e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU, pelo exercício do Decreto n. 5.639 de 26.12.2005, com o Decreto n. 4.388 de 25.09.2002, por este Ato Declaratório de Cidadania, venho aos poderes constitucionais e à nação DECLARAR ACEITO E INSTALADO O ESTADO DE REVOLUÇÃO PROMOVIDO EM 1964, SUPENSO PELA LEI 6.683/79 E RECUPERADO PELA LEI 12.528/2011, no qual ASSUMO e DENUNCIO o que segue:
RATIFICAÇÃO DA POSIÇÃO DE CONFRONTO.
Na qualidade de integrante vivo da Revolução de 64, como mentor no respetivo “IDEÁRIO” que a instalou, ASSUMI tudo o que possa ser acusado contra ela, no período de 1964 a 1985, perante os poderes constitucionais, pela Procuradoria-Geral da República no dia 18.12.2014,na reação ao relatório execratório da Comissão Nacional da Verdade, constante do protocolo PRM-CAC-PR -10790/2014, junto aos poderes constitucionais, embaixadas e à nação, isentando de toda e qualquer suspeita os 377 brasileiros mortos e vivos, da mais lídima conduta e santidade vocacional pela Pátria, que foram expostos à execração moral e esquartejamento de personalidade, em condenação perpetua. E ACUSEI Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff, Michel Temer, Renan Calheiros, Eduardo Cunha, Ricardo Lewandowski no art. 80 da Constituição, com o PT & PSDB formando o núcleo do terrorismo de bandidos que se distribui pelas 32 corporações quadrilheiras em bandidagem no poder e bandidagem de campo, em forma de crime organizado no governo, operado por gangues políticas e gerido por corporações quadrilheiras, de serem os terroristas autores de todos os tipos de terrorismos que o povo brasileiro sofreu e está sofrendo desde 1964 até hoje.
E nesse grau de confronto institucional informei que estava exposto às punições que entendessem aplicáveis, no Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF, encarnando o povo em 89.323.489 milhões de constituintes, falando o VERBO DE CHUMBO na Constituição pela BOCA DOS CANHÕES nas Forças Armadas, em virtude da Lei terrorista n. 12.528/2011 ter reinstituído o status quo ante da Revolução de 64, destruído o Estado Democrático de Direito e reinstalado o Brasil em estado de revolução cinquentenária. No qual, ou o povo confessava perante o mundo, que é culpado de todos os horrores que a bandidagem terrorista no poder o acusa, ou consolida o IDEÁRIO DA REVOLUÇÃO DE 64, que implica na RETOMADA DO GOVERNO, dentro da ordem democrática instituída pelo Foro de Soberania no art. 1º incs. I,II e parág. único, art. 3º inc. I, art. 4º incs. II, III, VIII, art. 5º inc. XLIII, com o art. 84 inc. XIII, o art. 142 e o art. 80 da Constituição. E assim formalizei a DECLARAÇÃO CONSTITUCIONAL DE ACEITAÇÃO DO CONFRONTO FINAL PROPOSTO. Entretanto, ao invés de ser preso e o meu abrigo de reação desmontado, a acusação resultou reconhecida por homologação tácita, e, de consequência, as Forças Armadas mantidas no estado constitucional de rompimento do voto com a bala na Instituição da Presidência da República, como o inimigo da subversão terrorista.
Então, é dentro do estado de revolução em queRESULTEI NAS FORÇAS ARMADAS diante da SUBVERSÃO OLIGÁRQUICA COMUNISTA TERRORISTA DE BANDIDOS, que RATIFICO todo o Procedimento Constitucional de embasamento forense da INTERVENÇÃO, mencionado nos proto- colos de início, e DECLARO que SOU ORESPONSAVEL PELA REAÇÃO DE CIDADANIA DA NAÇÃO DECENTE, que, por meu desempenho, esclarecimento, exemplo e convicção, instalou a CONSCIÊNCIA DE GUERRA. A qual, por minha convocação colocou o povo na praça pública no dia 17 de julho de 2.013, dentro do Brasil e no mundo todo onde haviam brasileiros. E mostrou convicção consolidada no 12.06.2014, quando o povo, por uma multidão de mais de 50 mil pessoas, perante o mundo, mandouDilma “tomar no cu.” Encerrando, pela gravidade penal do insulto, a fase de xingamentos e ofensas morais, que instalou a fase das vias de fato.

BRASIL ANTES DE 1964

ULTIMAS NOTÍCIAS DO FRONT

“Na execução interventorial da Constituição o POVO já encerrou o respectivo procedimento, convocou as Forças Armadas a desaquartelamento para a instalação do teatro operacional de campo que a Segurança Nacional e a Segurança Pública impõe ao momento, e apresentou à nação o titular constituinte da investidura interina da Presidência da República, o Exmo. Gen. d/Ex. EDUARDO DIAS DA COSTA VILLAS BOAS, Comandante do Exército. Quem tiver o que opor em contrário, por favor o faça pelo e-mail: cexvanaverba@hotmail.com ”  Célio Evangelista Ferreira

ATO INSTITUCIONAL DE CIDADANIA

https://celioevangelistaferreira.wordpress.com/2015/08/10/ato-institucional-de-cidadania/

Anúncios

Comentários desativados em RATIFICAÇÃO DA POSIÇÃO DE CONFRONTO

Arquivado em Documentos

Os comentários estão desativados.