CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO, ASSALTO AO PODER, FALÊNCIA DO PAÍS E CAOS SOCIAL

1619664_1478231249058620_539203646_n

Foto: Marcha da Família/2013/ São Paulo

          Depois de 11 anos de acompanhamento da subversão comunista terrorista de bandidos no poder, na missão que nos impõe o “Ideário da Revolução de 64” que previa a depuração da civilização brasileira pela auto extinção do subdesenvolvimento levando o ideologismo e tudo o que atrasa o Brasil consigo, pelo SUICÍDIO DE PODER feito pelo PT no Foro de São Paulo e Instituto Lula, com humildade e gratidão à nação brasileira que a 50 anos está ativa com as Forças Armadas na MARCHA DA FAMÍLIA COM DEUS PELA LIBERDADE, contra o comunismo, apresentamos o Exmo. Sr. Gen. de Ex. Eduardo Dias da Costa Villas Boas, com posse na Presidência da República marcada perante o STF através da PR, para o dia 05 de outubro de 2.015, por ser o titular da investidura interina no art. 1º incs. I,II e Parág. único com o art. 4º incs. I,III, o art. 84 inc. XIII com o art. 142 e o art. 91 inc. VIII, da CF. em virtude dos nominados no art. 80 da Constituição integrarem o terrorismo oligárquico comunista fundamentalista de bandidos que submete o Brasil A titularidade constitucional, a legitimidade democrática e a imposição meritória estão presentes em toda a REAÇÃO DE CIDADANIA que culmina com a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE. E, fiel às tradições de fraternidade e unidade nacional, o POVO NAS FORÇAS ARMADAS ofertou à sra. Dilma Vana Rousseff, a oportunidade de uso do bom senso, ao reconhecimento de vacância no cargo de Presidente da República, sob promessa de que lhe será garantido direito de asilo, com segurança à sua integridade física e moral enquanto permanecer em território brasileiro. Embora tenha sido estabelecido o período de prevalecimento do bom senso ao inimigo, desta data em diante, TUDO PODE ACONTECER. A SEGURANÇA NACIONAL E A SEGURANÇA PÚBLICA SÃO INEGOCIÁVEIS E AS FORÇAS ARMADAS REAFIRMAM SEU ÚNICO COMPROMISSO COM A SUA VOCAÇÃO NA ETERNIDADE DA FARDA QUE FAZ A NOSSA CONTINUIDADE HISTÓRICA NA PERENIDADE DA PÁTRIA.
        __________________________________________
        O POVO EM FORO DE SOBERANIA NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS pelo representante constitucional ao final assinado
        EM MENSAGEM AOS COMANDANTES FAZ AS SEGUINTES PONDERAÇÕES.
        1) Contrariamente ao que anuncia o sr. Michel Temer, não existe “crise econômica” e nem “crise política,” mas sim, ROUBO DO PAIS até o estado falimentar em que ele está, por um desfalque superior a R$ 36 trilhões, que vem sendo praticado desde 2.003 quando o Brasil foi submetido à FARRA DO PT NO GOVERNO. E, BANDIDAGEM TERRORISTA NO PODER, distribuída em crime organizado no governo, operado por gangues política e gerido por corporações quadrilheiras, que submete a nação ao massacre já com mais 1,25 milhão de vítimas, como a RAZÃO DE ESTADO somada à CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO, com o ASSALTO AO PODER, a FALÊNCIA DO PAIS e o CAOS SOCIAL demonstram na INTERVENÇÃO CONSTITUINTE em efetivação.
        1.a) O FLAGRANTE DELITO que se distribui nessas 5 tipificações penais e perdura a 13 anos, se materializa por três estados criminosos, que vitimam o POVO BRASILEIRO em situação de legítima defesa: 1) assalto ao País; 2) massacre da Nação; 3) destruição da Pátria.
        §) Na RAZÃO DE ESTADO, no momento, a bandidagem terrorista no poder está praticando o roubo do País pelo que eles chamam de “ajuste fiscal,” que está sendo praticado com o massacre da nação na:
        I) aposentadoria e amparo dos velhos, aleijados, cegos, mudos, doentes e deficientes de todo o gênero, que povoam a população brasileira por falta de: a) cobertura de sobrevivência na economia estagnada; b) ausência de qualidade de vida como objeto do trabalho;
        II) saúde pública que mata 46 pessoas por dia nos corredores de extermínio do SUS e 522 mil outras, por ano nos corredores de extermínio hospitalar; e faz 88,9% da população doente por miséria, estresse, depressão, medo e desespero, amontoada no SUS, como foi o “holocausto” no nazismo que é a raiz do PT.
        III) dinâmica de sobrevivência, que mata 43 mil pessoas e aleija e fere outras 135 mil, por ano, nos corredores de extermínio do trânsito;
        IV) segurança pública, que mata 156 pessoas por dia, registra uma ocorrência marginal a cada 0,38 minutos; realiza 13 mil estupros de mulheres de 18 a 30 anos e 46 mil estupros de crianças, por ano; mantém 83% das cidades e 11% do campo no domínio do tráfico de drogas e dá prosperidade ao banditismo de 1.024% de 2003 a março de 2.015;
        V) empobrecimento da nação da 11ª economia do mundo que era em 2.003 para o 85º lugar em desenvolvimento humano; 95º lugar em analfabetismo; 77º lugar em mortalidade infantil; 82º lugar em mortalidade materno-infantil; 81º lugar em renda per capita; 89% lugar em saúde pública; 5º lugar em segurança pública; 4º lugar em corrupção, em 196 países levantados em 2.013; voltando a não ter mais classificação econômica mundial em virtude do País estar sendo movido por falcatruas contábeis, estelionato estatístico, renuncias fiscais estelionatárias, estelionato de preços públicos, estelionato de consumo e emissões de real frio, e totalmente falido por uma dívida líquida de mais de R$ 6 trilhões sobre um PIB de R$ 2,4 trilhões. E, o roubo pela modalidade de financiamento de obras na “Pátria Grande,” soma 22 assaltos ao BNDES, e mais as doações de: R$ 25 milhões ao Hamas; US$ 300 milhões a Moçambique; US$ 83,1 milhões à Nigéria; US$ 5,3 milhões à Bolívia; US$ 4 milhões ao Cabo Verde; US$ 3,6 milhões ao Gabão; US$ 1,56 milhões e mais R$ 2,3 bilhões à Cuba; US$ 3 milhões à Angola; R$ 800 milhões à Argentina e “perdões de dívidas” a mais 13 países africanos, que, na realidade eram pagamentos adiantados de aluguel de terroristas para virem lutar na guerra terrorista que estavam montando no Brasil pelo Foro de São Paulo e Instituto Lula.
        VI) destruição da economia, que o PT provou com o seu espetáculo verborreico, bizarro e ridículo como são os bandidos respectivos que o protagonizaram no dia 06.8.015 pela televisão, quando informou em números o ASSALTO AO PAÍS pela modalidade de aninhamento da população descoberta de capacidade própria de sobrevivência POR VADIAGEM, IRRESPONSABILIDADE, COVARDIA, e DEFICIÊNCIA RACIONAL e do MST, PCC, CV, etc, no erário público. Pelo sistema de “renúncias fiscais estelionatárias,” “congelamento de preços públicos,” “ocultação da recessão,” “mascaramento da inflação” e fomento do consumo por emissões de real frio para formar o lastro metálico em contas correntes ao multiplicador bancário, por onde geraram a “bolha tributária” de dinheiro falso oriundo da Casa da Moeda, porque a economia já não produz mais nem a carga tributária. Fazendo o roubo do País contabilizado pelo Tesouro, por uma sui generis folha de pagamento dos empregados na iniciativa privada pagos pelos cofres públicos. Em cujo sistema de roubo do Pais o “ajuste fiscal” associou as montadoras de automóveis pelo PPE, roubando 30% dos salários dos respectivos empregados e reduzindo-lhes a possibilidade de recuperar esse assalto, pelo trabalho, porque foram condicionados a trabalhar apenas meio período, se quiserem permanecer empregados.
        § Na CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO a bandidagem terrorista está na: 1) prática da extinção de eficácia ao Estado Democrático de Direito, esbulhando o cargo público de Presidente da República, por assalto ao poder feito com o pleito terrorista promovido pelo Foro de São Paulo, com dinheiro roubado da Petrobras, BNDES e cofres públicos; 2) supressão de foro de socorro à nação, no regime operado por “bandidos escondidos atrás da toga,” 3) transformação das instituições em crime organizado no governo, operado por gangues políticas e gerido por corporações quadrilheiras; parecendo que as instituições estão funcionando porque esse sistema acabou com a tripartição dos poderes e estabeleceu o conchavo e o cambalacho na redistribuição do País como despojo das urnas, entre as gangues políticas, em cujo inventario, assiste-se a briga entre o ANTRO QUADRILHEIRO em que virou o Congresso Nacional e a Presidência da República, por cargos públicos e partilhas no roubo líquido orçamentário; em cujo desempenho, a bandidagem terrorista está mostrando que o BRASIL e o POVO BRASILEIRO são somente o seu ABRIGO DAS PRÁTICAS SUBVERSIVAS, TERRORISTAS E CRIMINOSAS, porque, no poder, estão empenhados no locupletamento econômico empregatício e sustentação política de governo e no roubo do País, que não pode ofender o sistema de “coligações eleitorais” no estelionato mandatário, que se efetiva no saqueamento do País, massacre da Nação e destruição da Pátria pelas “bases parlamentares,” “governo participativo” e “coalisões políticas,” por onde reúnem os poderes constitucionais em um consorcio de bandidos, em cuja situação, parece que as instituições estão funcionando, porque elas não existem mais. E isto fica provado com as Forças Armadas e a Polícia Federal que se mantém de fora do sistema marginal terrorista. Além da prova dada pelos próprios antros de bandidos na comprovação de que o “ajuste fiscal” não foi previamente partilhado e por isso, as quadrilhas no Congresso Nacional o estão “bombardeando.”
        §) Com essa conduta, as gangues do Congresso Nacional, além de estarem, investidos por mandatos espúrios através do pleito eleitoral terrorista, estão na prática subversiva da TRAIÇÃO AO POVO por USO DOS MANDATOS PARA INTERESSE PESSOAL COLETIVO DE SAQUEAMENTO DO PAIS E LOCUPLETAMENTO ECONÔMICO E MORAL ILÍCITO DE GOVERNO, que erige o POVO EM FORO DE SOBERANIA na REAÇÃO DE CIDADANIA de INTERVENÇAO CONSTITUINTE no Processo histórico, por exercício direito do poder.
        2) Isso não nos surpreende, porque está dentro da previsão do “Ideário da Revolução de 64,” que equacionou a auto eliminação do subdesenvolvimento pelo suicido de poder da subversão comunista surgida em 1.929 e que não encontrou eliminação nas diversas vezes que fora tratada com repressões, inclusive, pelos esforços de eliminação dela pela integração de tolerância experimentada pela Revolução de 1964. E por isso recebeu o tratamento que o “Ideário da Revolução de 64” chamou de “redemocratização,” previsto para encerrar o respectivo período iniciado em 1985 e término em 2.015; encerrando a História do Brasil colonial de 1.500 a 2.016, quando ele será instalado na construção do BRASIL MEGA POTÊNCIA DO MUNDO, pelo PROJETO AMAZÔNIA-SOBERANIA, PODER E RIQUEZA PELO CAMINHO DA ROÇA, que traz a ECONOMIA TRABALHISTA EDUCATIVA empreendida pelo COOPERATIVISMO DE ESTADO formado da iniciativa privada e Governo, campo e cidade na transformação da tríade econômica: HOMEM-TERRA-NATUREZA em PROGRESSO para QUALIDADE DE VIDA, no atendimento da finalidade do Homem de: procriar, sobreviver e raciocinar.
        2.a) Como nós sabemos, não foi o “Ideário da Revolução de 64” que conduziu a subversão comunista ao suicídio de poder ao qual ela chegou, mas, como o Antigo Testamento, na Bíblia, noticiava o surgimento do Messias e o que ia acontecer com ele, a Ciência de Inteligência que supre as Forças Armadas em esfera universal, pelo diagnóstico da Vida Civilizada em todos os seus ciclos históricos, prescreveu à civilização brasileira o remédio da “redemocratização” com fórmula de manipulação e tratamento na Constituição, que permitisse à subversão comunista suprir-se do subdesenvolvimento em todos os seus componentes e acabasse em suicídio de poder por congestão de burrice, analfabetismo, mentira, ambição, vulgaridade, imoralidade, covardia, ganância, vício, vadiagem e traição. Cujo acontecimento, na década de 1970, quando a civilização brasileira foi estabelecida pelo “Ideário da Revolução de 64,” estava manifesto pelo grau de primitivismo, ausência de vocação e sensibilidade humana, psicopatia congênita, índole satânica, servilismo, dependência e tendência para os regimes masoquistas dos efetivos da subversão comunista; todos inimigos do trabalho e convictos da violência e irracionalidade como meio de igualdade social.
        1.c) Então, cumprindo missão das Forças Armadas, o Signatário, com as pessoas que o absorveram na Assembleia Nacional Congressual, transformou o “Ideário da Revolução de 64” na Carta Dogmática da civilização brasileira, que absorveu a subversão comunista em todo o âmbito do subdesenvolvimento da nação, contida pelo mecanismo disciplinar do poder constituinte preservado no poder instituído, em Foro de Soberania. O qual funda as Forças Armadas na tríade originária do Constitucionalismo: Nação-Território-Soberania que forma o POVO EM PROCESSO HISTÓRICO pela CIDADANIA (poder político constitucional) e as ARMAS (poder militar constituinte), fundidos na Instituição da Presidência da República pelo voto mandatário com a bala outorgante; ou, partidos políticos fundidos com o comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas no mandato de Presidente da República.
        1.d) Assim, não havia como a subversão comunista não chegasse ao fim que chegou em seu desempenho ideológico habilitada por mandatos eletivos para executar a Constituição frontalmente contraria a isso, ela rompeu o Estado Democrático de Direito na fusão do voto com a bala e erigiu o POVO EM FORO DE SOBERANIA, ou, no EXERCÍCIO DIREITO DO PODER, por traição eleitoral, impondo a REAÇÃO DE CIDADANIA pela INTERVENÇÃO CONSTITUINTE no PROCESSO HISTÓRICO. Todavia, era necessário que a subversão comunista levasse consigo o subdesenvolvimento da civilização brasileira, inteiro, para que ela restasse receptiva ao Projeto Amazônia, apenas no âmbito da diversidade intelectual natural humana, emoldurada pela unidade da nação em seu edifício social. 1.c) Em 2004, já definido o suicídio de poder da subversão comunista, pela fusão da Instituição da Presidência da República com o Foro de São Paulo através do “Projeto de Poder do PT de Comunizar o Brasil em 22 Anos,” o Signatário assumiu o acompanhamento da respectiva anarquia. Sendo o responsável pela deflagração das CPIs dos Correios e do Mensalão em junho de 2.005, que tinham por objetivo abortar o golpe dentro da eleição de Luiz Inácio Lula da Silva, que havia sido montado pela FIESP, FIEMG e FIERJ, visando substituir a subversão comunista pelas oligarquias do poder. A partir de cujo acontecimento, consolidou-se a fusão do subdesenvolvimento com a subversão comunista que submeteu o Brasil à destruição pelo ROUBO COMO FORMA DE GOVERNO E DE ECONOMIA, por associação das oligarquias empresarias do poder que só se preocupam com o lucro avarento e se fazem presentes agora no “ajuste fiscal” pelo presidente da FIESP e presidente da FIERJ que estão saqueando o País pela desvalorização do real; e pelo MASSACRE TERRORISTA COMO ORGANIZAÇÃO DE SOBREVIVÊNCIA que fundiu a força de trabalho, a iniciativa privada e a política no “Projeto de Poder do PT de Comunizar o Brasil em 22 Anos.”
        3) Há, pois, motivo para o POVO NA PESSOA DO SIGNATÁRIO, agradecer as Forças Armadas pelo desprendimento vocacional, mas, sobretudo, pelo sacrifício de, a 13 anos suportarem Luiz Inácio Lula da Silva, analfabeto, mentiroso, cafajeste, vadio, borracho, trapaceiro, covarde, terrorista, e sua preposto Dilma Vana Rousseff, mentirosa, embusteira, vigarista, assassina, sequestradora, assaltante, terrorista, em posição de continência hierárquica máxima. Pois, isso submete as Forças Armadas ao massacre moral por execração e esquartejamento de personalidade imposto pela Lei n. 12.528/2011, de seus soldados vivos e mortos, por terem anistiado essa bandidagem terrorista que deveriam ter sido varridos às latrinas da História, e só não o foram, porque em nenhuma outra parte do mundo essa peste ideológica foi extirpada por tratamento repressivo. E por isso, a Revolução de 64 optou pela experiência do suicídio de poder que a Ciência recomendava fundada nas lições de Sodoma e Gomorra, de Esparta, da Babilônia e de Roma.
        3.a) Pois que, bandido tem pavor de três coisas: 1) de si mesmo; 2) do trabalho; 3) da lei. Por ter pavor de si mesmo, é irascível, revolucionário, intransigente, irracional, espalhafatoso superficial, bizarro, ridículo, mentiroso e impositivo; por ter pavor do trabalho, é ideólogo, embusteiro, imaginativo, vigarista, trapaceiro, velhaco e dissimulado; por ter pavor da lei, é arrogante, agressivo, autoritário, quadrilheiro, impostor, vulgar, roteirista, demagogo, verborreico, massificador, covarde e irresponsável. A soma disso forma o modelo político que instalou o Brasil contra a sua organização social, contra a sua economia e contra a sua Constituição. Pois, é a Constituição que institui o modelo de governo pelos poderes constitucionais. E fora dela, se estabelece a anarquia terrorista de bandidos que está ai. Cujo, as Forças Armadas estão sofrendo a 13 anos. E isto já é a prova de que não existe o soldado de ontem e nem o soldado de hoje, mas, somente a PERENIDADE DA FARDA na ETERNIDADE DA PÁTRIA que guarda a civilização brasileira estruturada pelos Símbolos, Valores, História e Tradição que a emolduram na Constituição.
        3.b) Então, neste momento de desaquartelamento das tropas para a recuperação da Pátria seria deprimente que entre o efetivo mínimo equivocado em sua vocação, presente nas Forças Armadas, como é natural em todas as instituições humanas, fosse verdadeira a informação de declarações vulgares de Comandantes que confessam “lealdade à Presidente, por tê-los nomeado.” E, representaria traição à farda, que feriria a Pátria no coração constitucional do Povo. Por isso, o POVO EM FORO DE SOBERNIA NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS, reitera a tranquilidade militar do Regime Democrático que está instituído na Constituição, aparelhando a INSTITUIÇÃO DA CIDADANIA com a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE assentada nas ARMAS. 3.c) E, o “Ideário da Revolução de 64” que previa o expurgo da civilização brasileira pela eliminação política do subdesenvolvimento que se nutria das oligarquias econômicas e do poder e ideologismo subversivo, no cultivo da ignorância e da vadiagem, resultou sacramentado pela Lei 12.528/2011 que restaurou o status quo ante da Revolução de 64, com a punibilidade da subversão comunista respectiva restabelecida até 1.946. De sorte que a ficha criminal de Dilma Vana Rousseff impede a sua presença na vida pública da nação e a faz em flagrante operacionalidade terroristas e de banditismos, sobre o povo em estado de legítima defesa na Constituição pelas Forças Armadas, face à extinção de eficácia do Estado Democrático de Direito, criada por essa Lei.
        A REAÇÃO DE CIDADANIA EM ESTADO DE LEGITIMA DEFESA.
        Em resumo, o OBJETO DA INTERVENÇÃO é, pois:
        1) a DESTRUIÇÃO DO BRASIL PELO ROUBO praticado pela subversão comunista com as oligarquias econômicas e políticas, em associação com o terrorismo comunista fundamentalista de bandidos pelo Foro de São Paulo, pelas diversas modalidades que o “Programa do PT na TV,” do dia 06.08.2015 explicou. No qual provou que não têm hombridade, nem senso de honradez e de caráter, mas se instrumentalizam da mentira e do desprovimento moral para desempenharem sua vocação criminosa totalmente desprovida de humanismo e dos valores éticos mínimos da criatura racional. Pois, em ufanismos afirmavam que: “O Brasil foi o último país a entrar na crise e o primeiro a sair dela.” E agora, explicam o estado falimentar do Brasil, justificando que: “O PT conseguiu suspender a crise mundial por 6 anos, que só agora apresenta seus efeitos aqui.” Em mês de maio de 2.014 Dilma afirmou à Revista Veja: “Inflação de 3% significa desemprego. Temos inflação dentro da meta e ela está sob controle. A economia está estável, sem perigo de recessão.” A inflação está, nos cálculos estelionatários do Governo, em 9,8%, e, de fato, como Dilma afirmou, já desempregou 340 mil operários em 2.015. E durante a campanha eleitoral manteve os preços públicos em queda afirmando que: “Não haverá aumento de impostos e os preços da energia elétrica e dos combustíveis se manterão no patamar que estão.” E ao Presidente Obama afirmou: “O Brasil passa por ligeira crise econômica devido os mecanismos que o Governo usou para a manutenção do emprego, que fizeram a crise de 2.008 chegar agora ao País.” A energia já aumentou 57% e os combustíveis 73%. Sendo os insumos básicos do processo inflacionário, se tem que a inflação está em torno de 56%. O PT/Lula/Dilma prega que “pagou a dívida ao FMI, que não deixava o Brasil crescer, porque estava submetido aos cálculos impostos pelo FMI.” Em julho de 2.013 Mantega reclamou por carta à Christine Lagarde, diretora-gerente do FMI sobre a metodologia que ela impunha ao cálculo da dívida bruta do Brasil que inclui a dívida para o FMI, a qual, pelo FMI chega a 68% do PIB, e Mantega quer que fique em 59% do PIB, mas Christine Lagarde não concordou e o FMI ameaçou contra a falcatrua contábil de emissões de títulos frios pelo Tesouro a deposito no Banco Central, para fechar déficit a descoberto das contas públicas. E, nesse ano Mantega tomou US$ 422 milhões emprestados ao FMI para suprir o “bolsa família.” E o “Banco BRICS” que Dilma estava criando com a China, Rússia, Índia e África do Sul, nada mais era do que um rolo envolvendo o BNDES com o FSA e FCAP que gira o dinheiro do terrorismo fundamentalista, para socorrer o estouro financeiro da China. Estelionato no mundo que não se efetivou, porque os terroristas fundamentalistas constataram que Dilma é “mais retardada mental do que fundamentalista.” A Dívida bruta de 68% do PIB, com mais os esbanjamentos, folha de pagamento, bolsas vadiagem, custos políticos e custos funcionais e operacionais do Estado, com a corrupção chega a 150% do PIB. Apresentando um roubo da ordem de R$ 36 trilhões, face não haver imobilizações técnicas de infraestrutura, ciência e tecnologia, nem de empreendimentos públicos de sustentação e incremento à expansão empresarial; pelo contrário, o empresariado brasileiro encolheu 39% nestes 13 anos, e o que resta está em recuperações de créditos, desaparecimento de atividades e negócios, falências, fusões e incorpora—ções de empresas. A economia se resumiu à bolha do consumo fiado promovido por emissões de real frio e 196 milhões de cartões de crédito para a população economicamente ativa de 105 milhões de pessoas; num endividamento da população de 1,75 trilhão, com 46% de inadimplência.
        2) O MASSACRE DA NAÇÃO pela BANDIDAGEM TERRORISTA NO PODER que já matou mais de 1,25 milhão de pessoas só nos campos do banditismo comum, estimando-se em 5 milhões de pessoas o total de todas as frentes de extermínios em atividade nestes últimos 13 anos. Cujo massacre Luiz Inácio Lula da Silva confessou diversas vezes, como explicou ao jornal espanhol El Paris: “O PT era um partido pequeno, que depois passou a ser grande e, como tal, foram aparecendo defeitos. Gente que dá muito valor ao Parlamento, outros aos cargos públicos e outros às facilidade de negócios que surgem. Ai aparece a corrupção.” Confirmado por José Dirceu: “Eu, a Dilma, o Lula e o PT estamos no mesmo saco.” Pelo presidente da Odebrecht: “Terão de fazer três celas: uma para mim, outra para o Lula e outra para a Dilma.” E, de resto, por todos os membros do banditismo terrorista chefiado por Lula e Dilma. E, ao invés de um plano governamental mostrando à nação as vias de recuperação da economia e de onde sairão os recursos para a retomada da expansão empresarial, sem a qual jamais haverá recuperação econômica e emprego, Dilma quer convencer com a queixa de que: “sacrificou sua popularidade pelo crescimento do País.” Provando que não apenas ela, mas também seu Ministro da Fazenda são retardados mentais. Deficiência que se vê na cara de cada um. Pois, quanto vale a “popularidade de Dilma”? Para quem ela a empenhou? Em que valor econômico foi a transação?
        Este seria, pois, o estado de desprovimento moral, profissional e desqualificação para as armas, das Forças Armadas, se, o que as oprime e as desonra no banditismo terrorista no poder, não fosse o sacrifício da superioridade que a unidade da nação exige na “Revolução Redentora de 64,” no seu propósito de eliminar o subdesenvolvimento da civilização brasileira, para a instalação do Brasil em um TEMPO NOVO. Cuja transição do período colonial para o início de uma GRANDE CIVILIZAÇÃO durou 50 anos. Porém, não é um tempo significativo para um povo que se rege pela vocação de PERENIDADE HISTÓRICA.
        Há pois, que cumpramos com o momento que nos está imposto, como OBSTETRAS da Pátria ao nascimento de um TEMPO NOVO, ainda que seja pelo BATISMO DE FOGO.
        “DEUS É JUSTIÇA. E AS FORÇAS ARMADAS SÃO A SUA ESPADA.”
        Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF. 10 de agosto de 2.015
        celio evangelista ferreira do nascimento
        na representação constitucional do povo
        no comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas

10257674_308829862599340_5813641074022299741_n

      Marcha da Família, 1964

      BRASIL ANTES DE 1964

    https://www.youtube.com/watch?v=X3c9x9K-_f8&feature=youtu.be

    Anúncios

Comentários desativados em CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO, ASSALTO AO PODER, FALÊNCIA DO PAÍS E CAOS SOCIAL

Arquivado em Documentos, Matéria

Os comentários estão desativados.